MINATEC

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
MINATEC
Razão social Campus d'innovation pour les micros et nanotechnologies
Fundação 2006
Fundador(es) CEA-LETI, Grenoble INP
Sede Grenoble
Significado da sigla MIcro- et NAno-TEChnologies
Website oficial http://www.minatec.org

MINATEC é um complexo científico europeu situado no "polígono científico" de Grenoble. Criado pelo grupo Grenoble INP (Instituto politécnico de Grenoble) e pelo CEA-LETI em 2002, foi oficialmente inaugurado em 2 de junho de 2006. Este complexo é dedicado às nanotecnologias e reuni no total mais de 4800 pessoas, entre pesquisadores (3000), estudantes (1200) e industriais (600).[1] A área de Minatec é 84.000 m² em 2017.

Área de pesquisa[editar | editar código-fonte]

MINATEC é o primeiro centro europeu dedicado às nanotecnologias, além de ser o terceiro no mundo. Suas áreas de pesquisa são as MIcro e NAnoTECnologias. Um dos objetivos é portanto ir além dos limites da microeletrônica, criando objeto na escala nanométrica. Ele destina-se a integrar vários laboratórios, uma parte do CEA, uma escola de engenheiros e uma escola doutoral do Instituto politécnico de Grenoble.

Influência internacional[editar | editar código-fonte]

De 2006, ano da fundação de MINATEC, a 2010, o evento Minatec Crossroads foi organizado a cada dois anos. Trata-se de uma semana de conferências sobre as micro e nanotecnologias, com temas sobre a pesquisa fundamental e aplicada, o ensino superior e a economia do setor.[2]

Laboratórios[editar | editar código-fonte]

MINATEC abriga a escola de engenheiros Phelma, uma sala limpa de classe 1000/100, laboratórios de fabricação e análise. Vários tipos de tecnologias são desenvolvidas, tais como: NEMS, MEMS, nanocaracterização, química, circuitos integrados, biotecnologia. Certo número de startups e spinoffs têm origem nos laboratórios do Instituto politécnico de Grenoble e do CEA-LETI.

MINATEC vista da rua Félix Esclangon

Financiamento[editar | editar código-fonte]

MINATEC representou um investimento de cerca de 150 milhões de euros entre 2002 e 2005, principalmente vindo de órgãos administrativos regionais e do CEA.[3] Segundo Jean-Philippe Leresche, trata-se um exemplo de parceria público-privada bem sucedido, cuja capacidade de P&D é inigualável.[4]

Parcerias com o exército[editar | editar código-fonte]

MINATEC possui parcerias com o exército francês. Entretanto, dado o carácter secreto, não há informações disponíveis ao público. O orçamento que provem do exército não atinge 2 ou 3 % do total da organização.

Patentes[editar | editar código-fonte]

MINATEC é um laboratório de carácter privado que desenvolve patentes. A segurança de suas entradas de nível relativamente alto para um laboratório, é explicado justamente pelo fato que seus conhecimentos são "protegidos".

Oposição[editar | editar código-fonte]

O projeto MINATEC teve desde seu início oposições locais e nacionais conduzidas por um conjunto de grupos,[5] um dos quais o "Pièces et Main d'Œuvre",[6] que denuncia o perigo das nanotecnologias ao ambiente e às liberdades individuais. Esta oposição produziu, na véspera da inauguração de MINATEC em Grenoble (2 de junho de 2006), uma manifestação reunindo entre 800 e 1000 pessoas na presença de policiais.[7] Outras manifestações ocorreram e repetitivamente o local foi protegido por policiais.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «MINATEC, campus d'innovation en micro et nanotechnologies». Consultado em 29 de setembro de 2013.  (em francês)
  2. «Rendez-vous à Minatec Crossroads 2010». Consultado em 5 de outubro de 2013.  (em francês)
  3. Buisson, Marie-Andrée; Dominique Mignot (2005). Concentration économique et ségrégation spatiale. Col: Économie Société Région (em francês). [S.l.]: De Boeck. p. 207 
  4. Leresche, Jean-Philippe (2006). La fabrique des sciences : Des institutions aux pratiques (em francês). [S.l.]: PPUR. p. 373 
  5. Communiqués de presse
  6. PDFlink sem parâmetros PDF Pièces et Main d'Œuvre (3 mai 2006). «Inauguration de Minatec Chirac renonce, le techno-gratin recule, les opposants persistent» (PDF). Consultado em 5 de outubro de 2013.  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. Jérôme Rivollet (8 de novembro de 2006). «Nanotechnologies et mégadoutes». Consultado em 5 de outubro de 2013. 
  8. LEFIGARO.fr. «Grenoble lance le pôle Minatec». Consultado em 5 de outubro de 2013.  (em francês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]