Mário António Caldas de Melo Saraiva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mário Saraiva
Nome completo Mário António Caldas de Mello Saraiva
Nascimento 12 de maio de 1910
Guimarães
Morte 28 de maio de 1998 (88 anos)
Vilar (Cadaval)
Ocupação Médico, historiador, escritor e político

Mário António Caldas de Mello Saraiva (Guimarães, 12 de Maio de 1910 - Vilar (Cadaval), 28 de Maio de 1998) foi um médico, historiador, escritor e político português. Notabilizou-se em estudos sebastiânicos e pessoanos, e sobretudo em matéria doutrinária política iniciando o Neo-Integralismo Lusitano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do major José Augusto Saraiva afastado de serviço militar por ter proclamado a Monarquia do Norte (1919)[1] e de Maria José Caldas Mello[2].

Pertenceu ao quadro de médicos civis da Força Aérea Portuguesa e antes disso, nos inícios dos anos 40, ao lado de Mário Cardia no Jornal do Médico, fez, pela primeira vez em Portugal, a defesa de um Serviço Nacional de Saúde[3].

Acompanhou as organizações monárquicas desde os seus tempos escolares exercendo nelas vários cargos directivos, presidente da Junta Distrital de Lisboa da Causa Monárquica e membro da sua Comissão Doutrinária[4].

Foi fundador do movimento Renovação Portuguesa e da Biblioteca do Pensamento Político[5].

Em 1978, recebeu de Duarte Pio de Bragança a missão de constituir e secretariar o seu Conselho Privado que o fez até à sua morte[6].

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Claro dilema: monarquia ou república?, Edições Gama, 1944;
  • Os Pilares da Democracia, A.M. Teixeira, 1949;
  • Coordenadas do Poder Real, 1961;
  • Razões Reais, 1970;
  • A verdade e a mentira: algumas notas em resposta a "O integralismo e a República" de Carlos Ferrão, 1971;
  • Aliança Peninsular de António Sardinha, 1972;
  • Homens e Mulheres, 1975;
  • Às Portas da Cidade - Crítica e Doutrina, Lisboa, Edição do Autor, 1976;
  • Nosografia de D. Sebastião: revisão de um processo clínico, Delraux, 1980;
  • Outra democracia: uma alternativa nacional, Rei dos Livros, 1983;
  • Sob o nevoeiro: idéias e figuras, 1987;
  • O caso clínico de Fernando Pessoa, Edições Referendo, 1990;
  • Pessoa, ele próprio: novo estudo nosológico e patográfico, Clássica Editora, 1992;
  • Em tempo de mudança, Editora Cultura Monárquica, 1992;
  • D. Sebastião na história e na lenda, Universitária Editora, 1994;
  • Frontalidade: ideias, figuras e factos, Universitária, 1995;
  • Apontamentos: história, literatura, política, Universitária Editora, 1996;
  • Impressões e Memória, Universitária Editora, 1998;
  • Desenrolando fragmentos de memória, Universitária Ed., 2000;
  • Ideário, 2000.

A Sociedade Histórica da Independência de Portugal atribuiu o prémio “Livro 1997” à sua obra «Apontamentos – História, Literatura, Política»[7].

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]