Mísia (cantora)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a região da Grécia Antiga, veja Mísia.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mísia
Misia-01.jpg
Informação geral
Nome completo Susana Maria Alfonso de Aguiar
Nascimento 18 de junho de 1955 (63 anos)
Origem Porto
País Portugal Portugal
Gênero(s) Fado
Instrumento(s) Voz
Página oficial misia-online.com

Mísia, nome artístico de Susana Maria Alfonso de Aguiar (Porto, 18 de Junho de 1955), é uma cantora portuguesa, considerada uma das mais importantes fadistas actuais.[1]


Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida Susana Maria Alfonso de Aguiar,[1] no Porto, filha de pai português e mãe catalã, a cantora deu uma nova roupagem à música tradicional lusitana.[carece de fontes?] Cantando em português, francês, napolitano, catalão e espanhol, mistura tendências, diferentes culturas e sons.[carece de fontes?]

O seu disco de estreia, "Mísia", é editado em 1991. O disco inclui canções de Joaquim Frederico de Brito, José Niza, José Carlos Ary dos Santos, Carlos Paião, entre outros.

Mísia ao vivo.

Em 1993 regressa com "Fado" que foi produzido por Vitorino Salomé e contém canções como "Liberdades Poeticas", de Sérgio Godinho, "Nasci Para Morrer Contigo", de António Lobo Antunes e Vitorino, "Fado Adivinha" de José Saramago e António Vitorino de Almeida e ainda versões de "Velhos Amantes", de Jacques Brel, de "As Time Goes By" e de "Nome de Rua" de Amália Rodrigues.

Novo álbum, "Tanto menos, tanto mais" é editado em 1995 e onde canta nomes como António Lobo Antunes, Fernando Pessoa ou João Monge.

O disco "Garras dos Sentido" foi editado em 1998. Canta poemas de Fernando Pessoa, Mário de Sá Carneiro, Natália Correia e António Botto e ainda de contemporâneos como José Saramago, Mário Cláudio, Agustina Bessa-Luís e Lídia Jorge. O disco recebeu em França o prémio Charles Cros. Lança o álbum "Paixões Diagonais" que conta com a colaboração da pianista Maria João Pires.

Em 2001 é editado "Ritual". Com base em canções de Carlos Paredes e poemas de Vasco Graça Moura lança "Canto" em 2003.

O álbum "Drama Box", editado em 2005, contou com a participação de Fanny Ardant, Miranda Richardson, Ute Lemper, Carmen Maura, Maria de Medeiros e Sophia Calle.

O disco "Ruas" (Lisboarium & Tourists) é editado em 2009.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1991Mísia
  • 1993Fado
  • 1995Tanto menos, tanto mais
  • 1998Garras dos Sentidos
  • 1999Paixões diagonais
  • 2001Ritual
  • 2003Canto
  • 2005Drama box
  • 2009Ruas (Lisboarium & Tourists)
  • 2011Senhora da Noite[2]
  • 2013Delikatessen Café Concerto
  • 2015 - Para Amália

Cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Fadista portuguesa se apresenta na Capital, Jornal do Comércio, 14 de Setembro de 2009 (página visitada em 22-3-2011).
  2. - www.misia-online.com

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mísia
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.