Mónica Calle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mónica Calle
Nascimento 05 de setembro de 1966 (52 anos)
Madrid
Nacionalidade Portugal Portugal
Ocupação Atriz
IMDb: (inglês)

Mónica Calle (Madrid, 5 de Setembro de 1966) é uma actriz e encenadora portuguesa.

Os criadores que mais marcaram a sua trajectória no teatro foram Pina Bausch (coreógrafa) e Tadeusz Kantor (encenador e teórico).

Em 1992 funda o grupo de teatro Casa Conveniente. O primeiro espetáculo foi "Virgem Doida". "Menina Júlia", "Jogos de Noite" e Os "Dias que nos Dão", de Luís Fonseca, e "Os Paraísos do Caminho Vazio de Rosa", de Liksom, marcaram a primeira década do grupo de teatro.

A Mónica Calle e ao dramaturgo Luís Fonseca juntaram-se mais tarde as atrizes Mónica Garnel e Ana Ribeiro e espetáculos como "Bar da Meia-Noite", "Três Irmãs - Que Importância é Que Isto Tem?" e "Um Dia Virá".

Em 2003 foi nomeada como melhor atriz de teatro nos Globos de Ouro. Em 2005 é nomeada como melhor atriz de cinema nos Globos de Ouro (SIC/Caras) pelo filmeA Costa dos Murmúrios.

Em 2010 fez O Filme do Desassossego, de João Botelho e em 2011 a curta-metragem A Divisão Social do Trabalho Segundo Adam Smith, realizada por Fátima Ribeiro. Foi nomeada para a XVII Gala dos Globos de Ouro, em 2012, pelo papel desempenhado na peça Recordações de uma Revolução, da Casa Conveniente[1].

Em 2015 entra no filme Cinzento e Negro de Luís Filipe Rocha. Por esse papel foi nomeada aos Prémio Autores, CinEuphoria, Prémios Aquila e Globos de Ouro.

Em 2017 estreia-se no Teatro Nacional D. Maria II, com a peça "Ensaio para uma Cartografia"[2]. Regressa à televisão na telenovela "Paixão" da SIC.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

1999/2000 A Lenda da Garça Telenovela RTP
2009/2010 Ele é Ela Série TVI
2012 Maternidade Série RTP
2016 Os Boys Série RTP
2017/2018 Paixão Telenovela SIC

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • 1993 - Aqui na Terra de João Botelho
  • 1994 - Casa de Lava de Pedro Costa
  • 1994 - Fado Majeur et Mineur
  • 2003 - Nós
  • 2003 - Antes Que o Tempo Mude de Luis Fonseca
  • 2004 — A Costa dos Murmúrios de Margarida Cardoso
  • 2006 - Absurdistant de Veit Helmer
  • 2007 - Sombras - Um Filme Sonâmbulo '
  • 2008 - Veneno Cura
  • 2010 - Filme do Desassossego de João Botelho
  • 2015 - Cinzento e Negro de Luis Filipe Rocha
Curtas
  • 2017 - Maria
  • 2016 - Morning Interim
  • 2012 - Esta Casa Ainda Existe
  • 2011 - A Divisão Social do Trabalho - Adam Smith
  • 2010 - Insert
  • 2008 - Corações Plásticos
  • 1999 - Chuva
  • 1999 - Golpe de Asa
  • 1992 - Lumen
  • 1990 - O Pomar

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • "Virgem Doida" (1992), enc. Amadeu Neves
  • "Jogos de Noite" (1994), enc. Mónica Calle
  • "Crónicas" (CCB, 1997, enc. Mónica Calle, a partir de António Lobo Antunes
  • "Os Paraísos do Caminho Vazio" (Culturgest, 1998) enc. Mónica Calle, de Rosa Liksom
  • "Os dias que nos dão" (1999), de Luís Fonseca, enc. Mónica Calle
  • "Bar da meia noite" (2000), enc. Mónica Calle, a partir de Fiama Hasse Pais Brandão
  • As lágrimas amargas de Petra von Kant" (2001) de R.W. Fassbinder, enc. Mónica Calle
  • "Três Irmãs - que importância é que isto tem?" (2003), enc. Mónica Calle) a partir de Tchékhov
  • "Un dia Virá" (2003) enc. Mónica Calle a partir de Beckett
  • "Luz Interior", de Mónica Calle em co-criação com Rita Só e Carlos Pimenta, a partir de textos de Peter Handke
  • "Lar Doce Lar" (2006) (Festival WAY, 2006)
  • "A Última Gravação de Krapp" (2007)
  • "Inferno" (2010)
  • "Recordações de uma Revolução" (2012)
  • "os Meus Sentimentos" (2013)
  • "Ensaio para uma Cartografia" (2017)

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • 1993. Se7e de Ouro Revelação de Teatro (jornal Se7e)
  • 1993. Prémio Actriz Revelação da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro (APCT) por "Virgem Doida"
  • 2005. Menção Especial da APCT por "Luz/Interior".
  • 2010. Menção Especial da APCT à Casa Conveniente pelo trabalho desenvolvido ao longo de 2009.
  • 2012. Prémio Autores SPA na categoria “Teatro – Melhor espetáculo” por “A Missão - Recordações de uma Revolução”.
  • 2012. Menção Especial da APCT à Casa Conveniente pelo Ciclo Heiner Müller 2011.
  • 2014. Menção Especial "Os meus sentimentos" pela Associação Portuguesa de Críticos de Teatro

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências