Música da década de 1960

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde setembro de 2017). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde setembro de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

A década de 1960 compõe-se pelo período entre 1960 à 1969 marcado pelas manifestações socioculturais. Nessa época, o Rock and Roll começa a adquirir mais popularidade no mundo, ficando sua identidade e desenvolvendo novos estilos de rock, dando voz para jovens que pregavam a paz e principalmente, a liberdade.

É nesse período que acontece a famosa British Invasion (no Brasil, Invasão Britância) comandada pelos Beatles e reiterada por bandas como The Rolling Stones, The Who, entre outros.

Enquanto no Brasil, o estilo musical - aqui com o nome de “iê-iê-iê” em referência a música She Loves You do Beatles - se propaga através do programa da Jovem Guarda apresentado por ícones como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa. Além disso, a Música Popular Brasileira (MPB) também marcava presença nesse período, revelando artistas como Chico Buarque. Gilberto Gil Caetano VelosoTexto: década de 1960 Os anos rebeldes

  Os anos 1960, considerados os Anos Rebeldes, foram a época em que a música também era um ato político. Essa geração de jovens participou de movimentos pacíficos contra a Guerra do Vietnã. Os Beatles se tornaram uma das bandas de maior sucesso de todos os tempos. No final desta década, milhares de hippies com flores nas mãos estavam em um festival de música chamado Woodstock.   Os cantores e bandas foram: Bob Dylan, Pink Floyd, Rolling Stones, The Doors, entre outros.   Outro movimento foi chamado Tropicalismo, no Brasil liderado por Caetano Veloso e Gilberto Gil. Esses cantores foram inspirados pela música rock'n roll e pelos Beatles.   A música "Imagines", de John Lennon, é a canção mais representativa dos desejos das pessoas da época.

Outros tipos de músicas também foram se desenvolvendo, como a música folk norte-americana que surgiu com grandes estrelas como Bob Dylan e Joan Baez. O melhor é que mesmo possuindo suas formas, identidades e públicos respectivos, o folk conseguiu se misturar com o rock utilizando seus instrumentos, consagrando hits como Like a Rolling Stone de Bob Dylan.

Pode-se dizer que a música dos anos 60 foi o berço da era moderna da música, pois foi nessa época que aconteceu uma (r)evolução na forma de divulgação de tal arte e o surgimento de novas mídias.

Também foi marcada por festivais, no Brasil, aconteceu o Festival de Música Popular Brasileira(MPB) da TV Record e no Estados Unidos, o famoso Festival de Woodstock.

The Beatles[editar | editar código-fonte]

De Liverpool para o mundo, formado em 1960 por John Lennon (guitarra rítmica e vocal), Paul McCartney (baixo, piano e vocal), George Harrison (guitarra solo e vocal) e Ring Starr (bateria e vocal), The Beatles é o grupo musical mais bem-sucedido da história da música popular, apesar de seu período de atividade ter durado apenas nesta década.(anos 60 a 69)

Os jovens de cabelos compridos e cortes inovadores para a época agradaram o público jovem com suas letras contestadoras e revolucionárias intensificadas pelos sons em bom tom da guitarra e da bateria.

Seus principais hits são: "Love me do" (1962); "She loves you" e "I want to hold your hand" (1963); "Can't buy me love" e "A hard day's night" (1964); "Help" e "Yesterday" (1965); “Hey Jude!” (1968) e o último single gravado, Let it Be (1970).

Em 1965, a rainha Elizabeth II recebeu os quatro Beatles que receberam medalhas da Ordem do Império Britânico. Evidentemente, o sucesso da banda era enorme e a beatlemania só aumentava.

Garantido o primeiro lugar na lista dos “500 Melhores Álbuns de Sempre” da renomada revista Rolling Stone, o álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” (1967) se tornou um dos discos mais vendidos e mais influentes da história.

Diante da dificuldade em reproduzir ao vivo fielmente seus hits de estúdio e pela exaltação provocado pelo público, em 1966, os Beatles anunciaram que iriam parar com as apresentações live. 3 anos depois, em janeiro de 1969, a banda realizou sua última performance no telhado do edifício da Apple Records.

A última apresentação de John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ring Starr juntos entrou para a história. Com uma duração de 42 minutos, foi interrompida pela polícia, pois a vizinhança estava reclamando do barulho.

A partir de 1970, o grupo se desfez e cada um seguiu seu caminho. Atualmente, McCartney está ativo em carreira solo; Starr, desde 1989, com a sua banda All Starr Band; já Lennon foi assassinado em 1980 por um fã e Harrison faleceu em 2001 por conta de um câncer.

A Jovem Guarda[editar | editar código-fonte]

Inspirados em artistas como The Beatles, The Rolling Stones, Chuck Berry e Elvis Presley, o rock brasileiro começou a dar as caras na onda do “iê-iê-iê o bagulho e cp", apresentando o que viriam a ser grandes nomes da música nacional como Roberto Carlos, Wanderléa, Erasmo Carlos, Sérgio Reis, Ronnie Von, The Fevers, Renato e seus Blue Caps, Vanusa, Celly Campelo, Raul Seixas, entre outros.

Em 1965, a TV Record inaugurou o programa “Jovem Guarda” apresentado por Roberto Carlos em parceria com Wanderléa e Erasmo Carlos dedicado ao público jovem para abordar temas como a música e a moda da época.

Apesar de ter surgido no período da Ditadura Militar, a Jovem Guarda quase não era censurada, uma vez que suas músicas não tinha conotação política e continham temas mais “leves” para a época, como carros e amores. Inclusive, sempre existiu uma desaprovação por uma parte do público e de músicos da MPB contra a Jovem Guarda por não se manifestarem politicamente em suas obras em um momento tão obscuro do país.

Roberto Carlos tornou-se o maior ícone do movimento musical e do programa com sucessos como “Splish Splash” e “Parei na Contramão" (1963); “O Calhambeque” e a faixa-álbum em colaboração com Erasmo Carlos, “É proibido fumar” (1964).

Erasmo Carlos adquiriu o apelido de “Tremendão” por conta do sucesso de sua música de mesmo nome lançada em 1967, e durante a exibição do programa usava roupas que imitavam a de seu ídolo, Elvis. Enquanto Wanderléa, conhecida como “Ternurinha”, exibia e apresentava versões brasileiras de sucessos internacionais da década.

Em 1968, Roberto deixou o programa, Erasmo e Wanderléa tentaram manter o programa mas não foi bem sucedida e logo, a Record retirou do ar. Com a implementação do AI-5, muitos artistas tiveram que deixar o país, o que resultou na perda de força do movimento.

Festivais de Música[editar | editar código-fonte]

Como uma nova forma de divulgação e propagação do trabalho dos artistas, começaram a surgir os festivais, mas o contexto político da época não era dos melhores. Enquanto o Brasil encontrava-se em meio ao um Golpe Militar, lá fora o cenário não era muito diferente, estava acontecendo manifestações de cunho político e pedidos de paz contra a Guerra do Vietnã.

Em 1969, no EUA, com o objetivo de pregar liberdade, paz e amor, a união com o rock, além de protestar contra guerra, aconteceu o Festival Woodstock Music & Art Fair. Entre os dias 15 e 18 de agosto, vários artistas como The Who, Janis Joplin com a banda Kozmic Blues Band, Creedence Clearwater Revival, Carlos Santana e Jimi Hendrix subiram ao palco em um momento que viria se tornar histórico.

Surgiu a partir da ideia de quatro jovens investidores em realizar shows ao ar livre, mas ninguém tinha noção da proporção que atingiria, cerca de 186 mil pessoas haviam comprado o ingresso, mas mais de meio milhão de pessoas acabaram ocupando o local, tornando o festival um evento gratuito após o derrubamento de cercas.

Em 1970, foi lançado um documentário com as gravações do festival.

No Brasil, entre 1965 a 1985, aconteceu o Festival de Música Popular Brasileira transmitidos por algumas emissoras como a TV Globo e a TV Record. Em formato de concurso musical, a primeira edição do festival, recebeu Elis Regina interpretando brilhantemente “Arrastão”, de Vinicius de Moraes, dando início a formação da MPB.

No ano seguinte, a edição revela um novo nome ao público brasileiro, Chico Buarque, que viria a ser o ganhador naquele ano, apresenta “A Banda” interpretada também por Nara Leão.

Diferente dos artistas da Jovem Guarda, aqueles que aderiram à MPB escreviam e interpretavam letras com cunho político em forma de manifestação, muitas vezes só eram compreendidas nas entrelinhas.

Outras curiosidades da música nos anos 60[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Em 1962, João Gilberto, Tom Jobim e Carlos Lira apresentam a Bossa-Nova ao público norte-americano.
  • Em 1966, é formado o grupo Jackson 5, que apresentou Michael Jackson ao mundo e que logo se tornaria o Rei do Pop.
  • O primeiro festival de rock, aconteceu na Califórnia, em 1967. O Festival Pop de Monterey contou com a presença de astros como Jimi Hendrix em sua primeira apresentação no EUA, Otis Redding, The Who, e Janis Joplin.
  • A famosa música “Pra não dizer que não falei das flores” de Geraldo Vandré, foi lançada em 1968 e posteriormente censurada pelo AI-5.
  • Em dezembro de 1968, Elvis Presley, retorna à televisão após 8 anos, lançando o especial “Elvis NBC TV Special”. Classificado como o primeiro acústico da história registrado em vídeo.

Lista de músicas mais tocadas do Brasil[editar | editar código-fonte]

1994 Banho de Lua - Celly Campello
1961 Bat Masterson - Carlos Gonzaga
1962 Sonhar Contigo - Adilson Ramos
1963 Mas Que Nada - Jorge Ben
1964 Rua Augusta - Ronnie Cord
1965 Trem das Onze - Demônios da Garoa
1966 Quero Que Vá Tudo Pro Inferno - Roberto Carlos
1967 Gina - Wayne Fontana
1968 Viola Enluarada - Marcos Valle & Milton Nascimento
1969 As Curvas da Estrada de Santos - Roberto Carlos

Referências