MRS Logística S.A.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de MRS Logística)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
MRS Logística
Razão social MRS Logística S.A.
Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa: MRSA3B, MRSA5B, MRSA6B
Indústria Transporte ferroviário, Logística
Gênero Sociedade anônima
Fundação 1996 (22 anos)
Sede BrasilJuiz de Fora, Minas Gerais, Brasil
Área(s) servida(s) Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo
Locais Brasil
Pessoas-chave Guilherme Mello (CEO)
Empregados 6.000[1]
Produtos Transporte e movimentação de carga
Acionistas Gerdau
Usiminas Participação e Logística
Vale
CSN
Minerações Brasileiras Reunidas S/A - MBR
Lucro Aumento R$ 434,4 milhões (2017)[2]
Faturamento Aumento R$ 3,5 bilhões (2017)
Significado da sigla Minas Rio São Paulo
Website oficial www.mrs.com.br

MRS Logística S.A. (BM&F Bovespa: MRSA3B, MRSA5B, MRSA6B) é a concessionária que opera a chamada Malha Regional Sudeste da Rede Ferroviária Federal S. A., que era composta pelas Superintendências Regionais SR3 - Juiz de Fora e SR4 - São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Foi constituída em agosto de 1996, assumindo a concessão no dia 1 de dezembro do mesmo ano, após a obtenção por concessão dos direitos adquiridos pelo Consórcio MRS Logística (grupo liderado pela CSN[3], através do leilão de privatização, realizado em 20 de setembro de 1996, na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, pelo valor de R$888,9 milhões.

Os trechos que foram concedidos para a exploração do transporte ferroviário de cargas, são aqueles que pertenceram às antigas ferrovias, Estrada de Ferro Central do Brasil, nas linhas que ligam Rio de Janeiro a São Paulo e a Belo Horizonte, bem como a Ferrovia do Aço e aqueles pertencentes à Estrada de Ferro Santos-Jundiaí excluídas, em ambos os casos, as linhas metropolitanas de transporte de passageiros no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Suas linhas abrangem a mais desenvolvida região do país interligando as cidades de Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. Além de se constituir no sistema que une os maiores centros consumidores e produtores do país, as linhas da MRS se constituem no acesso ferroviário a importantes portos brasileiros: Rio de Janeiro, Itaguaí e Santos, além de atender ao terminal privativo de embarque de minério de ferro de propriedade da MBR, na Ilha de Guaíba na Baía de Angra dos Reis.

O controle da empresa é dividido da seguinte forma: a Gerdau possui 2,37%; a Usiminas Participação e Logística, 19,92%; a Vale S.A., 19,26%; a Companhia Siderúrgica Nacional, 27,83%; e a Minerações Brasileiras Reunidas S/A - MBR, 20,00%, enquanto outros acionistas detém os 10,62% restantes.[4]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

  • Mauro Knudsen (1996 – 1999)
  • Júlio Fontana Neto (1999 – 2009[5])
  • Eduardo Parente Menezes (2009[6] - 2013[7])
  • Carlos Waack (2013 - 2014)
  • Guilherme Mello (2014[8] – atual)

Frota[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Frota da MRS Logística

Referências

  1. https://www.mrs.com.br/empresa/gestao-de-pessoas/
  2. https://www.valor.com.br/empresas/5408201/lucro-da-mrs-logistica-avanca-no-trimestre
  3. RODRIGUES, Paulo Roberto Ambrosio - Introdução aos Sistemas de Transporte no Brasil e à Logística Internacional - Edições Aduaneiras Ltda - 2000 - São Paulo - Pg. 44 - ISBN 85-7129-239-6
  4. «Estrutura Acionária da MRS Logística - EconoInfo». Consultado em 28 de abril de 2012 
  5. Revista Ferroviaria. «Julio Fontana deixa a MRS». Consultado em 15 de maio de 2009 
  6. Revista Ferroviaria. «Eduardo Parente é o novo presidente da MRS». Consultado em 16 de julho de 2009 
  7. Revista Ferroviaria. «Eduardo Parente deixará MRS». Consultado em 23 de Janeiro de 2013 
  8. Revista Ferroviaria. «MRS tem novo presidente». Consultado em 1 de Julho de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.