Lygodiaceae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Lygodiaceae pertence a classe Polypodiopsida, ordem Schizaeales possuindo apenas um gênero Lygodium. Dentro deste gênero há aproximadamente 30 espécies, que estão distribuídas em regiões tropicais da África, Ásia e Américas. Há também espécies no leste da Ásia e América do Norte.

Domínios e estados de ocorrência no Brasil [1][editar | editar código-fonte]

No Brasil, ela se encontra em todos estados, apesar de não ser endêmica. Norte (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins);Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe); Centro-Oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso); Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo); Sul (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina).

Morfologia [2][editar | editar código-fonte]

É uma samambaia trepadeira que tem crescimento com eixo, de onde as folhas compostas se originam (raque). Seu caule possui tricomas e cresce emitindo brotos de maneira rastejante bem junto ao seu hospedeiro ou solo (reptante). O arranjo das nervuras na lâmina foliar possui comunicação entre seus canais, sendo conhecida como venação, estas são livres ou anastomasadas. Possui esporângio piriforme e um falso crescimento membranáceo da epiderme da folha de samambaia que recobre os soros conhecidos como pseudo-indúsio. Seu pecíolo é cilíndrico, pinas alternas, pseudodicotomicamente ramificadas formando pínulas, gema presente na ramificação, pínulas palmado-lobadas ou pinado-divididas e podem chegar até 30 metros de comprimento.

Relação Filogenética [3][editar | editar código-fonte]

Ligodiaceae pertence a classe das Polypodiopsida, conhecidas também por samambaias leptosporangiadas (Leptosporangiatae). Todas Polypodiopsida compartilham a seguinte sinapomorfia: a parede do esporângio com 1 célula de espessura, com anel. Todas as famílias (ao todo são 33), menos a Osmundaceae possuem a característica do esporângio derivado de uma única célula inicial, com número de esporos reduzidos.

A família Ligodiaceae é grupo-irmão das famílias Anemiaceae e Schizaeaceae que compõe a ordem Schizaeales, além de compartilhar um anel transversal e subapical, possui folhas entrelaçadas, sendo a apomorfia dentro da família.

Polypodiopsida compõe um grupo monofilético, mas algumas famílias possuem poucas características bem definidas, o que indica a possibilidade de mais estudos moleculares e morfológicos.

Espécies Brasileiras[4][editar | editar código-fonte]

Lygodium volubile - América do Norte, América Central, Caribe.

Lygodium venustum - Nordeste do Brasil.

Curiosidades[5][editar | editar código-fonte]

Alguns estudos recentes mostram que Lygodium pode ser utilizada em medicina tradicional, para tratamento de diversas patologias, como dores musculares, reumatismo, inflamações, ginecobstétrica, etc.

Referência[editar | editar código-fonte]

RAVEN, P.H., EVERT, R.F. & EICHHORN, S.E. Biologia Vegetal, 5a. ed. Coord. Trad. J.E.Kraus. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro. 1996. p. 304.

  1. «Flora das cangas da Serra dos Carajás, Pará, Brasil: Lygodiaceae url=http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-78602016000501163» 
  2. «Lygodiaceae M.Roem url=http://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/listaBrasil/ConsultaPublicaUC/BemVindoConsultaPublicaConsultar.do?invalidatePageControlCounter=1&idsFilhosAlgas=%5B2%5D&idsFilhosFungos=%5B1%2C10%2C11%5D&lingua=&grupo=12&familia=91479&genero=&especie=&autor=&nomeVernaculo=&nomeCompleto=&formaVida=null&substrato=null&ocorreBrasil=QUALQUER&ocorrencia=OCORRE&endemismo=TODOS&origem=TODOS&regiao=QUALQUER&estado=QUALQUER&ilhaOceanica=32767&domFitogeograficos=QUALQUER&bacia=QUALQUER&vegetacao=TODOS&mostrarAte=SUBESP_VAR&opcoesBusca=TODOS_OS_NOMES&loginUsuario=Visitante&senhaUsuario=&contexto=consulta-publica» 
  3. SIMPSON, Michael G. titulo=Plant Sistematics 2 USA:Academic Press, 2010.100-122p. [S.l.: s.n.]  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. «Flora das cangas da Serra dos Carajás, Pará, Brasil: Lygodiaceae url=http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-78602016000501163» 
  5. «EFEITO ANTIFÚNGICO E ATIVIDADE MODULADORA DE LYGODIUM VENUSTUM SW url=https://www.revistas.uneb.br/index.php/ouricuri/article/view/6426/4061»  line feed character character in |titulo= at position 63 (ajuda);