Lulu da Rocinha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.

Luciano Barbosa da Silva, mais conhecido como Lulu da Rocinha. Foi um criminoso brasileiro do Rio de Janeiro, responsável pelo tráfico de drogas na favela da Rocinha, de 1999 a 2004. De perfil assistencialista, e querido pela comunidade, despertava menos medo na favela, que seu sucessor Dudu da Rocinha, que era conhecido por sua crueldade.[1]

Lulu porém acabaria traído por sua facção, o Comando Vermelho, que no dia 9 de abril de 2004, autorizou a invasão da favela por Dudu. A tentativa de invasão, deixou um rastro de mortes pela zona sul da cidade. Após dias de guerra, a polícia entrou na favela, sendo que dois dias após a ocupação da Rocinha, o traficante foi morto de forma suspeita pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope). Apesar dos jornais informarem no dia seguinte que houve troca de tiros entre Lulu e o Bope, testemunhas oculares afirmam que LULU e um amigo estavam desarmados e não houve troca de tiros. No corpo de Lulu havia marcas de facada[2].

Após a morte de Lulu, a quadrilha que dominava a Rocinha se dividiu, com alguns traficantes permanecendo fiéis ao Comando Vermelho e outros passando para o lado da facção Amigos dos Amigos.[3] Após um período de disputas entre os dois grupos, marcado por traições e muitas mortes de grandes chefões locais, onde permaneceu na comunidade o medo de um possível retorno do traficante Dudu, o comando da favela foi parar nas mãos do terceiro na linha sucessório de Lulu, o traficante Bem-Te-Vi.

Referências

  1. Extra (11/04/2009). «Cercado pelo Bope, Lulu é morto no alto da Rocinha». Consultado em 14/12/2011. 
  2. Glenny, Misha (2016). O dono do morro: um homem e a batalha pelo Rio (São Paulo: Companhia das letras). p. 160. 
  3. [1]