Mário Maestri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mário Maestri
O prof. Maestri, depois de um seminário, na "Casa della Cultura", em Milão, 25 de maio de 1992
Nome completo Mário José Maestri Filho
Conhecido(a) por Os Senhores do Litoral
Nascimento 1948
Porto Alegre
Nacionalidade Brasil Brasileira
Alma mater Université Catholique de Louvain, UCL, Bélgica
Prêmios Prêmio Açorianos de Literatura (1995)
Orientador(es) Jean-Luc Vellut
Instituições Universidade de Passo Fundo, (UPF)
Campo(s) História, História do Brasil, História do Rio Grande do Sul
Tese O Escravo no Rio Grande do Sul

Mário José Maestri Filho (Porto Alegre, 1948) é um historiador brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Porto Alegre, em 1948, seu avô paterno era de Misano di Gera d'Adda, Itália; estudou história na UFRGS, prosseguiu o curso de história no Chile, de 1971 a 1973, como refugiado polítco, no Instituto Pedagogico da Universidade do Chile. Após o golpe de 11 de setembro de 1973, refugiou-se na Bélgica, onde se graduou e pós-graduou em Ciências Históricas, no "Centre de l'Histoire de l'Afrique" da Universidade Católica da Lovaina, defendendo dissertação de mestrado sobre a África negra pré-colonial e tese de doutoramento sobre a escravidão no Rio Grande do Sul.[2]; [3]

De volta ao Brasil lecionou, entre outras instituições, no programa de pós-graduação em História da UFRJ e da PUC-RS. É atualmente professor titular do programa de pós-graduação em História da Universidade de Passo Fundo (mestrado e doutorado), onde orienta trabalhos de pós-graduação em História, sobretudo sobre a história da escravidão colonial, da imigração colonial-camponesa, da economia pastoril, da arquitetura e da bacia do Prata, com destaque para a história do Paraguai e da guerra de 1864-1870. Foi correspondente internacional em Milão do jornal Diário do Sul (Grupo Gazeta Mercantil), de 1996-1998.

Mário Maestri participou da fundação do "Centro de Estudos Marxistas" do Rio Grande do Sul e da revista "História & Luta de Classes". Dirige a coleção Malungo, da FCM Editora, especializada em trabalhos sobre a escravidão colonial, com 30 livros já publicados.[4]

Livros Publicados[editar | editar código-fonte]

  • O escravo no Rio Grande do Sul: A charqueada escravista e a gênese do escravismo gaúcho. Porto Alegre: EST/ UCS, 1984;
  • Depoimentos de escravos brasileiros. São Paulo: Ícone, 1988;
  • História da África Negra pré-colonial. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988;
  • Servidão negra: trabalho e resistência no Brasil escravista. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988;
  • Lo schiavo coloniale: lavoro e resistenza nel Brasile schiavista. Trad. F. Carboni. Palermo: Sellerio, 1989. 170 pp.;
  • Storia del Brasile. Milano: Xenia, 1991;
  • L'Esclavage au Brésil. Trad. F. Carboni. Paris: Karthala, 1992;
  • Les négritudes aux Amériques: de l’esclavage à la mémoire retrouvée. Bruxelles: Maison de l'Amerique Latine; Passo Fundo, Ed.UPF, 1996. (Em parceria com Luz Garcia);
  • Terra do Brasil: A conquista lusitana e o genocídio tupinambá. 6 ed. São Paulo: Moderna, 1997;
  • Belo Monte: uma história da guerra de Canudos. 2 ed. São Paulo: Moderna, 1998. (Em parceria com José Rivair Macedo);
  • Por que Paulo Coelho teve sucesso. Porto Alegre: AGE, 1999. 110 pp.;
  • Cisnes negros: uma história da revolta da Chibata. São Paulo: Moderna, 2000. 112 pp.;
  • Castro Alves: genealogia crítica de um revisionismo. Passo Fundo: EdiUPF, 2000. 102 pp.; 2 ed. rev. e ampl. Passo Fundo: EdiUPF, 2001.;
  • I isgnori della montagna: la colonizazzione italiana nelle regione nord-occidentale del Rio Grande do Sul (Brasile) 1875-1914. Perugia: Guerra, 2001.;
  • Uma história do Brasil: A Colônia: Da descoberta à crise colonial. 3 ed. São Paulo: Contexto, 2001;
  • Uma história do Brasil: O Império: Da Independência à Abolição. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2001;
  • O sobrado e o cativo: a arquitetura urbana erudita no Brasil escravista. O caso gaúcho. Passo Fundo: EdiUPF, 2001;
  • O escravismo antigo. 20 e. São Paulo: Atual, 2002;
  • O escravismo no Brasil. 10 ed. São Paulo: Atual, 2002;
  • Deus é grande, o mato é maior! Trabalho e resistência escrava no Rio Grande do Sul. Passo Fundo: UPF Editora, 2002;
  • PÉRET, Benjamin. O quilombo dos Palmares. Organização, ensaios e comentário de M. Maestri e R. Ponge: Porto Alegre: EdiUFRGS, 2002;
  • Os senhores da Serra: a colonização italiana no Rio Grande do Sul. 3 ed. corrigida e ampliada. Passo fundo: EdiUPF, 2005;
  • O escravo no Rio Grande do Sul: Trabalho, resistência e sociedade. 3 ed. rev. e ampliada. Porto Alegre: UFRGS, 2006;
  • Antonio Gramsci: vida e obra de um comunista revolucionário. 2 ed. revista e ampliada. São Paulo: Expressão Popular, 2006. [Com Luigi Candreva];
  • A linguagem escravizada: língua, poder e luta de classes. 2 ed. corr. e ampliada. São Paulo: Expressão Popular, 2006. (Com a lingüista Florence Carboni);
  • O negro e o gáucho: estância e fazendas no Rio Grande do Sul, Uruguai e Brasil. Passo Fundo: UPF Editora, 2008. 275 pp.;
  • Breve história do Rio Grande do Sul: da Pré-História aos Dias Atuais. Passo Fundo : UPF Editora, 2010, v.1. pp.461.;
  • Peões, vaqueiros & cativos campeiros: estudos sobre a economia pastoril no Brasil. Passo Fundo: UPF Editora [CNPQ], 2010. T. II. (Org., com Solimar Oliveira Lima);
  • Peões, vaqueiros & cativos campeiros: estudos sobre a economia pastoril no Brasil. Passo Fundo: UPF Editora [CNPQ], 2010. T. I. (Org., com M.C. Brazil);
  • A guerra no papel: história e historiografia da Guerra no Paraguai (1864-1875). Porto Alegre: FCM; PPGH UPF, Passo Fundo, 2013;[5]
  • Os senhores do litoral : conquista portuguesa e genocídio tupinambá no litoral brasileiro. século XVI. [1995] 3 ed. revista e ampliada. Porto Alegre: UFRGS, 2013;

Referências

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]