Músculo deltoide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o músculo. Para o quadrilátero, veja deltoide.
Músculo deltoide
Deltoideus.png
Músculo deltoide
Gray410.png
Músculos superficiais do peito e porção anterior do braço
Latim musculus deltoideus
Gray's pág.439
Origem terço lateral da clavícula, acrômio, espinha da escápula
Inserção    úmero (tuberosidade deltoidea)
Vascularização principalmente pela artéria umeral circunflexa posterior
Inervação Nervo axilar
Ações flexão, abdução e extensão do braço
Antagonista Músculo grande dorsal

O músculo deltoide, deltoideus,[1] é um músculo proeminente que recobre o ombro.[2] Tal nome deve-se à forma do músculo, que lembra a letra grega delta invertida.[3]

Possui três porções, que se dividem de acordo com a origem do feixe: a porção anterior (clavicular) fixa-se ao terço lateral da clavícula; a parte média (acromial) prende-se à margem lateral do acrômio da escápula e a parte posterior (espinal) origina-se na parte inferior da margem posterior da espinha da escápula.[1][2] As três partes convergem lateralmente para inserirem-se na tuberosidade deltoide do úmero.[4]

Biomecânica[editar | editar código-fonte]

Uma boa parte da força do músculo deltoide leva a translação do úmero para direção superior, levando à compressão das estruturas moles no espaço supraumeral entre a cabeça do úmero e o arco coracoarcomial.[5]

A sua atividade máxima se estabelece ao redor dos 90° de abdução, onde pode realizar sozinho o movimento de abdução.[6]

Função[editar | editar código-fonte]

É o principal levantador do braço, sendo capaz de movimentá-lo em todos os sentidos, inclusive no plano horizontal. É também responsável pela coesão das faces articulares do ombro.[3] Todas as porções trabalham juntas para a abdução do ombro. A porção anterior efetua a flexão e rotação medial e a porção posterior é extensora e rotadora lateral.[1][2] Estando o ombro abduzido em mais de 90°, as porções anterior e posterior contribuem para a adução do ombro.[4]

Referências

  1. a b c Calais-Germain, Blandine (2010). Anatomia para o movimento. volume 1: Introdução à análise das técnicas corporais 4ª ed. Barueri, SP: Manole. 132 páginas. ISBN 978-85-204-2529-9 
  2. a b c Carpes, Felipe Pivetta; Bini, Rodrigo Rico; Diefenthaeler, Fernando; Vaz, Marco Aurélio (2011). Anatomia funcional. São Paulo: Phorte. p. 43. ISBN 978-85-7655-305-2 
  3. a b Tittel, Kurt (2006). Anatomia descritiva e funcional do corpo humano. São Paulo: Santos. p. 143. ISBN 85-7288-548-X 
  4. a b Zalpour, Christoff; et al. (2005). Anatomia e fisiologia para fisioterapeutas. São Paulo: Santos. p. 319. ISBN 85-7288-533-1 
  5. Kisner, Carolyn (2016). Exercícios Terapêuticos: fundamentos e técnicas. 6ª ed. Barueri, SP: Editora Manole. p. 545. ISBN 978-85-2043677-6 
  6. Kapandji, A.I. (2000). Fisiologia Articular. V.01 5ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. p. 70. ISBN 85-303-0042-4 
Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.