Luiz Pini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luiz Pini
Nome completo José Laurindo Pini
Outros nomes Luís Pini
Nascimento 30 de outubro de 1931
Jaú, SP
Nacionalidade brasileira
Morte 12 de junho de 2002 (70 anos)
São Paulo, SP
Cônjuge Lourdes Souto Pini
IMDb: (inglês)
Luipini.jpg

José Laurindo Pini (Jaú, 30 de outubro de 1931 - São Paulo, 12 de junho de 2002), conhecido profissionalmente como Luiz Pini, foi um ator, dublador e protético brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Luiz Pini era filho de italianos. Nasceu em Jaú, em São Paulo, em 30 de outubro de 1931.

Ainda jovem, mudou-se para a capital paulista onde entrou em contato com o rádio pela primeira vez. Nos anos 1940, formou-se em Odontologia e em 1958, casou-se e teve três filhos: Cibele Rita Souto Pini (1961), Luiz Alexandre Pini (1963) e Cylene Souto Pini (1968)

Faleceu em 12 de junho de 2002 em São Paulo.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Foi um ator pioneiro da televisão. Veio do rádio, mas quando estreou em TV, o fez na TV Paulista. Esta foi ao ar em 1952, pela primeira vez[1].

Tinha uma maior desenvoltura na comédia mas fez vários teleteatros e disquetes de drama na TV Paulista. Entre seus trabalhos na emissora está a 4ª novela a ser estrelada na televisão brasileira chamada Direto Ao Coração de José Castellar[2].

Conhecendo sua afinidade para o humor, Manuel da Nóbrega o convidou para a Praça da Alegria, onde ingressou em 1957 com uma série de humoristas como Canarinho, Ronald Golias, Zilda Cardoso, Rachel Martins e Rony Rios.

Em 1965 fez Cadeia de Cristal, e fica na TV Paulista até o fim da mesma quando a TV Globo a compra.

Na dublagem entrou em 1960 na Gravasom. Depois passou a dublar na Aic, aonde fez grandes trabalhos como dublador. Luiz permanece na dublagem até a metade da década de 1970, quando se afasta por completo do mundo artístico e resolve trabalhar como protético, o qual monta um consultório na Avenida Paulista em São Paulo[2].

Televisão[editar | editar código-fonte]

Dublagem[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Museu da TV: Luiz Pini». Museudatv.com. Consultado em 15 de outubro de 2012. 
  2. a b «Casa da Dublagem: Luiz Pini». casadadublagem.com. Consultado em 8 de maio de 2017.