Lynda Carter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lynda Carter
Lynda Carter em 2011 na Phoenix Pride
Nome completo Lynda Jeán Córdoba Carter
Nascimento 24 de Julho de 1951 (62 anos)
Phoenix, Arizona, EUA
Cônjuge Ron Samuels (1977-1982)
Robert A. Altman (1984 - atualmente)
Atividade 1974 - atualmente
Página oficial
IMDb: (inglês) (português)

Lynda Jean Córdoba Carter (Phoenix, 24 de julho de 1951) é uma atriz norte-americana. Ficou famosa no papel-título da amazona na série de TV de aventura e fantasia Mulher-Maravilha, exibida originalmente de 1976 a 1979.

Origens[editar | editar código-fonte]

Nascida no estado do Arizona.[1] Seu pai, Colby Carter, é um caucasiano norte-americano e sua mãe, Juana Córdoba, mexicana. Durante sua infância, Lynda foi uma ávida leitora das histórias em quadrinhos de Mulher-Maravilha. Freqüentou as instituições de ensino Globe High School em Globe (Arizona) e Arcadia High School em Phoenix, e daí para a Arizona State University, a qual deixou após ser eleita a aluna mais talentosa, seguindo carreira musical. Ela fez turnês como cantora para diversas bandas de rock (uma delas incluindo Gary Burghoff, o "Radar" do filme e série de TV Mash), até que voltou ao Arizona em 1972.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como Mulher Maravilha em foto de 1976

Lynda inscreveu-se em um concurso de beleza local e obteve fama nacional pela primeira vez ao ganhar o título de Miss Mundo EUA, em 1972, representando o Arizona.[2] Como candidata dos Estados Unidos ao Miss Mundo, ela chegou às semifinais. Após freqüentar aulas de interpretação em diversas escolas dramáticas de New York, ela começou a fazer aparições em programas de TV como Starsky & Hutch: Justiça em Dobro!, Cos e Nakia e "filmes B" como Bobby Jo And The Outlaw (1976). Contudo, sua carreira de atriz não decolaria até ela estrear em seu papel de protagonista na série de televisão Mulher-Maravilha. Sua interpretação perfeita ganhou-lhe a estima dos fãs e a apreciação da crítica, fazendo a série durar por três temporadas. Mais de três décadas após ter estreado neste papel, Lynda continua a ser imediatamente identificada como a Mulher-Maravilha, tanto que tornou-se difícl para os produtores encontrarem uma candidata adequada para interpretar a personagem nas subseqüentes produções canceladas (a mais recente tentativa foi anunciada em 2005). Os outros créditos de Lynda incluem o papel-título na biografia para TV de Rita Hayworth e diversos especiais para a televisão. Também estrelou em duas séries de TV de curta duração: Jogo de Damas (Partners in Crime), com Loni Anderson e Nas Garras do Falcão (Hawkeye). No final dos anos 70s, ela gravou o álbum Portrait e fez várias aparições como convidada em programas de variedades musicais. Também cantou duas de suas canções no episódio de Mulher-Maravilha Amazon Hot Wax.

Em 2001, Lynda estrelou a comédia de baixo-orçamento Os Super-Tiras, como a Governadora Jessman do Estado de Vermont. Os roteiristas do filme, a trupe cômica Broken Lizard e o membro e diretor Jay Chandrasekhar, queriam Lynda especificamente para o papel, com planos-reserva de abordar outras estrelas de TV doas anos 70s caso Lynda recusasse. Outra rara aparição de Lynda no cinema em anos foi em na refilmagem para a telona de Os Gatões: Os Gatões: Uma Nova Balada, em 2005, também dirigido por Chandrasekhar. No mesmo ano, ela também apareceu no filme Escola de Super-Heróis, como Diretora Powers. O roteiro deu à Lynda a oportunidade de fazer piada com sua personagem mais famosa quando diz: "Não sei mais o que fazer com vocês, crianças. Não sou a Mulher-Maravilha."

Lynda também dublou vários videogames, fazendo as vozes das personagens femininas Nord e Orsimer (Orc) em dois jogos para computador da série The Elder Scrolls: The Elders Scrolls III: The Morrowind e The Elders Scrolls IV: The Oblivion. Desenvolvidos pela Bethesda Softworks, da qual seu marido Robert Altman (não confundir com o falecido diretor de Hollywood homônimo) é presidente e CEO. De 26 de setembro a novembro de 2005, Lynda interpretou o papel de Mama Morton na produção do West End London de Chicago.[3]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Lynda casou-se duas vezes. Seu primeiro casamento foi com o então agente Ron Samuels a 28 de maio de 1977. Divorciaram-se em 1982. Lynda casou-se com o então advogado Robert A. Altman a 29 de janeiro de 1984. Eles tem dois filhos: James Altman e Jessica Altman.[2]

Mulher Maravilha: Nova versão 2011[editar | editar código-fonte]

Lynda Carter acha que Sandra Bullock é a escolha perfeita para interpretar Mulher Maravilha.

Ela continua:

"Ela tem exatamente o tipo de personalidade e de alguma forma ela teria sido abalada pelo rumor de que eu teria dito que ela era muito velha. Isso é um absurdo - não é verdade. Ela é forte e feminina. E a Mulher Maravilha tem de ser acessível".

2011: Novo Projeto para Televisão[editar | editar código-fonte]

Segundo notícias, em outubro de 2010, a Warner Bros. Television teria contratado o escritor-produtor David E. Kelley para lançar uma nova série de televisão de Mulher-Maravilha para exibição em rede. Todas as grandes redes recusaram a série, mas a NBC, a rede que inicialmente teria recusado o projeto, anunciou que tinha encomendado um piloto em 21 de Janeiro de 2011. A trama é descrita como "uma reinvenção do ícone da D.C. Comics, em que a Mulher Maravilha - também conhecida como Diana Prince - é uma justiceira do crime/vigilante em Los Angeles, mas também uma executiva de sucesso na vida empresarial e uma mulher moderna, tentando equilibrar todos os elementos de sua vida extraordinária".

Referências

  1. WIC Biography – Lynda Carter. Women's International Center. Página visitada em 2006-05-04.
  2. a b Lynda Carter: the woman behind the superhero. Lifetime Television for Women. Página visitada em 2006-05-04.
  3. The British Theater Guide. Página visitada em 2006-05-12.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.