Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Luz do Sol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a telenovela. Para o espectro da radiação eletromagnética fornecida pelo Sol, veja Luz solar. Para a radiação em si, veja Radiação solar.
Luz do Sol
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Romance
Duração 55 minutos
Criador(es) Ana Maria Moretzsohn
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Ivan Zettel
Roteirista(s) Gustavo Reiz
Ana Clara Santiago
Emilio Boechat
Denise Crispun
Elenco Luma Costa
Luíza Tomé
Paloma Duarte
Petrônio Gontijo
Giuseppe Oristânio
Patrícia França
Leonardo Brício
Juliana Silveira
Karen Marinho
Eduardo Pires
Thiago Gagliasso
Bete Coelho
Floriano Peixoto
Guga Coelho
Karine Carvalho
(ver mais)
Tema de abertura "Luz do sol", por Jorge Vercilo
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Record
Formato de exibição 1080i (HDTV)
480i (SDTV)
Transmissão original 21 de março de 200720 de novembro de 2007
N.º de episódios 210[1]

Luz do Sol é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Record e exibida originalmente entre 21 de março e 20 de novembro de 2007, em 210 episódios. É a terceira das sete telenovelas exibidas como "novela das oito" pela emissora entre 2006 e 2010, substituindo Bicho do Mato e antecedendo Amor e Intrigas. É uma obra representativa na história da teledramaturgia da emissora não apenas por isso, mas por ter sido a primeira novela escrita por Ana Maria Moretzsohn para a Record, trazendo a colaboração de texto de Gustavo Reiz, Ana Clara Santiago, Emilio Boechat e Denise Crispun, e sendo dirigida por Ivan Zettel. Luz do Sol foi a 8ª telenovela exibida pela emissoradesde que a produção de obras de teledramaturgia foi retomada, em 2004.[2]

Classificada pela crítica como uma "novela para toda a família", a trama apresentou temas tradicionais do gênero - e, embora os roteiros e as atuações tenham sido bastante elogiados, a falta de "ousadia" foi avaliada como um ponto negativo, sendo apontado pela mídia especializada desde o início que seria difícil para um "folhetim tradicional" que não fosse produzido pela Rede Globo obter o interesse do público - tanto que, durante a sua exibição no Brasil, a produção obteve uma audiência média de 9-10 pontos na medição do Ibope, índices considerados como medianos pela crítica, mas satisfatórios pela emissora, que à época buscava ainda consolidar-se no mercado. Foi reprisada a partir de 6 de abril de 2015 as 17h15 pela Rede Família, pertencente ao Grupo Record que exibe programas antigos da emissora-chefe como parte de sua programação.[3][4]

Contou com Luíza Tomé e Luma Costa nos papéis de mãe e filha, respectivamente, que se reencontram após onze anos do misterioso sequestro da menina, o qual deixou cicatrizes emocionais profundas. Já Paloma Duarte e Petrônio Gontijo interpretam um divertido casal nos moldes "cão e gato", que passam por provações de suas personalidades fortes para ficarem juntos. Giuseppe Oristânio, Patrícia França, Leonardo Brício, Juliana Silveira, Karen Marinho, Eduardo Pires, Thiago Gagliasso, Bete Coelho, Floriano Peixoto, Guga Coelho e Karine Carvalho incorporam os demais papéis centrais.[5]

Antecedentes e contexto[editar | editar código-fonte]

Ainda em 2005, com a contratação do dramaturgo Lauro César Muniz, a Rede Record anunciou seus planos de passar a ter, em sua programação, dois horários distintos destinados à exibição de telenovelas[6][7]. A emissora já possuía, à época, o "RecNov", um estúdio localizado no Rio de Janeiro destinado à produção de suas telenovelas, de forma similar ao que a Rede Globo já fazia nos estúdios "Projac". A estrutura, entretanto, ainda não estava totalmente definida, e as filmagens de Prova de Amor a ocupavam integralmente. Uma vez que as obras de ampliação não iriam estar concluídas em tempo hábil[8] para o início das filmagens de Cidadão Brasileiro, um terreno com cerca de dez mil metros quadrados foi alugado para se tornar um canteiro de obras fictício, visando retratar a construção de Brasília. Adicionalmente, as cenas em estúdio foram realizadas numa cidade cenográfica construída em Barra Funda para representar uma versão ficcionalizada do município de Guará[9][10][11].

Em março do ano seguinte, Cidadão Brasileiro começou a ser exibida nesse segundo horário[12]. A telenovela foi exibida, em seu mês de estreia, às 20h 30min, mas sofreria nos meses seguintes uma série de mudanças em seu horário até regularizar-se às 22h 00. Esse horário foi seguido pela produção que a sucedeu, Vidas Opostas[13]. Prova de Amor, por sua vez, foi exibida entre 24 de outubro de 2005 e 17 de julho de 2006 e foi a terceira telenovela a ser produzida pela emissora desde 2004, quando a produção de telenovelas foi retomada com a exibição de A Escrava Isaura e, no ano seguinte, de Essas Mulheres[14].

Tanto A Escrava Isaura quando Essas Mulheres foram exibidas no horário "das sete" (a partir das 19h00), que continuaria a ser ocupado por Prova de Amor e, posteriormente, por Bicho do Mato, cuja estreia ocorreu em 18 de julho de 2006. Quando Cidadão Brasileiro, telenovela também exibida à época, passou a ser exibida às 21h30 por causa da exibição da propaganda eleitoral obrigatória a partir de outubro, Bicho do Mato manteve seu horário de exibição original[14], mas em 5 de março de 2007, este foi alterado para coincidir com a estreia da telenovela Paraíso Tropical, a "novela das oito" que a Globo passaria a exibir. Com a conclusão de Bicho do Mato, Luz do Sol seria exibida no mesmo horário "das oito"[15] a partir de 21 de março de 2007.[16]

Produção[editar | editar código-fonte]

As praias de Angra dos Reis foram utilizadas como cenário para as gravações das cenas de surf.[17]

Com Luz do Sol, a Rede Record deu continuidade a uma sequência de telenovelas no horário "das oito", mantendo um segundo horário dedicado à exibição de telenovelas. Tão logo foi contratada pela emissora, em 2006, Moretzsohn foi anunciada como a escritora da telenovela que sucederia Bicho do Mato quando esta terminasse de ser exibida, e a produção de sua telenovela teve início no final daquele ano, após Bicho do Mato já ter começado a ser exibida. Inicialmente intitulada Amor Perfeito, a telenovela foi planejada pela autora como uma análise das mudanças nos relacionamentos amorosos com o advento da internet e da reconfiguração da família contemporânea, em especial do novo papel ocupados por avós na sociedade[18] As gravações internas aconteceram nos estúdios do RecNov, onde foi montada a cidade cenográfica, tendo ainda cenas gravadas nas praias de Angra dos Reis, Saquarema e no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.[19]

A produção de Cidadão Brasileiro teve influência direta no desenvolvimento de Luz do Sol: As filmagens da primeira tiveram início em janeiro de 2006[17][20] e se estenderiam até novembro[21]. Com dois meses de exibição, o diretor Flávio Colatrello Jr. afastou-se de Cidadão Brasileiro por conflito de ideias com a emissora e com Muniz[22][23][24]. Durante todo o período antecedendo sua saída, foram noticiados conflitos envolvendo Colatrello, seja por causa da iluminação utilizada, seja por causa do comportamento do diretor durante as filmagens ou pelo método que seria utilizado pela envelhecer os personagens durante a segunda fase da produção[23][25][26] Após sua saída, o diretor João Camargo foi convidado a integrar a equipe de direção, e os diretores Fábio Junqueira e Ivan Zettel tiveram suas atribuições aumentadas.[27][28] Enquanto Camargo, posteriormente, seria realocado para a equipe de produção da telenovela Alta Estação, e substituído pelo ator e diretor Henrique Martins, Junqueira e Zettel se viram impossibilitados de começar as filmagens de Luz de Sol enquanto não concluíssem os trabalhos com Cidadão[21][26][29]. Diante dessa experiência, Zettel buscou, para Luz do Sol, adquirir novos equipamentos de filmagem que possibilitassem cenas de maior cunho cinematográfico, buscando aproveitar-se inclusive do cenário da trama.[30]

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

O primeiro nome à ser oficialmente anunciado foi Juliana Silveira, que migrava da Rede Bandeirantes após protagonizar por dois anos a telenovela Floribella.[31][32] Juliana havia sido convidada pela Rede Globo para integrar o elenco da novela Paraíso Tropical como a prostituta Telma, porém optou por assinar com a Rede Record alegando que a personagem contrastava muito com seu último papel e que Luz do Sol seria uma transição mais adequada à seu público: "Não seria o momento ideal, ainda mais logo depois de Floribella. Lá na frente faço todas as prostitutas e fico nua se quiserem. Mas, nesse momento, estaria jogando um trabalho de dois anos no lixo".[33][34] Lucélia Santos e Luana Piovani chegaram à ser cogitadas para os papéis de Stella e Verônica, respectivamente, porém a primeira acabou aceitando o convite para Cidadão Brasileiro, enquanto a segunda não chegou a um acordo com a emissora.[35] Paloma Duarte, Leonardo Brício e Patrícia França foram os primeiros atores à serem anunciados após Juliana.[21][32]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A trama se inicia em 1995 no Rio de Janeiro, quando Stella (Luíza Tomé) e Freddy (Giuseppe Oristânio) descobrem que sua filha mais nova, Drica (Luma Costa), desapareceu misteriosamente durante uma tentativa de sequestro em seu aniversário de cinco anos. A garota é encontrada desacordada em meio a uma tempestade na praia de Saquarema por Agenor (Leonardo Brício), um pescador simples e cheio de segredos, e acaba reprimindo a memória de tudo que aconteceu pelo trauma. Ela é criada como se fosse filha de sangue por Agenor e sua mulher, Eliana (Patrícia França), que tiveram uma filha da mesma idade morta poucos meses antes e acreditam que a menina foi enviada pelo mar para curar as cicatrizes – batizando-a com o nome de Rosa, o mesmo da falecida criança.[19]

Após 11 anos, Rosa se tornou uma exímia surfista e vende camarão na praia para ajudar a família, vivendo um confuso sentimento por Vicente (Eduardo Pires), a quem acredita ser seu irmão de sangue. O rapaz a ama profundamente e espera o momento certo de lhe contar toda a verdade para poder viver um romance sem culpa de parecer algo incestuoso. Rosa, porém, acaba se apaixonando por Bernardo (Thiago Gagliasso) e gerando o ódio de Helô (Letícia Colin), sua rival de surf e namorada do moço, formando um quarteto amoroso. Enquanto isso Stella nunca deixou de procurar a filha e, em um certo ponto, acaba descobrindo que Rosa é, na verdade, Drica. A garota passa a ter que lidar com a memória reprimida da infância, a nova família rica e o fato de ter duas mães que lhe amam. O retorno dela só não é comemorado por sua irmã de sangue, Isabela (Karen Marinho), que sempre se sentiu amargurada pela mãe ter deixado-a de lado toda a vida em busca de Drica.

Paralelamente, há a cômica história de "amor e ódio" de Verônica (Paloma Duarte) e Tom (Petrônio Gontijo). Ela é uma organizadora de casamentos sem sorte nos próprios romances, que vive utilizando roupas de luto sempre que chega ao fim um de seus desastrosos relacionamentos, enquanto ele é um advogado solitário que perdeu a mulher durante o parto de sua filha. Os dois se apaixonam à primeira vista, embora evitem isso pelas personalidades fortes, criando situações humoradas em suas guerras contra a paixão.[36] Ainda há a história de Nina (Juliana Silveira), uma moça que foi estudar nos Estados Unidos há alguns anos e se tornou uma grande estrela da música pop sob o nome artístico de Lucky Star, utilizando figurinos fashionistas e perucas para preservar sua verdadeira identidade. Ela retorna ao Brasil para tentar contar à família sobre sua carreira musical, uma vez que ninguém sabe disso.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Elenco de Luz do Sol

Luma Costa interpreta "Rosa", uma jovem surfista que trabalha como vendedora de camarão no espeto, na praia de Saquarema, com aqueles que acredita ser sua família: Agenor (Leonardo Brício), Eliana (Patrícia França) e Vicente (Eduardo Pires). Seus verdadeiros pais, Stella (Luiza Tomé) e Freddy (Giuseppe Oristânio) procuram-na desde que desapareceu, quando tinha apenas cinco anos. Em Saquarema, Rosa se vê numa das pontas de um triângulo amoroso completado por Helô (Letícia Colin), uma das vilãs da história, e Bernardo (Thiago Gagliasso)[5][16].

Paloma Duarte e Petrônio Gontijo interpretam, respectivamente, Verônica e Tom. Embora ambos sejam pais solteiros, possuem vidas bastante opostas: ela é dona de uma agência especializada em organizar casamentos[19] e ele, um advogado especializado em realizar divórcios.[37] Nathália Rodrigues interpreta Laura, uma promotora de justiça obcecada pelo caso, até então não resolvido, do desaparecimento da filha de Stella e Freddy.[38]

Música[editar | editar código-fonte]

Luz do Sol
Trilha sonora de vários artistas
Lançamento 1 de janeiro de 2007 (2007-01-01)
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s) Sony BMG

Tendo como música-tema a canção homônima "Luz do Sol", de Jorge Vercilo, a telenovela tem um álbum com 14 faixas lançado contendo parte de sua trilha sonora:[39][40]

N.º Título Cantor(a) Duração
1. "Luz do Sol"   Jorge Vercilo  
2. "Garota Dourada"   Felipe Dylon  
3. "Eu Não Sei Dizer Que Eu Não Te Amo"   Edson & Hudson  
4. "Ovelha Negra"   Twiggy  
5. "Desentoa"   Cachorro Grande  
6. "Sol de primavera"   Leonardo  
7. "Quero Ver"   Maskavo  
8. "Essa Ternura"   Eliana  
9. "Spot Light"   Sidney Magal  
10. "Serenata"   Peppino di Capri  
11. "Será Você"   Vinny  
12. "Longe Demais"   Alceu Valença  
13. "Depois do Surf"   Raphael Lós  
14. "Tô Bolado"   WWW  

Exibição e repercussão[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Em sua estreia, Luz do Sol registrou 12 pontos com picos de 18 na medição do Ibope ante 15 da estreia de sua antecessora, Bicho do Mato.[41][42][43] Para barrar a repercussão do talent show Ídolos, exibido pelo SBT, Luz do Sol passou a ser exibida às 22h após o fim de Vidas Opostas, mantendo o segundo lugar na audiência.[42][44][45] Seu último capítulo registrou 16 pontos e a média geral da produção ficou em 13 pontos.[46][47] Os resultados foram considerados satisfatórios em comparação com a antecessora, Bicho do Mato, que marcara a mesma média, porém insatisfatórios em comparação com Vidas Opostas, exibida na mesma época pela emissora às 22h, a qual chegou ao fim com 25 pontos e deixou a Record na liderança no horário.[48]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Luíza Tomé (esquerda) e Petrônio Gontijo (direita) foram elogiados por suas atuações e descritos como pontos altos de Luz do Sol.[37]

Luz do Sol recebeu críticas positivas dos profissionais especializados. Carmen Pompeu, do jornal Folha de S.Paulo, apontou que a novela trabalhava elementos tradicionais aprovados pelo público, mas que estes "receberam uma nova roupagem com o objetivo de agradar à audiência dos dias atuais".[49] A revista IstoÉ Gente elogiou texto de Ana Maria Moretzsohn e disse que ela não procurava tramas mirabolantes ou complicações, como as novelas da época, produzindo um "folhetim tradicional" que era apontado como uma "novela para toda a família".[50] Gabriela Germano, do portal Terra, analisou que a novela era "voltada só àqueles que querem sentar e relaxar" em comparação ao ritmo frenético da outra produção da emissora na época, Vidas Opostas, que apostava em ação e em uma temática voltada às comunidades carentes.[51] Ela também elogiou as atuações de Luiza Tomé e Giuseppe Oristânio.[50][51]

Mário Viana, do jornal Estado de S. Paulo, disse que o casal formado por Petrônio Gontijo e Paloma Duarte era o ponto alto da novela, comparando-os aos jovens da vida real e dizendo que era "um dos mais legais das novelas brasileiras" em âmbito geral, alegando que as cenas dos dois lembravam filmes da década de 1940, com "diálogos mordazes, rápidos, certeiros" e cenas de "cão e gato" cobertas de acidez.[37] O jornalista finalizou sua análise positiva dizendo que: "casal bom é casal que bate boca, arma um barraco, dá vexame. Tudo bem, a gente está careca de saber que eles vão trocar um beijão definitivo lá pelo segundo bloco do último capítulo, mas o que interessa é vê-los feito gato e rato ao longo de centenas de dias".[37]

Referências

  1. Thell de Castro. «Tele História - Luz do Sol». Consultado em 5 de dezembro de 2011. 
  2. Paulo Ricardo Moreira (9 de março de 2007). «Record lança novela em clima de euforia pelo 2º lugar». Revista da TV. O Globo. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  3. Douglas (29 de março de 2015). «“Luz do Sol” será a próxima reprise da Rede Família». TV Foco. Consultado em 29 de março de 2015. 
  4. Agência Futebol Interior (6 de abril de 2015). «“Camarote RF” desta 2ª Feira recebe novo treinador do Guarani». Futebol Interior. Consultado em 10 de abril de 2015. 
  5. a b «'Luz do Sol' estréia na Record; saiba quem é quem na trama». Terra. 20 de março de 2007. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  6. Cristina Padiglione. (11 de julho de 2005). "Novela de Lauro César na Record será gravada em SP". Estado de S.Paulo. Visitado em 27 de julhode 2011.
  7. Simone Mousse. (9 de outubro de 2005). "Reconstruindo Brasília em São peido". O Globo. Visitado em 27 de julho de 2011.
  8. (1 de junho de 2005) "Entrelinhas". O Estado de S.Paulo. Visitado em 27 de julho de 2011.
  9. Keila Jimenez. (3 de outubro de 2005). "Record aluga cidade cenográfica". Estado de S.Paulo. Visitado em 27 de julho de 2011.
  10. Keila Jimenez. (10 de janeiro de 2006). "Record inicia Cidadão Brasileiro". O Estado de S.Paulo. Visitado em 27 de julho de 2011.
  11. Simone Mousse. (10 de janeiro de 2006). "Luzes, Câmera, Ação!". O Globo. Visitado em 27 de julho de 2011.
  12. Thiago Stivaletti (7 de março de 2006). «Com "Cidadão Brasileiro", Record gasta o dobro de "Prova de Amor"». UOL. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  13. Giovani Lettiere (17 de novembro de 2006). «Marcílio: 'Vidas opostas' tem potencial para 30 pontos de audiência». O Globo. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  14. a b «Bicho do Mato e Cidadão Brasileiro mantém Record na vice-liderança do horário». areavip. 22 de agosto de 2006. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  15. Redação O Globo (6 de março de 2007). «Record muda horário de novela e tira pontos de 'Paraíso tropical'». O Globo. oglobo.globo.com. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  16. a b Rafael Simi. «Novela 'Luz do sol', que estréia nesta quarta, aposta em jovens atores que buscam o sucesso». Revista da TV. O Globo. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  17. a b Mousse, Simone. (10 de janeiro de 2006). "Luzes, Câmera, Ação!". O Globo. Visitado em 31 de janeiro de 2011.
  18. "A ficção chega à Barra". Jornal do Brasil. Visitado em 8 de agosto de 2011.
  19. a b c Redação Terra (21 de março de 2007). «Luz do Sol: Paloma Duarte estréia sua segunda protagonista na Record». Gente & TV. Terra. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  20. Jimenez, Keila. (10 de janeiro de 2006). "Record inicia Cidadão Brasileiro". O Estado de S.Paulo. Visitado em 31 de janeiro de 2011.
  21. a b c Laura Mattos. . "Record planeja gravar a sua nova novela em um cruzeiro marítimo". Folha de S.Paulo. Visitado em 27 de novembro de 2011.
  22. Marthe, Marcelo. (2 de setembro de 2005). "Enquanto isso, na outra novela...". Veja 1 (1959). Editora Abril. Visitado em 31 de janeiro de 2011.
  23. a b Castro, Daniel (1 de maio de 2006). Autor pede "a cabeça" de diretor novela. Folha de S. Paulo. Acessado em 12 de fevereiro de 2011
  24. Cimino, James (18 de maio de 2006). Diretor de "Cidadão Brasileiro" deixa a novela. Folha de S. Paulo. Acessado em 12 de fevereiro de 2011
  25. «Cabo de Guerra».  Acessado em 12 de fevereiro de 2011
  26. a b Ricco, Flávio (25 de maio de 2006). O prejuízo das mudanças. O Povo. Acessado em 12 de fevereiro de 2011
  27. «Atriz sai de "JK" para "Cidadão Brasileiro"».  11 de abril de 2006. Folha de S. Paulo. Acessado em 12 de fevereiro de 2011.
  28. «Diretor de Cidadão Brasileiro sai da novela».  Estadão. Acessado em 12 de fevereiro de 2011
  29. «Cidadão Brasileiro - Bastidores».  Teledramaturgia. Telenovela.com.br. Acessado em 12 de fevereiro de 2011
  30. Shaonny Takaiama. (13 de fevereiro de 2007). "Record tenta inovar". O Estado de S. Paulo.
  31. (19 de julho de 2006) "Entrelinhas". Estado de S. Paulo.
  32. a b (27 de novembro de 2006) "Record monta elenco de nova trama". Estado de S. Paulo. Visitado em 2 de agosto de 2011.
  33. «Atriz "esnoba" a Globo e assina com a Record». Terra. 12 de fevereiro de 2006. Consultado em 9 de dezembro de 2013. 
  34. "Cara de boneca, alma de atriz". Zero Hora. Visitado em 27 de novembro de 2011.
  35. "Entrelinhas". Estado de S. Paulo. Visitado em 27 de novembro de 2011.
  36. Fabio Dobbs (21 de março de 2007). «Record investe em praia para superar 'Paraíso Tropical'». Terra. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  37. a b c d Mário Viana (19 de julho de 2007). «Entre tapas e beijos...». Estado de S. Paulo. Consultado em 25 de novembro de 2011. 
  38. Gabriela Germano (30 de setembro de 2007). «"Ofereço meu potencial de atriz e não meu corpo", diz atriz». Terra. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  39. «Trilha sonora de Luz do Sol». Teledramaturgia.com.br. Consultado em 27 de julho de 2011. 
  40. «Luz do Sol - Trilha Sonora». Americanas.com. Consultado em 28 de setembro de 2013. 
  41. «Ibope: Amor e Intrigas registra 12 pontos na estréia». Estrelando. Consultado em 14 de outubro de 2011. 
  42. a b «A esperança ofuscada pela luz do sol». NaTelinha. natelinha.uol.com.br. 30 de março de 2007. Consultado em 25 de novembro de 2011. 
  43. «Bicho do Mato estreia com bons índices de audiência e garante a vice-liderança». Areavip.com.br. 
  44. «Record X SBT: Briga entra em momento crítico». NaTelinha. natelinha.uol.com.br. 21 de abril de 2007. Consultado em 25 de novembro de 2011. 
  45. Fernando Oliveira. «Record pede mais ação». IstoÉ Gente. Consultado em 25 de novembro de 2011. 
  46. «'Amor e Intrigas' estréia com 12 pontos no Ibope». Terra. Consultado em 14 de outubro de 2011. 
  47. «'Amor e Intrigas' chega ao fim». Estado de S. Paulo. estadao.com.br. 19 de julho de 2008. Consultado em 25 de novembro de 2011. 
  48. «Final de 'Vidas Opostas' bate recorde de audiência». Estadão. 29 de agosto de 2007. Consultado em 18 de fevereiro de 2016. 
  49. Carmen Pompeu. «"Luz do Sol" dá nova roupagem a velhos sucessos dos anos 80». Folha de S.Paulo. Consultado em 25 de novembro de 2011. 
  50. a b «Novela para toda a família». Consultado em 25 de novembro de 2011. 
  51. a b Gabriela Germano (1 de abril de 2007). «Com história agradável, 'Luz do Sol' peca pela mesmice». Consultado em 25 de novembro de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]