Macau (Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


澳門
Macau
Blank.png
1557 – 1999 Flag of Macau.svg
Flag Brasão
Bandeira do Governo de Macau Português
(1976–99)
Brasão de armas de Macau Português
(1935–99)
Hino nacional
"Hino Patriótico" (1808-1826)

"Hymno da Carta" (1826-1911)

"A Portuguesa" (1911-1999)


Localização de Macau Português
Continente Ásia
Região Ásia Oriental
Capital Macau
22° 10' N 113° 33' E
Língua oficial Português
Outros idiomas Cantonês
Governo Colónia do Império Português
Chefe de Estado
 • 1557 Rei João III de Portugal
 • 1996–1999 Presidente Jorge Sampaio
Governador de Macau
 • 1557–1558 Francisco Martins
 • 1991–1999 Vasco Rocha Vieira
Legislatura Assembleia Legislativa de Macau
Período histórico Primeira Onda da Colonização Europeia
 • 1557 Estabelecimento Português em Macau
 • 1847 Colónia proclamada
 • 1 de Dezembro de 1887 Tratado de Amizade e Comércio Sino-Português
 • 13 de Abril de 1987 Declaração Conjunta
 • 20 de Dezembro de 1999 Transferência do exercício de soberania de Macau para a China
 • 1999 Dissolução
Moeda Pataca de Macau (de 1894)

Macau Português se refere a Macau como colónia e, posteriormente, uma província ultramarina sob administração portuguesa de 1557 a 1999. Macau foi uma das primeiras e a última colónia europeia na China.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História de Macau

As primeiras expedições comerciais portuguesas se estabeleceram em Macau no século XVI. Em 1557 Macau foi arrendado a Portugal pelo Império Chinês como um porto comercial. Os portugueses administraram a cidade sob a autoridade e soberania chinesa até 1887, quando os portugueses a transformaram em colónia, como parte do Império Português. A soberania sobre Macau foi transferida de volta para a China em 20 de dezembro de 1999.[3]

A Declaração Conjunta Sino-Portuguesa sobre a Questão de Macau[4] e a  Lei Básica de Macau[5] estipulou que o território terá alto grau de autonomia até 2049, cinquenta anos após a transferência para a China.[6]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Fotografia panorâmica de Macau, tirada por Jules Itier no século XIX. A cidade de Macau na sua península com ambos os pontos internos e externos são visíveis. Também visíveis são as ilhas periféricas de Taipa, Lapa, Dom João e Montanha, os três últimos, em seguida, parte de Macau, revertendo para a China após a invasão japonesa na Segunda Guerra Mundial. Coloane e Ilha Verde são as únicas ilhas de Macau não visíveis neste retrato.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre História de Macau