MMT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

MMT (Mistura de Modalidades de Treinamento ou Mixed Modality Training) é uma modalidade desportiva originada da mistura de diversas outras modalidades e diferentes programas de treinamento físico. O MMT utiliza-se de uma mistura de exercícios provindos principalmente das seguintes modalidades: calistenia, levantamento de peso olímpico, levantamento de peso básico (powerlifting), ginástica olímpica, atletismo, strongman, entre outras. Esses exercícios são prescritos usando diversos protocolos de treinamento e periodizações comuns ao treinamento intervalado de alta intensidade, treinamento de resistência, treinamento de força, treinamento de potência, entre outros. Atualmente, diversas empresas promovem cursos de formação e capacitação para professores que tenham interesse em trabalhar com a modalidade. As principais empresas no mundo são a CrossFit Inc. (www.crossfit.com) , Opex Fitness (www.opexfit.com), a Brand X Method (www.thebrandxmethod.com/). No Brasil, algumas empresas se destacam, como a Arena235 (www.arena235.com.br/cursos-consultoria.php), a BPro   (http://www.bprotreinamento.com.br/cursos/vagas) e a CrossFit Brasil (www.crossfitbrasil.com.br). Cada empresa tem sua própria metodologia, embora todas elas usem como base o conhecimento do treinamento desportivo.[1]

Basicamente, o MMT hoje em dia pode ser aplicado de três distintas formas: o MMT para preparação física desportiva de outras modalidades; o MMT para melhoria do condicionamento físico geral; e o MMT como esporte.

O MMT como preparação física de outros esportes vem sendo praticado de forma sistemática desde o pós segunda guerra mundial.[2] Nos vídeos referenciados a seguir, do início da década 80, vê-se um exemplo da preparação física de Werner Gunthor, um atleta suíço de arremesso de peso com 3 títulos mundiais seguidos (1987, 1991 e 1993). Nos vídeos, pode-se ver o atleta (de 2,00m de altura e cerca de 130kg) treinando o arremesso do Levantamento de Peso (Clean and Jerk), o agachamento e supino do powerlifting, além de diversos outros exercícios comumente encontrados em outras modalidades.[3][4][5]

O MMT para melhoria do condicionamento físico geral ou saúde também é antigo. No formato de academias com aulas em grupo, como está popular nos dias de hoje, ele vem sendo aplicado desde meados do sec. XIX.[6] Destaque para o Le Grand Gymnase, academia aberta em 1840 por Hyppolyte Triat, em Bruxelas. Nesse sentido, o MMT pode ser praticado por qualquer pessoa independente da idade, condicionamento físico e possíveis limitações.

O MMT como esporte está em processo de nascimento. Embora existam diversas organizações com fins lucrativos que organizam campeonatos de MMT, como por exemplo a CrossFit Inc.[7] e a Monstar Series,[8] ainda não existem federações e confederações do esporte para regularizar e padronizar a modalidade. Os torneios de MMT buscam determinar quais são os participantes ou grupos de participantes mais bem condicionados.

O primeiro torneio popular de MMT e um dos maiores responsáveis pela explosão de popularidade do MMT no mundo foi o CrossFit Games. O CrossFit Games é um campeonato anual nos Estados Unidos que teve sua primeira edição em 2007. A popularidade do campeonato, e da empresa que o organiza, é tanta que muitos usam o termo CrossFit hoje em dia para retratar a modalidade. Isso deve-se, em grande parte, pelos detentores da marca usarem seu próprio nome para se referir à modalidade. Além disso, através de um sistema de afiliação atrelado a um custo e diversas regras, a empresa permite o uso de palavra CrossFit de formas restritas por academias espalhadas pelo mundo. Esse sistema, entretanto, não permite que outras organizações venham a usar a marca CrossFit em seus torneios.[9] Hoje em dia, diversos outros torneios são populares ao redor do mundo; entretanto, não existe ainda um consenso entre as regras e padrões desses diversos torneios, nem mesmo de como se referir ao MMT. Nos Estados Unidos, a competição mais recente que começou a crescer foi a NPGL (Liga Norte Americana de GRID - www.npgl.com). A NPGL é uma liga profissional de MMT que promove competições entre times representando diferentes cidades Norte Americanas e chama a modalidade de "Grid". No Brasil, diversas organizações promovem a modalidade através de torneios presenciais, entre eles destacam-se o Monstar Games (monstargames.com), que chama a modalidade de fitness, o Brazilian Games for Vision (braziliangamesforvision.com.br) que oficialmente não usa um nome específico pra modalidade e o Arnold Sports MMT Games, que usa o nome da modalidade MMT.

Embora os torneios de MMT retratados acima sejam recentes, esportes com características similares ao MMT são milenares. Um exemplo histórico importante é o Pentatlo da Grécia antiga, introduzido em 708 A.C. O pentatlo dos Gregos antigos era composto pelo lançamento do disco, lançamento do dardo, salto em comprimento, a corrida de estádio (semelhante aos 200 m) e a luta (Swaddling, 2000[10]). Assim como o pentatlo, diversas outras modalidades desportivas foram oriundas da miscigenação de vários esportes. Uma característica importante que diferencia uma competição de MMT desses demais esportes é que no MMT as modalidades desportivas e a forma como elas podem aparecer nas competições é livre e muda de evento para evento.  

Na história recente, o MMT como visto no CrossFit Games foi fortemente inspirado por um torneio televisivo que surgiu em 1989, chamando “American Gladiators" (http://www.nbc.com/american-gladiators). No show, atletas amadores eram colocados para competir uns contra os outros em diversas provas que tinham como objetivo testar a força, agilidade e resistência dos participantes. 

Condicionamento Físico Geral e Cross Training[editar | editar código-fonte]

Como dito anteriormente, o MMT tem como uma de suas aplicações a melhora do condicionamento físico geral, ou fitness, de seus praticantes, mas o que é condicionamento físico geral? A resposta para esse pergunta mudou bastante através das últimas décadas. Em 1948, condicionamento físico geral foi correlacionado com a capacidade de produzir trabalho (Wahlund, 1948[11]). Já na década de 1960, segundo literatura americana, uma pessoa bem condicionada era uma pessoa que possuía as seguintes características: força, velocidade, potência, resistência, coordenação, equilíbrio, controle corporal, flexibilidade e agilidade (de Vries, 1966[12]). Essa definição estava de acordo com a literatura russa de ciências do esporte da mesma época (Matveyev, 1977[13]). Durante as próximas décadas fitness passou por diversas definições que incluíram desde a ideia que estar bem condicionado significa ter grande capacidade de realizar trabalho (endurance) assim como palavras que diziam respeito há habilidade de realizar tarefas diárias e saúde (Kilgore, Hartman, e Lascek, 2011[14]).

A definição usada no MMT para condicionamento físico geral foi adaptada do artigo publicado em 2007 no Journal of Exercise Physiology por Kilgore e Rippetoe,[15] e segue: Possuir níveis adequados de força, resistência, e mobilidade para conseguir a participação com sucesso no trabalho, em atividades recreativas e na rotina diária, consistentes com o fenótipo e genótipo do indivíduo.

No Brasil, os termos Crosstraining e CrossFit (como explicado anteriormente) também vem sendo utilizados para referir-se ao braço do condicionamento físico geral do MMT. O termo crosstraining começou a se popularizar no brasil a partir de um livro clássico do treinamento desportivo no Brasil escrito em 1992 por Antonio Carlos Gomes e Ney Pereira de A. Filho, intitulado Cross training.[16]

Treino Padrão de MMT[editar | editar código-fonte]

Embora possam existir diferentes maneiras de treinar MMT, o treino padrão de MMT em academia para a melhora do condicionamento físico geral é dividido em quatro etapas: aquecimento, técnica, treino de condicionamento metabólico ("MetCon") e recuperação. Uma boa seção de aquecimento prepara física e mentalmente os praticantes para o treino causando um aumento do fluxo sanguíneo para os músculos, da temperatura corporal, das reações metabólicas e da amplitude de movimento (Hoffman, 2012[17]). A etapa técnica do treino visa o aprendizado ou aperfeiçoamento das técnicas utilizadas no esporte e/ou um momento para ser desenvolvido um trabalho específico para ganho de força e/ou potência. Teorias do treinamento de força são utilizadas para periodizar essa seção do treinamento. Tensões musculares máximas são geradas em diferentes seções a partir de três diferentes métodos: método de esforço máximo, método de esforço repetitivo e método de esforço dinâmico (Zatsiorsky e Kraemer, 2006[18]). A terceira etapa normalmente consiste na realização de uma sequência, muitas vezes inédita, de um ou mais exercícios realizados em na maioria das vezes em alta intensidade. Nessa etapa chamada popularmente de MetCon (Metabolic Conditioning) ou WOD (work out of the day) o número de exercícios, o numero de séries, o número de repetições, e o tempo de descanso variam de treino para treino, que pode ser realizado sozinho, em duplas ou até em grupos. Treinos são determinados ou mantendo fixo o número total de repetições e os participantes tentam completar a tarefa no menor tempo possível, ou mantendo fixa a duração da atividade e os participantes tentam completar o maior número de repetições possíveis. Três tipos de treinamento são comuns nessa etapa da aula: treino de esforço máximo, treino intervalado, e treino de endurance (Kilgore, Hartman, e Lascek, 2011[15]). A última etapa do treino consiste em um trabalho específico de recuperação muscular e/ou um trabalho de flexibilidade. 

Enfim, de maneira geral, no MMT para saúde, os treinos visam desenvolver as capacidades físicas dos atletas como um todo e não apenas em uma especialidade. É comum observar em uma aula de MMT corridas conjugadas com exercícios de levantamento de peso e ginástica.

Movimentos Comuns do MMT[editar | editar código-fonte]

Calistênico[editar | editar código-fonte]

Agachamento (Air Squat)

Flexões de Braço (Push up)

Barra Fixa (Pull up)

Afundos (Lunges)

Abdominais (Sit up)

Barra Paralelas (Bar Dip)

Burpee

Flexões de Quadril em Barra Fixa (Toes to Bar e Knees to Elbow)

Superman

Hollow

Exercícios em Isometría

Agachamento Pistol (Pistol Squat)

Pliométricos[editar | editar código-fonte]

Saltos na Caixa (Box Jump)

Agachamentos com Saltos

Movimentos Cíclicos[editar | editar código-fonte]

Correr

Nadar

Remar

Pedalar

Pular Corda

Levantamento de Peso[editar | editar código-fonte]

Kettlebell Swing

Desenvolvimento (Presses)

Thruster

Sumô Deadlift High Pull

Hang, Power e Squat Clean

Hang, Power e Squat Snatch

Front Squat e Overhead Squat

Exercícios com Medball e Slamball

Weightlifting[editar | editar código-fonte]

Snatch

Clean & Jerk

Powerlifting[editar | editar código-fonte]

Supino

Agachamento Livre

Levantamento Terra

Strongman[editar | editar código-fonte]

Farm's Carry/Walk

Log Bar

Exercícios com Trenó (Sled)

Slamball/Medball Turnovers

Tire Flips

Ginástica Olímpica[editar | editar código-fonte]

Paralelas nas Argolas (Ring Dip)

Parada de Mãos (Handstand, Press to Handstand, Handstand Push up e Handstand Walk)

Muscle Up

Muscle Bar

Subida de Corda (Rope Climb)

L Hold

Exemplos de "MetCons"[editar | editar código-fonte]

1 – “I Love Medballs”[editar | editar código-fonte]

3 rounds of:

400m Run

12 Medball sit up (20/14lbs)

12 Wallball shot

2 – “First Final”[editar | editar código-fonte]

1000m Row

2 Rope Climb

10 Kettlebell Swing (24/16 kg)

20 Box Jump (24”/20”)

30 Pull up

40 Strict Push up

50 Air Squat

150m Run c/ Medball (20/14lbs)

150m Overhead Lunge c/ Medball (20/14lbs) 

3 – “A Clown Climbs to The Clouds”[editar | editar código-fonte]

60cal row

5 Rope Climb

5 Muscle up

50 Double Under

4 – “Isadora - Short Strong and Killer”[editar | editar código-fonte]

7min – AMRAP

5 Deadlift (315/185lbs)

7 Ring Push up

10 Double Under

5 – “A Barbell to Drop Dead”[editar | editar código-fonte]

10 Deadlift (95/65lbs)

10 Power Clean

10 Front Squat

10 Push Jerk

10 Overhead Squat

10 Overhead Lunge

10 Push Jerk (from the back)

10 Back Squat

10 Sumo Deadlift High Pull

6 – “Full House”[editar | editar código-fonte]

21 – 15 – 9 of: 

Wallball Shot (20/14lbs) + Sit up

18 – 15 – 12 of:

Air Squat + Kettlebell Swing (24/16 kg)

12 – 9 – 6 of:

Pull up + Push up

7 – “Up is Down”[editar | editar código-fonte]

3 rounds of: 

5 Handstand Push up

10 Pistol

15 Deadlift (155/105lbs)

8 – “235”[editar | editar código-fonte]

2-3-5

Muscle Up

Squat Clean (235/145lbs)

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  1. Gomes, Antonio Carlos (2017). Treinamento Desportivo. [S.l.]: Artmed 
  2. Verkoshansky, Yuri (2011). Special Strength Training: Manual for Coaches. [S.l.]: Verkhoshansky.com 
  3. «Préparation Physique : Werner Gunthor partie 3»  Verifique data em: |acessodata= (ajuda);
  4. «Préparation Physique : Werner Gunthor partie 2»  Verifique data em: |acessodata= (ajuda);
  5. «Préparation Physique : Werner Gunthor partie 1»  Verifique data em: |acessodata= (ajuda);
  6. «HIPPOLYTE TRIAT From: Edmond Desbonnet's Les Rois de la Force» (PDF). David Chapman. 1995. Consultado em 10112017  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. [games.crossfit.com «CrossFit Games»] Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 10112017  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. «Monstar Series». Consultado em 10112017  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  9. [www.crossfit.com «CrossFit»] Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 10112017  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  10. Swaddling, J. The Ancient Olympic Games. Texas: University of Texas Press, 2000
  11. Wahlund, H. Determination of the physical working capacity. Acta Medica Scandinavica 131 (s215):51-70, 1948.
  12. de Vries, H.A. Physiology of Exercise for Physical Education and Athletics. W.C. Brown Company, Dubuque, IA, 1966.
  13. Matveyev, L. Fundamentals of Sports Training. Progress Publishers, Moscow, USSR, 1977.
  14. Kilgore, L., Hartman, M., and Lascek, J. Fit. Killustrated Books, Iwowa Park, TX, 2011.
  15. a b Kilgore, J.L. and Rippetoe, C.M. Redefining fitness for health and fitness professionals. Journal of Exercise Physiology, 10(2): 34-39, 2007.
  16. Gomes, Antonio Carlos (1992). Cross training: uma abordagem metodologica. Londrina: CiD 
  17. Hoffman, J.R. NCSA’s Guide to program design. Human Kinetics, Champaign, IL, 2012.
  18. Zatsiorsky, V.M. and Kraemer, W.J. Science and Practice of Strength Training. Human Kinetics, Champaign, IL, 2006.