Música da década de 2000

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ao contrário dos anos 90 em que a sociedade se manteve fiel aos mesmos gêneros musicais, os ritmos e a nova forma de se ouvir música influenciaram bastante as pessoas durante os anos 2000 e ainda continuam a evoluir. Os cds acabaram perdendo força com o lançamento dos MP3 players, se tornando cada vez mais frequente adquirir música a partir de downloads e redes sociais.[1] Apesar disso, a década marcou também a volta de mídias antigas, como no ano de 2008, onde as vendas de discos de vinil aumentaram, cerca de 1,9 milhões de unidades foram vendidas, sendo um número superior à qualquer ano no mercado fonográfico desde 1991.[2] A utilização da internet aumentou muito a medida em que os anos se passavam ao longo da década. Contudo, esse aumento acabou potencializando a popularização dos downloads ilegais de músicas protegidas por direitos autorais, causando uma certa tensão entre a indústria musical e o público e gerando dúvidas sobre a popularidade das músicas nas paradas de sucesso.

Estados Unidos, Reino Unido e Canadá[editar | editar código-fonte]

Hip-Hop, Urban, Pop R&B e Dance Music[editar | editar código-fonte]

A inglesa Joss Stone tem uma das maiores e mais marcantes vozes da década.
Mariah Carey, fenômeno do R&B nas décadas de 90 e 2000.
  • Outra Cantora obteve grade destaque durante aquela década é Christina Aguilera, também conhecida como a "Voz da geração", por ter sido o timbre que mais se destacou nos anos 2000. A artista já vendeu mais de 50 milhões de álbuns por todo o mundo, alcançando o topo das paradas mundiais diversas vezes, incluindo a Billboard Hot 100 (de singles). Dentre seus maiores sucessos durante a década estão: What a Girl Wants, Come on Over (All I Want Is You), Lady Marmalade, Dirrty, Beautiful, Fighter, Ain't No Other Man e Hurt. Aguilera ganhou ao total cinco prêmios Grammy (incluindo o Grammy Latino), tendo onze indicações.
  • Alicia Keys foi a cantora de R&B mais bem sucedida da década, vendeu 15 milhões de álbuns só nos Estados Unidos e 30 milhões mundialmente. Tornou-se a primeira artista de R&B e negra a ter 4 álbuns estreando consecutivamente no topo da Billboard 200 (chart de álbuns) e 5 álbuns estreando de forma consecutiva em #1 na Billboard Top R&B/Hip-Hop Álbuns, além dos 4 singles em primeiro lugar na Billboard Hot 100 e 7 singles em primeiro lugar da Billboard R&B.

Dance Music[editar | editar código-fonte]

A Dance music teve altos e baixos. Os singles de Dj Sammy fizeram muito sucesso no começo da década, mas acabaram perdendo a popularidade no meio da década. Desde 2005, tal gênero musical, aos poucos, voltou a ganhar popularidade, com os singles de sucesso: "Hung Up" e "Sorry" de Madonna, "Love Generation" de Bob Sinclar, "Don't Stop the Music" e "Disturbia" de Rihanna, "Love Is Gone", "Baby When the Light" e "When Love Takes Over" de David Guetta e "Poker Face" de Lady Gaga.

Parada Billboard[editar | editar código-fonte]

Artistas Com Mais Números Uns na Parada de Álbuns[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Janeiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A revista Billboard publica semanalmente nos EUA a lista dos 200 álbuns mais vendidos.

Os principais artistas que conseguiram chegar ao topo da parada nos anos 2000 foram:

Britney Spears em (2000, 2001, 2003 e 2008)
Madonna em (2000, 2003, 2005 e 2008)
Christina Aguilera em (2000,2001 e 2006)
Mariah Carey em (2005 e 2008)
Jay-Z em (2001, 2002, 2003, 2006, 2007 e 2009)
Bruce Springsteen em (2002, 2005, 2007 e 2009)
Janet Jackson em (2001 e 2008)
Usher em (2004 e 2008)
Alicia Keys em (2001, 2003, 2005, 2007)
Jennifer Lopez em (2001 e 2002)
Ashanti em (2002 e 2003)
Kelly Clarkson em (2002 e 2009)
Eminem em (2000, 2002, 2004, 2009)
50 Cent em (2003, 2005)
Beyoncé em (2003, 2006, 2008)
Ludacris em (2003, 2004 e 2006)
Kanye West em (2005, 2007, 2008)
Carrie Underwood em (2005, 2007 e 2009)
Norah Jones em (2003, 2004, 2007)
'N Sync em (2000 e 2001)
Ne-Yo em (2006 e 2007)
Pink em (2001 e 2008)
Coldplay em (2005, 2008)
Nelly em (2000, 2002 e 2004)
Dixie Chicks em (2002 e 2006)
Hilary Duff em (2003, 2004, 2005, 2006 e 2007)
Miley Cyrus em (2007 e 2008)
Ashlee Simpson em (2004 e 2005)
Green Day em (2004 e 2009)
Destiny's Child em (2001 e 2004)
T.I. em (2006, 2007 e 2008)
Jack Johnson em (2006 e 2008)
Mary J. Blige em (2003, 2005 e 2007)
Taylor Swift em (2008)
Jonas Brothers em (2008 e 2009)
Young Jeezy em (2006 e 2008)
Metallica em (2003 e 2008)
U2 em (2004 e 2009)
Linkin Park (2001, 2003, 2007)

Artistas Com Mais Números Uns na Parada de Singles[editar | editar código-fonte]

A revista Billboard publica semanalmente nos EUA a lista das 100 canções mais vendidas e ouvidas.

Os principais artistas que conseguiram chegar ao topo da parada nos anos 2000 foram:

Mariah Carey em (2005, 2006 e 2008)
Britney Spears em (2008, 2009)
Christina Aguilera em (2000, 2001)
Shaggy em (2001)
Beyoncé em (2003, 2006, 2007 e 2008)
Janet Jackson em (2000, 2001)
Usher em (2001, 2002, 2004 e 2008)
Alicia Keys em (2001, 2004, 2007, 2009)
Rihanna em (2006, 2007 e 2008)
Avril Lavigne em (2007)
Katy Perry em (2008)
Jennifer Lopez em (2001, 2002 e 2003)
Madonna em (2000)
Nickelback em (2001 e 2002)
Ashanti em (2002)
Lady Gaga em (2009)
Kelly Clarkson em (2003 e 2004)
Eminem em (2002 e 2009)
50 Cent em (2003, 2005)
Ludacris em (2003 e 2006)
Kanye West em (2005 e 2007)
Ciara em (2004)
Snoop Dogg em (2004 e 2006)
Gwen Stefani em (2005)
Carrie Underwood em (2005)
Chris Brown em (2005 e 2007)
James Blunt em (2006)
Ne-Yo em (2006)
Shakira em (2006)
Nelly Furtado em (2006 e 2007)
Fergie em (2006 e 2007)
Justin Timberlake em (2006 e 2007)
Akon em (2006 e 2007)
Sean Kingston em (2007)
Leona Lewis em (2008)
Flo Rida em (2008 e 2009)
Coldplay em (2008)
P!nk em (2001 e 2008)
Black Eyed Peas em (2009)
Jay-Z em (2009)

Europa[editar | editar código-fonte]

Dance[editar | editar código-fonte]

  • O Electro junto com o House torna-se popular em meados da década, substituindo as influências do jazzy e latinas do início de 2000. O Electro House torna-se popular em clubes ao redor do mundo com grupos como MSTRKRFT e Justice. Tornando popular o Live PA, que é o ato de remixar músicas ao vivo para um público.
  • O Dubstep e Bassline conseguiu se firmar no cenário europeu, tornando-se bastante famoso.

Rock[editar | editar código-fonte]

A banda Coldplay.

Pop[editar | editar código-fonte]

  • As bandas formadas por rapazes não desapareceram completamente, mas acabaram se transformando em bandas pop/pop-rock punk como Busted e McFly
  • Artistas de animação tornam-se populares como Crazy Frog e Gorillaz.
  • Grupos formados por garotas são populares durante grande parte da década. Como a banda russa t.A.T.u. que se torna a banda mais popular do leste europeu e ainda é única banda russa a ganhar sucesso na mídia internacional.
  • No Festival Eurovisão da Canção participam diversos artistas revelação Europeus.

Austrália e Nova Zelândia[editar | editar código-fonte]

Hip-hop e R&B[editar | editar código-fonte]

O Hip-hop e o R&B torna-se bastante popular nesses dois países, especialmente na Nova Zelândia.

Rock[editar | editar código-fonte]

Diversos grupos de novas formas de rock e rock alternativo surgem no começo da década, como The Vines e Jet que depois deram espaço a Evermore e Wolfmother e vários outros no fim da década.

Pop[editar | editar código-fonte]

O seriado The O.C. ficou popular na Nova Zelândia por ter na trilha sonora músicas de diversas bandas do país como Evermore e Youth Group.

América Latina e Caribe[editar | editar código-fonte]

O grupo mexicano e mais aclamado da década, RBD.

Brasil[editar | editar código-fonte]

Japão[editar | editar código-fonte]

O J-pop foi durante toda a década o ritmo mais conhecido do Japão, alavancado principalmente por Ayumi Hamasaki.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências