Músculo tíreo-hióideo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde janeiro de 2016)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Músculo tiro-hioideu
Thyrohyoideus.png
Região ântero-lateral do pescoço com o músculo tiro-hioideu destacado a vermelho
Latim musculus tyrohyoideus
Origem {{{Origem}}}
Inserção    {{{Inserção}}}
Vascularização artéria tiroideia superior
Inervação nervo hipoglosso(XII)
Ações Abaixador do osso hióide ou elevador da laringe

O músculo tiro-hioideu é um músculo do pescoço, mais concretamente, do plano muscular médio da região anterior do pescoço, pertencendo ao grupo dos músculos infra-hioideus. É um músculo achatado em sentido ântero-posterior, de formato aproximadamente quadrilátero - pelo que recebe a classificação de curto -, que continua superiormente o músculo esterno-cleido-tiroideu.

Descrição[editar | editar código-fonte]

O músculo tireo-hioideo insere-se, em baixo, por fibras tendinosas nos tubérculos tiroideus e na faixa ligamentosa que os une, imediatamente acima da inserção do músculo esterno-tiroideu. Daqui, as fibras musculares dirigem-se na vertical e em relação de paralelismo entre si, para se inserirem, por fibras tendinosas muito curtas, no terço externo do bordo inferior e face posterior do corpo do osso hióide e na metade interna da face inferior do grande corno do mesmo osso.

Relações Anatómicas[editar | editar código-fonte]

A face anterior ou superficial do músculo tiro-hiodeu corresponde aos músculos esterno-tiroideu e omo-hioideu que lhe ficam anteriores, cobrindo-o, e do qual se encontram separados por um folheto da aponevrose cervical média.

A face posterior ou profunda repousa sobre a cartilagem tiroideia, da qual se encontra separada pela membrana visceral cervical, por um folheto da aponevrose cervical média e pelos vasos e nervos laríngeos superiores. Entre o músculo e a aponevrose encontra-se uma bolsa serosa denominada bolsa de Boyer, destinada a atenuar o atrito entre as fibras musculares e a cartilagem subjacente.

Vascularização[editar | editar código-fonte]

O músculo tiro-hioideu encontra-se irrigado por arteríolas provenientes dos ramos tiroideu e lingual da artéria tiroideia superior.

Inervação[editar | editar código-fonte]

Este músculo encontra-se inervado por um ramo próprio do grande nervo hipoglosso denominado nervo do tiro-hioideu. Este nervo pode, mais raramente, originar-se a partir do plexo cervical.

Acção[editar | editar código-fonte]

Actua conjuntamente com os demais músculos infra-hioideus como um abaixador do músculo hióide. No caso de este se encontrar fixo pelos músculos supra-hioideus, que funcionam como elevadores deste osso, o músculo tiro-hioideu funciona como elevador da laringe.

Variações Anatómicas[editar | editar código-fonte]

Músculo esterno-hioideu profundo[editar | editar código-fonte]

A faixa ligamentosa que une os tuberculos tiroideus e na qual se inserem os músculos tiro-hioideu e esterno-tiroideu, parece apresentar-se como uma estrutura análoga aos tendões intermediários do músculo grande recto do abdómen. Nesta perspectiva, os músculos esterno-tiroideu e tiro-hioideu são na realidade o mesmo e um só músculo, o esterno-hioideu profundo, que se encontraria interrompido na zona da cartilagem tiroideia por um tendão intermediário de inserção. A apoiar esta teoria surge o facto de algumas fibras de um músculo são contínuas com as do outro.

Músculo elevador do corpo tiroideu[editar | editar código-fonte]

Descrito por Sœmmering, é um feixe anómalo, rudimentar e atrofiado que, nascendo das inserções do tiro-hiodeu no osso hióide, se separe dos feixes principais deste para se dirigir a um qualquer outro ponto do corpo tiroideu. Não aparenta ter qualquer função.

Imagens adicionais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Testut, Léo; Latarjet, M. (1978). Tratado de Anatomia Humana (em espanhol). 1 (Osteologia, Artrologia, Miologia) 1ª ed. (Barcelona: Salvat Editores, S.A.). p. 829. ISBN 84-345-1144-2.  Parâmetro desconhecido |volumes= ignorado (|volume=) (Ajuda)
    * Rouvière, H.; Delmas, A. (1985). Anatomie Humaine. Descriptive, topographique et foncionnelle (em francês). 1 (Tête et Cou) 12ª ed. (Paris: Masson.). ISBN 2-225-80411-7.  Parâmetro desconhecido |volumes= ignorado (|volume=) (Ajuda)
    * G.Paturet. (1951). Traité d'Anatomie Humaine (em francês). 1 (De la tête et du cou) 12ª ed. (Paris: Masson.). ISBN 2-225-80411-7.  Parâmetro desconhecido |volumes= ignorado (|volume=) (Ajuda)
  • Esperança Pina, J.A. (1999). Anatomia Humana da Locomoção. Anatomia Humana Passiva (Osteologia e Artrologia) e Activa (Miologia) 3ª ed. (Lisboa: Lidel.). pp. 159–165. ISBN 978-972-9018-99-2.