Mãe Cleusa Millet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde novembro de 2015). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mãe Cleusa Millet
Nascimento 1923
Salvador
Morte 15 de outubro de 1997 (74 anos)
Sepultamento Brasil
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Federal da Bahia
Ocupação médica
Prêmios Ordem do Mérito Cultural
Religião Candomblé

Cleusa da Conceição Nazaré de Oliveira, conhecida por Mãe Cleusa de Nanã (Salvador,1923 — Salvador, 15 de outubro de 1997) foi a quinta Iyálorixá do Terreiro do Gantois. Foi sucedida por sua irmã Carmen de Oxalá.[1][2]

Mãe Cleusa e Mãe Carmem eram filhas de Mãe Menininha do Gantois, e netas de Maria da Glória Nazareth a terceira Iyálorixá do mesmo Terreiro.

No Gantois, quem assume o lugar da mãe é a filha mais velha, essa é a tradição da casa. Segundo Julio Braga: "Historicamente, o Gantois é um candomblé familiar de tradição hereditária consanguínea, em que os regentes são sempre do sexo feminino".

Mãe Cleusa construiu toda uma vida no candomblé, tendo se iniciado na religião e ajudado a mãe a comandar o centro. Casou-se com um oficial da Marinha e com ele teve três filhos: Mônica, Zeno e Álvaro. Morou na Cidade do Rio de Janeiro, e lá passou a exercer sua profissão, já que estudou muito durante a vida e passou no vestibular de Medicina na Universidade Federal da Bahia, e seu primeiro emprego foi na profissão em que se formou, obstetra.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.