Lutero Luiz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Lutero Luís)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Outubro de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lutero Luiz
Outros nomes Gerson Luís
Nascimento 5 de janeiro de 1931
São Gabriel,  Rio Grande do Sul
Nacionalidade brasileiro
Morte 20 de fevereiro de 1990 (59 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
IMDb: (inglês)

Lutero Luiz[1] (São Gabriel, 5 de janeiro de 1931Rio de Janeiro, 20 de fevereiro de 1990) foi um ator brasileiro, em alguns filmes creditado como Gerson Luís

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado em artes cênicas, em Porto Alegre, ele começou como ator de rádio em 1952. Transferiu-se para São Paulo no início dos anos 60.

Especializou-se em interpretar personagens simples e de forte apelo regional nas muitas novelas e nos mais de 15 filmes que realizou. No cinema, destacou-se em comédias como Vai Trabalhar Vagabundo; O Crime do Zé Bigorna; Guerra Conjugal; Ladrões de Cinema e Se Segura, Malandro!.

Em telenovelas seus personagens mais marcantes foram; Lulu Gouveia, em O Bem-Amado; Marciano, em Pecado Capital; coronel Manuel das Onças, em Gabriela; o amigo Bodão de Sassá Mutema, em O Salvador da Pátria, e seu último personagem, o jardineiro Bastião, de O Sexo dos Anjos.

Morreu de câncer generalizado, deixando em Porto Alegre duas filhas do primeiro casamento e, no Rio de Janeiro, uma do segundo. Seu personagem na novela O Sexo dos Anjos (1989/1990)", então em andamento, teve de sair da trama e foi inventada uma viagem de última hora quando ele ganhava na loteria.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Precedido por
Maurício do Valle
por O Profeta da Fome
Troféu Candango de Melhor Ator Coadjuvante
por Ladrões de Cinema

1977
Sucedido por
Paulo César Pereio
por Chuvas de Verão, Tudo Bem e A Lira do Delírio