Márcio Seligmann-Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde outubro de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Márcio Seligmann-Silva
Márcio em 2017
Nome completo Márcio Orlando Seligmann-Silva
Nascimento 1964 (52–53 anos)
São Paulo
Nacionalidade  Brasil
Ocupação Professor
Cargo Professor da UNICAMP
Página oficial
Currículo no Sistema Lattes

Márcio Seligmann-Silva (São Paulo, 1964) é um tradutor, teórico e crítico literário, além de professor universitário na UNICAMP. Foi o ganhador do Prêmio Jabuti de Literatura em 2006 e finalista na mesma premiação em 2000.[1][2]

Formou-se em História pela PUC-SP e tem mestrado em literatura alemã pela USP, doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada pela Universidade Livre de Berlim (1996), pós-doutorados pela PUC-SP (1998, CNPq e 1999, FAPESP), pós-doutorado pelo Zentrum für Literatur- und Kulturforschung Berlin (ZfL) (2002) e pós-doutorado pelo Departamento de Alemão da Universidade Yale (2005).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • Ler o Livro do Mundo. Walter Benjamin: romantismo e crítica poética, São Paulo: Iluminuras/FAPESP, 1999. 249 pp.
  • Leituras de Walter Benjamin, org. por Márcio Seligmann-Silva, São Paulo: Annablume/FAPESP, 1999. 210 pp. (Segunda edição, revista e ampliada, 2007)
  • Catástrofe e Representação, org. por M. Seligmann-Silva e A. Nestrovski, São Paulo: Escuta, 2000. 259 pp.
  • História, Memória, Literatura. O testemunho na era das catástrofes, org. por M. Seligmann-Silva, Campinas: Editora da UNICAMP, 2003. 555 pp.
  • Adorno, S. Paulo: PubliFolha, 2003. 108 pp.
  • O local da diferença. Ensaios sobre memória, arte, literatura e tradução, São Paulo: Editora 34, 2005. 357 pp.
  • Palavra e Imagem, Memória e Escritura, org. por M. Seligmann-Silva, Chapecó: Argos, 2006. 403 pp.
  • Para uma crítica da compaixão, São Paulo: Lumme Editor, 2009. 128pp. ISBN 9788362441141
  • A atualidade de Walter Benjamin e de Theodor W. Adorno, Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2009. 142pp.ISBN 978-85-200-0921-5.
  • Escritas da violência. Vol I. O testemunho, orgs. Márcio Seligmann-Silva, Jaime Ginzburg, F.Hardman, Rio de Janeiro: 7Letras, 2012.289pp. ISBN 9788575777503.
  • Escritas da violência. Vol II. Representações da violência na história e na cultura contemporâneas da América Latina, orgs. Márcio Seligmann-Silva, Jaime Ginzburg, F.Hardman, Rio de Janeiro: 7Letras, 2012. 186pp. ISBN 9788575777510 (v.2).
  • Imagem e Memória, org. Por Elcio Loureiro Cornelsen, Elisa Amorim Vieira e Márcio Seligmann-Silva, Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2012.448pp. ISBN: 9788577581221.

Traduções[editar | editar código-fonte]

  • Walter Benjamin, O Conceito de Crítica de Arte no Romantismo Alemão (tradução, introdução e notas), São Paulo: Iluminuras/ EDUSP, 1993. Coleção Biblioteca Pólen. 146 pp.
  • G.E. Lessing, Laocoonte. Ou sobre as Fronteiras da Poesia e da Pintura (introdução, tradução e notas), São Paulo: Iluminuras/Secretaria de Estado da Cultura, 1998. 318 pp.
  • J. Habermas, A Constelação pós-nacional. Ensaios políticos, São Paulo: Littera Mundi, 2001. 220 pp.
  • Philippe Lacoue-Labarthe e Jean-Luc Nancy, O mito nazista, São Paulo: Iluminuras, 2002. 93 pp. ISBN 85-7321-151-2. (Coleção Testemunhos)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2006 Primeiro Lugar, Prêmio Jabuti 2006 na categoria Melhor Livro de Teoria/Crítica Literária com o livro O Local da Diferença, Editora 34, 2005., Câmara Brasileira do Livro.[1]
  • 2000 Prêmio Mario de Andrade de Ensaio Literário pelo livro Ler o Livro do Mundo, Iluminuras, 1999., Fundação Biblioteca Nacional/Departamento Nacional do Livro.[3]
  • 2000 Finalista, Prêmio Jabuti, categoria Tradução pela tradução de G.E. Lessing, Laocoonte. Ou sobre as Fronteiras da Poesia e da Pintura. Iluminuras, 1998., Câmara Brasileira do Livro.[2]

Notas

  1. a b Strecker, Marcos (14 de setembro de 2006). «Ruy Castro e Milton Hatoum levam Jabuti». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. Consultado em 31 de outubro de 2017 
  2. a b «Finalistas do Prêmio Jabuti 2000». Folha de S.Paulo. Grupo Folha. 2 de março de 2000. Consultado em 31 de outubro de 2017 
  3. «Márcio Seligmann-Silva». Grupo Editorial Record. Consultado em 31 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]