Mênon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis e independentes (desde Novembro de 2011). Fontes primárias, ou com conflitos de interesse, não são adequadas para verbetes enciclopédicos. Ajude a incluir referências.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Mênon é um dos diálogos de Platão que ocupa-se com a virtude.

Neste, Platão investiga a natureza do conhecimento, argumentando que a mente, ou a alma, tem atravessado muitas existências, tanto dentro como fora dos corpos. O conhecimento consiste em lembrar-se destas experiências anteriores.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Os personagens do diálogo são Meno, da Tessália, Sócrates, um escravo de Meno e Anytus.[1] Menon é o nome de vários personagens importantes da Tessália, como Menon, pai de Fítia, a mãe de Pirro.[2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • WEATE, Jeremy. Filosofia para Jovens (4ª ed.). São Paulo: Callis, 1999. ISBN 85-7412-053-7 p. 51.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikisource Textos originais no Wikisource

Referências

  1. Platão, Meno [em linha]
  2. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Pirro, 1.3 [em linha]

¤ Não é da autoria de Platão segundo a maioria dos estudiosos Não é geralmente aceito pelos estudiosos Somente trechos têm a autoria comprovada

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.