Maçambará

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Maçambara)
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Maçambara
Bandeira de Maçambara
Brasão de Maçambara
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 22 de outubro de 1997 (17 anos)
Fundação 28 de dezembro de 1995
Gentílico maçambarense
Lema Laços da fronteira
Prefeito(a) Alderico Domingos Copatti (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Maçambara
Localização de Maçambara no Rio Grande do Sul
Maçambara está localizado em: Brasil
Maçambara
Localização de Maçambara no Brasil
29° 08' 34" S 56° 03' 54" O29° 08' 34" S 56° 03' 54" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Sudoeste Rio-grandense IBGE/2008[1]
Microrregião Campanha Ocidental IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Itaqui, São Borja, Alegrete, Unistalda, São Francisco de Assis
Distância até a capital 593 km
Características geográficas
Área 1 682,820 km² [2]
População 4 738 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 2,82 hab./km²
Altitude 110 m
Clima Subtropical úmido Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,684 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 124 715,937 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 28 089,18 IBGE/2008[5]
Página oficial

Maçambara é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

O nome Maçambará (grafia e pronúncia correta com acento agudo na sílaba final[6] ), é de origem índígena e significa "capim de pasto onde acampam os tropeiros", em função da vegetação muito comum na região.

Originou-se do município de Itaqui. Por tradição, Maçambará surgiu graças as fazendas de criação de gado, entre elas: Recreio, São Donato, Santo Cristo, São Jorge, Santo Izidro, algumas estas remanescentes dos Sete Povos das Missões.

Inicialmente o povoado teve o nome de "Recreio", originado de uma Fazenda de mesmo nome que existia no município.

Anos depois, por vontade de algumas autoridades da época, entre elas o Prefeito Municipal de Itaqui, Euclides Aranha o nome de "Recreio" foi trocado por Maçambará, pois ficaram sabendo que já havia uma localidade com o nome de "Recreio do Sul" no Estado, e também para não confundir o nome do povoado com o nome da fazenda. Em vista desta origem e também dadas às características econômicas da região, a população do município concentra-se na zona rural, dependente, sobretudo da atividade agrícola, mais especificamente do cultivo de arroz.[7]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Está localizada nas coordenadas 29° 08′ S 56° 03′ W, estando a uma altitude de 110 metros.

Possui uma área de 1682,5 km² e sua população estimada em 2014 era de 4.834 habitantes.


Distritos do município de Maçambará;

Os distritos do município são em número de quatro com as seguintes denominações:

  • 1º distrito – Sede, cidade de Maçambará.
  • 2º distrito – Bororé.
  • 3º distrito – Encruzilhada.
  • 4º Distrito – Passo do Goulart

Localização – Maçambará localiza-se na Fronteira Oeste do Estado do Rio Grande do Sul. Área – 1.682,820 Km². Limites: Maçambará limita-se ao Norte com São Borja, ao Sul com Itaqui, Manoel Viana e São Francisco de Assis; a Leste com Unistalda, a Oeste com Itaqui.

Relevo – O relevo é plano, levemente ondulado. A altitude é de 110 m acima do nível do mar. A principal elevação é a Serra do Iguariaçá, próximo ao município de Unistalda. Hidrografia – A hidrografia do município está constituída pelos rios: Rio Butuí, na divisa com São Borja. Rio Itu, na divisa com São Francisco de Assis e Manoel Viana. Rio Itu-Mirim, na divisa de Unistalda. Os Arroios: Ituzinho, Sanga da Divisa, Sanga do Cortado, São Pedro, Timbó, Guáiaco., Sanga da Palmeira e Sanga do Narciso. Os banhados: Bororé e São Donato (Reserva Ambiental), de relevante importância para a flora e fauna da região.

Clima – O clima do município é subtropical úmido, com chuvas bem distribuídas durante o ano. Maçambará é frequentemente atingido por ventos, são comuns as correntes de ar vindas do norte da Argentina causarem elevação da temperatura, baixa pressão atmosférica, resultando em tempo instável. Este fenômeno chama-se vento norte. No inverno o município é atingido por ondas de frio, acentuadas pelo chamado vento minuano. São comuns geadas e temperaturas negativas nos dias mais frios do inverno.

Vegetação – É composta por matas e campos limpos. O município apresenta uma vegetação rasteira, sendo por esta razão, apropriada à pecuária (criação de gado). As pastagens são de primeira qualidade por se desenvolver num solo rico e fértil. Devido ao solo do município ser bastante fértil é apropriado para a agricultura, principalmente para o plantio de arroz.

Economia: A economia do município é regulada pelo binômio Agricultura- Pecuária.

Principais rodovias – No setor rodoviário, o município se utiliza da BR 472, através da qual é feita a ligação rodoviária de São Borja, Uruguaiana, Itaqui e outros municípios do Estado. Sua manutenção e fiscalização entregue diretamente a esfera federal, o DNIT. Conta também com a estrada estadual, através da qual é feita a ligação rodoviária até a BR 453 e daí até Santiago. Sua manutenção e fiscalização estão entregue diretamente à esfera estadual, o DAER. Temos também as estradas municipais, através das quais é feita a ligação com diversas localidades do município. Sua manutenção e fiscalização são feitas pela esfera municipal, secretaria de obras.

DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte

Comunicações[editar | editar código-fonte]

  • Telefonia fixa : OI
  • Estação de rádio : Itapevi - FM 87.9 MHz
  • Telefonia móvel : OI e TIM BRASIL ( 2G )
  • Televisão : RBS TV Uruguaiana ( Canal 7 )
  • Internet : BRUMAQ, TELNET ( Wireless ) e OI Velox ( ADSL )

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Reserva Biológica de São Donato
Ocupando uma área de 4.392 hectares. Foi criada pelo Decreto Estadual n° 23.798, de 12 de março de 1975. Os ecossistemas de campo, banhados, vassourais, vegetação de tabuleiros, mata-palustre, mata de galeria e capões de mata arbóreo-arbustiva são encontradas na reserva. Algumas espécies da flora encontradas são: o angico, a figueira, o salso e o jerivá. A fauna é rica em espécies de aves como pássaro-preto-de-veste-amarela, a marreca-asa-branca, a guaravaca-de-crista-branca, o caboclinho-de-barriga-vermelha e o carretão. A fauna de mamíferos é representada com a presença do zurrilho, do mão-pelada (ou guaxinim), e dos ameaçados de extinção gatos-do-mato e lontra.[8] [9]
  • Estação Ferroviária[10] :A Estação de Recreio, foi inaugurada em 1913, sendo seu nome posteriormente alterada para Maçambara, por ocasião da troca no nome do município nos anos 40. Construída em alvenaria com pedras aparentes, constituindo uma construção imponente. A linha funcionou para trens de passageiros até cerca de 1980, quando foi desativada.[11]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  6. Prefeitura Municipal de Maçambará.
  7. Título não preenchido, favor adicionar. Visitado em 10/04/2010 22:10.
  8. Reserva Biológica de São Donato
  9. Sema RS. Visitado em 10/04/2010.
  10. A estação de Recreio foi inaugurada em 1913. Seu nome foi alterado para Maçambará nos anos 1940. Construída em alvenaria de pedras aparentes. A linha funcionou para trens de passageiros até cerca de 1980. (Fontes:Guias Levi, 1940-1981; Relatórios da VFRGS, 1920-1968; Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE,2002; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; VFRGS, suas estações e paradas, Eng. Ariosto Borges Fortes, 1962)cortesia de Ralph Mennucci Giesbrecht. http:\www.estacoesferroviarias.com.br/rs_sborja/macambara.htm, conforme autorização formal ao autor.
  11. Patrimônio Ferroviário do Rio Grande do Sul, IPHAE, 2002; Guia Geral das Estradas de Ferro do Brasil, 1960; VFRGS, suas estações e paradas, Eng. Ariosto Borges Fortes, 1962.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.