Lun

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Classe Lun de Ecranoplanos
(OTAN: Classe Duck)
O Lun em Kaspiysk base naval russa no Daguestão em 2010
Origem    Bandeira da marinha que serviu União Soviética
Nome Lun
Operador(es)  Marinha Soviética
 Marinha da Rússia
Em serviço 1987 - final dos anos de 1990
Planejados 2
Construídos 0
Ativos 0
Cancelados 1
Características gerais
Tipo Ecranoplano de ataque e transporte
Deslocamento N/A; vazio 286 t (631 000 lb)
Comprimento 73,8 m (242 ft)
Boca (Envergadura) 44 m (144 ft)
Calado 2,5 m (8,20 ft) altura: 19,2 m (63,0 ft)
Propulsão 8 x motores turbojato Kuznetsov NK-87
Empuxo: 12 900 kgf (127 000 N) por motor
Velocidade 550 km/h (342 mph) (550 km/h (297 kn))
Autonomia 1 900 km (1 180 mi) 1 900 km (1 030 m.n.)
Sensores Radar Puluchas
Armamento 6 x lançadores fixos de mísseis anti-navio P-270 Moskit
4 x canhões PI-23 de 23 mm (0,906 in) (2 x 2, 2.400 tiros)
Tripulação 6 x oficiais e 9 praças
Carga 100 t (220 000 lb)
Ekranoplan Classe Lun em Kaspiysk fotografado com um satélite de reconhecimento KH-8 em 1984.
Lun-classe em Kaspiysk, Rússia, em 2010.
Modelo do Spasatel.

Classe Lun (que a OTAN denomina como Duck) é um ecranoplano projetado por Rostislav Evgenievich Alexeyev e usado pelas marinhas da União Soviética e da Rússia de 1987 até o final dos anos 1990.[1][2]

Ele voou usando a sustentação gerada pelo efeito solo de suas grandes asas quando perto da superfície da água - cerca de 4 metros ou menos. Embora possam parecer semelhantes e ter características técnicas relacionadas, ecranoplanos como o Lun não são aeronaves, hidroaviões e nem aerodeslizadores, sendo que o efeito solo é uma tecnologia separada completamente. A Organização Marítima Internacional classifica estes veículos como navios marítimos.[3]

O nome Lun vem do russo para o tartaranhão.[4]

Design e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O Lun era alimentado com oito Kuznetsov NK-87 turbofans, montado em canards avançados, cada um produzindo 127,4 kN (28,600 lbf) de empuxo. Tinha um casco de um hidroavião com uma grande placa defletora na parte inferior para fornecer um "passo" para a decolagem.[4] Tinha uma velocidade máxima de cruzeiro de 550 quilômetros por hora.[2]

Equipado para a guerra anti-superfície, carregava o míssil guiado do P-270 Moskit. Seis lançadores de mísseis eram montados em pares na superfície dorsal de sua fuselagem com avançados sistemas de rastreamento montados em seu nariz e cauda.[5]

O único modelo desta classe construído, o MD-160, entrou em serviço com a Frota do Mar Negro em 1987. Foi aposentado no final dos anos 1990 e ficou sem uso em uma estação naval em Kaspiysk, Rússia.[2][6][7] Em 31 de julho de 2020, o Lun foi rebocado de Kaspiysk para Derbente onde ficará em exposição no futuro parque patriota.[8]

Outra versão de Lun foi planejada para uso como um hospital de campo móvel para rápida implantação em qualquer oceano ou localidade costeira. Foi nomeado o Spasatel (Спасатель - "Salvador"). O trabalho foi 90% concluído, quando o financiamento militar terminou e nunca foi concluído.[3][9]

Novo desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A partir de 2015, o ekranoplan A-050 está sendo desenvolvido pela Central Hydrofoil Design Bureau, dois conceitos que foram apresentados no MAKS. De acordo com a ValueWalk, o modelo "contará com aviônica e navegação modernas", com peso de decolagem de 54 toneladas e capacidade de carga de 9 toneladas; ele será alimentado por motores de reforço R-195 e tem uma velocidade de cruzeiro de 400 a 480 km/h, com um alcance 4.800 km. Ao mesmo tempo, pensa-se que o veículo de efeito solo será armado com mísseis de cruzeiro.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Shukla, Vikas. «Russia Revives Its Soviet-Era Ekranoplan Project». ValueWalk. ValueWalk. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  2. a b c Johnson, Robert; Rosen, Armin. «Here's The Astonishing Hovercraft That The Soviets Could Have Used To Invade Western Europe In The 80s». Business Insider. Business Insider. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  3. a b Liang Yun; Alan Bliault; Johnny Doo (3 de dezembron de 2009). WIG Craft and Ekranoplan: Ground Effect Craft Technology. [S.l.]: Springer Science & Business Media. pp. 436–. ISBN 978-1-4419-0042-5  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. a b Flying Magazine. [S.l.: s.n.] Julho de 1994. pp. 72–. ISSN 0015-4806 
  5. Ashley Hollebone (31 de março de 2012). The Hovercraft Story. [S.l.]: History Press Limited. pp. 33–. ISBN 978-0-7524-8512-6 
  6. Bogodvid, Maksim (27 de janeiro de 2012). «Russia Revives Production of Flarecraft». RIA Novosti. Consultado em 14 de julho de 2013 
  7. Norman Ferguson (1 de abril de 2013). The Little Book of Aviation. [S.l.]: History Press Limited. pp. 102–. ISBN 978-0-7524-9285-8 
  8. Cenciotti, David (10 de agosto de 2020). «Take A Look At These Incredible Shots Of The Russia's Sole Completed Lun-Class Ekranoplan». The Aviationist (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2020 
  9. Fast Ferry International. [S.l.]: High-Speed Surface Craft Limited. 2003 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Media relacionados com Lun no Wikimedia Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre uma aeronave é um esboço relacionado ao Projeto Aviação. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.