Lyudmila Putina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Putina conversando com o presidente estadunidense George W. Bush, em 2002.
Ludmila Putina

Lyudmila Aleksandrovna Putina (em russo: Людми́ла Алекса́ндровна Пу́тина, Caliningrado,  União Soviética, 6 de janeiro de 1958) é uma linguista russa que foi primeira-dama de seu país entre 1999 e 2013, quando anunciou o divórcio de seu marido, Vladimir Putin. Putina é fluente em alemão e espanhol.

É diplomada em letras, pela Universidade Federal de Leningrado, onde conheceu Putin. Trabalhou como hospedeira (aeromoça, no Brasil) na Aeroflot e, entre 1990 e 1994, ensinou alemão na Universidade. Viveu na Alemanha Oriental, onde nasceram suas filhas Maria (no dia 28 de abril de 1985, em Leningrado, hoje, São Petersburgo) e Ecaterina (no dia 31 de agosto de 1986, em Dresden, Alemanha).

A 6 de junho de 2013, Ludmila anunciou publicamente o divórcio de Vladimir Putin, após anos de especulações, já que a primeira-dama raramente era vista ao lado do presidente. Diz-se, que sua filha Maria lhe deu um neto, nascido em Moscovo (Moscou, no Brasil), em dezembro de 2012. Mas esta informação não foi confirmada, quer pelo governo, quer pela família.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Lyudmila Putina
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.