Lycium barbarum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Goji. (desde janeiro de 2018)
Se discorda, discuta sobre esta fusão aqui.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaLycium barbarum
Lycium barbarum
Lycium barbarum
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Solanales
Família: Solanaceae
Género: Lycium
Espécie: L. barbarum
Nome binomial
Lycium barbarum
L.

Lycium barbarum também catalogado como Lycium chinense (em chinês tradicional: 寧夏枸杞; pela pinyin: gǒuqǐ Níngxià), é uma espécie de planta Fanerógama macrofanerofita da família Solanaceae, originária da China, tendo sido introduzida e largamente cultivada na Europa. Foi primeiramente descrita por Linneu em seu livro Species Plantarum de 1753.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

É um arbusto de cerrado que atinge entre 2 e 3 metros de altura e entre 2 e 3 metros e meio de espessura. Possui galhos espinhosos e folhas longas, inteiriças e um pouco ásperas. Suas flores, que podem ser de cor rosa ou violeta, tem um cálice acompanhado por uma corola com cinco lóbulos. Seu fruto é uma baga ovóide e carnosa e cor vermelha ou alaranjada A planta em si e suas bagas são popularmente conhecidas como Goji, Goji berries ou cerejas de Goji.

Variedades[editar | editar código-fonte]

Bagas maduras de goji na província de Zhongning, Ningxia, China.

Tem uma longa tradição de uso na medicina oriental das ervas. Em vários estudos científicos realizados sobre a planta atualmente, foram encontradas mais de 41 espécies diferentes de goji , havendo algumas espécies mais produtivas do que outras . Uma das variedades mais populares pela qualidade de frutos que produz é a variedade Ningxian, cujas bagas são frequentemente vendidas secas.

Cultivo[editar | editar código-fonte]

É comercialmente cultivada principalmente no norte da China, principalmente na região de Ningxia, ao longo das planícies férteis do Rio Amarelo. Quando frutos maduros são muito delicados, a colheita deve ser feita com muito cuidado, manualmente por "ordenha", ou ramos "varrendo" os ramos. As bagas frescas são comercializadas especialmente secas, o processo de secagem é realizado ao sol ou, mais recentemente, por secagem mecânica. A China é responsável por quase metade da produção mundial; não havendo cultivo nem no Tibete nem no Himalaia. No sudeste da Espanha (nas províncias de Almería, Murcia e Alicante) crescem duas espécies do gênero Lycium: Lycium europaeum L. e Lycium intricatum , que são conhecidas popularmente como Cambrón. Ela é usada como limite de terras e como proteção, devido aos seus espinhos afiados e ramos emaranhados.[2]

Composição[editar | editar código-fonte]

Entre suas substancias nutritivas, destacam se: [carece de fontes?]

Propriedades[editar | editar código-fonte]

Tem sido atribuídas várias propriedades medicinais às bagas de goji, entretanto, vários artigos científicos tem contestado o aval cientifico dessas supostas propriedades.[3]

Referências

  1. «Lycium barbarum L» (em inglês). Tropicos. Consultado em 13 de janeiro de 2015. 
  2. Patro , Raquel (12 de agosto de 2013). «Goji – Lycium barbarum». Jardinheiro.net. Consultado em 13 de janeiro de 2015. 
  3. Victoria Muñoz , Prof. Emilio Martínez de (19 de maio de 2010). «Las bayas de Goji contienen los mismos nutrientes que las frutas y verduras, salvo "un importante efecto placebo"». Universidad de Granada (ugr) (em espanhol). secretaria general. Consultado em 13 de janeiro de 2015.