Macaco Tião

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Monumento ao Macaco Tião no Zoológico do Rio

Macaco Tião (Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 1963 - Rio de Janeiro, 23 de dezembro de 1996) é o nome de um chimpanzé do Zoológico do Rio Janeiro que era bastante querido pelas crianças e outros frequentadores do zôo.[1][2][3]

Seu nome "Tião" é uma homenagem ao padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, São Sebastião.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Já desde a década de 1980, era famoso por seu temperamento, considerado "mal-humorado", e pelo costume de atirar excrementos e lama em visitantes, e especialmente em políticos, como por exemplo Marcello Alencar.[2]

Com 1,52m de altura e 70kg[1], o Macaco Tião tornou-se uma celebridade no Brasil, quando em 1988, após uma brincadeira criada pela revista Casseta Popular em defesa do voto nulo, foi lançada a sua candidatura não oficial para a Prefeitura do Rio de Janeiro.[1] Como na época o voto era em cédulas e não em urna eletrônica, os votantes podiam escrever o que desejassem na cédula. Estima-se que o Macaco Tião tenha "recebido" naquele pleito mais de 400 mil dos votos dos eleitores, alcançando o que seria equivalente ao terceiro lugar, de um total de doze candidatos. Este fato o fez constar no Guinness World Records como o chimpanzé a receber mais votos no mundo.[4] Como Tião não era um candidato reconhecido pelo Tribunal Regional Eleitoral, todos os votos dados para ele foram considerados nulos.

A partir do pleito de 1996 os eleitores passaram a ficar impossibilitados de votar no Macaco Tião, pois nesse ano a urna eletrônica substituiu a votação por cédulas onde os eleitores tinham que digitar o número do candidato ao invés de escrever o nome.[1]

O Macaco Tião sempre foi motivo de grande atenção. Ele ocupava um recinto nobre no zoo, especialmente construído para ele.[1]

Famoso nacionalmente, vários jornais brasileiros, e também o francês Le Monde registraram a notícia do falecimento do macaco[1], em 23 de dezembro de 1996. Tião morreu de diabetes, aos 34 anos, tendo sido decretado luto oficial de 3 dias no município do Rio, bem como as bandeiras da Fundação RioZoo tendo sido hasteadas a meio-mastro.[1] Seus restos mortais foram levados para o Centro de Primatologia do Estado do Rio de Janeiro (CPRJ), que fica localizado na cidade de Guapimirim, onde seu esqueleto encontra-se preservado até os dias de hoje.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h Rio Zoo. «Macaco Tião, 32 anos de preferência nacional». 
  2. a b Estadão (16 de janeiro de 1994). «Mau humorado, macaco Tião completa 31 anos». Consultado em 10/03/2077. 
  3. Estadão (18 de março de 2005). «Zoológico do Rio completa 60 anos nesta sexta». Consultado em 10/03/2077. 
  4. «Most Votes For A Chimpazee» (em inglês). Guinness World Records. 4 de novembro de 2008. Consultado em 13 de maio de 2010. 
  5. http://www.guapimirimonline.com/historia.php
Ícone de esboço Este artigo sobre animais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Macaco Tião