Machado (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Machado
Bandeira desconhecida
Brasão de Machado
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 13 de setembro de 1881
Gentílico machadense
Prefeito(a) Julbert Ferri de Morais (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Machado
Localização de Machado em Minas Gerais
Machado está localizado em: Brasil
Machado
Localização de Machado no Brasil
21° 40' 30" S 45° 55' 12" O21° 40' 30" S 45° 55' 12" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Alfenas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Alfenas, Varginha, Carvalhópolis, Poço Fundo, Serrania, Campestre, Turvolândia
Distância até a capital 381 km
Características geográficas
Área 585 958 km² [2]
População 41,651 hab. Est. IBGE/2016[3]
Densidade O denominador (divisor) tem que ser um número! hab./km²
Altitude 820 m
Clima Tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,789 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 620 310,497 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 15 861,07 IBGE/2008[5]
Página oficial

Machado é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em Novembro de 2016 era de 41.651 habitantes.[6] A principal atividade econômica é o cultivo do café.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

Há várias versões sobre o nome "Machado", a mais conhecida relata a história de um lenhador, que trabalhava ao lado de um rio e derrubou seu machado nele. A partir daí o rio ficou conhecido como Rio Machado, que logo depois deu o nome a cidade. Outra versão diz que a primeira família, de sobrenome Machado, fundou um pequeno vilarejo naquela região. A família Machado em questão, possuía uma sesmaria que tinha como sede a cidade de Caldas, uma das cidades mais antigas do estado de Minas Gerais.

Tal sesmaria era divisa, ou seja, passava justamente cortando a sesmaria em dois, um rio. Desde de a instalação da família no local, e diga-se é importante ressaltar que tal estirpe possuía grande prestígio político e religioso, batizou-se de "Rio dos Machados", depois simplificado para Rio Machado, conforme cartas hidrográficas do século XVIII, isto quando a região ainda pertencia a província de São Paulo. Provavelmente, conforme escritos históricos, baseado na tradição oral e relatos em livros e jornais antigos, os dois filhos do chefe do clã dos Machados, casaram-se e como dote e parte da herança cada um ficou com uma parte da sesmaria. E como havíamos dito anteriormente, o rio foi utilizado para dividir o latifúndio. Em 1 de dezembro de 1812, o governo de Minas Gerais nomeou como capitão de ordenanças do Distrito de Machado, Antônio Joaquim Pereira de Magalhães; e no ano de 1829 o Bispado de São Paulo o autorizou a construir, no Distrito de Douradinho, capela sob a invocação do Divino Espírito Santo. O censo de 1831 apontava Antônio Joaquim com 23 escravos em sua fazenda nessa cidade a qual, posteriormente, foi renominada Santo Antônio do Machado em sua alusão, conforme Lael Vital Brazil em seu livro, Vital Brazil Mineiro da Campanha, uma genealogia brasileira, pag. 130, § II e o Arquivo Público Mineiro, DF 690, fls. 148. E sabe-se que o filho do chefe do clã dos Machados, resolveu instalar a sede de sua fazenda próximo de onde hoje é Machado, que recebeu este nome em 1922. Antes recebia toponímia de Sagrada Família e Santo Antônio do Machado, após Santo Antônio do Machado e definitivamente Machado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Distritos[editar | editar código-fonte]

Pertence ao município o distrito de Douradinho, localizado a 25 km do centro urbano de Machado. Também pertence a cidade de Machado o povoado da Caiana, que se localiza a 11 km da cidade.Uma informação interessante sobre o distrito é que este tem data de fundação mais antiga que a sede do município (Machado) e também já pertenceu ao município de Paraguaçu, isto no século XIX.

Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a temperatura mínima registrada em Machado foi de -0,6 °C, ocorrida no dia 18 de julho de 2000. Já a máxima foi de 36,8 °C, observada dia 25 de janeiro de 2006. O maior acumulado de chuva registrado na cidade em 24 horas foi de 141,7 mm, em 19 de novembro de 1976.[7] Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o município é o 643º colocado no ranking de ocorrências de descargas elétricas no estado de Minas Gerais, com uma média anual de 4,83 por km²/ano. [8]

Dados climatológicos para Machado
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 28,6 29 28,6 27 25,2 23,9 24 26 27 27,5 28 27,6 26,9
Temperatura média (°C) 22,2 22,5 22 20 17,5 16 15,9 17,9 19,7 20,9 21,5 21,7 19,8
Temperatura mínima média (°C) 17,8 17,6 17 14,2 11,3 9,4 8,8 10,4 13,1 15,3 16,4 17,4 14,1
Precipitação (mm) 290,7 207,1 182,5 72,8 52,1 28,3 29,9 23,7 78,7 153,1 198,7 283,6 1 597,2
Dias com chuva 18 14 13 7 4 3 3 3 6 11 13 17 112
Umidade relativa (%) 77,2 76,4 75,6 74,8 74,5 72,9 68,5 63,5 63,8 69,9 72,6 77,3 72,3
Horas de sol 161,4 166,1 171 186,3 196,5 184,7 205,2 214,8 165,6 158,4 161,1 148,2 2 119,3
Fonte: Instituto Nacional de Meterorologia (normal climatológica de 1961-1990)[9]

Economia[editar | editar código-fonte]

O município se destaca na produção de café, principal produto da economia machadense e grande gerador de emprego e renda. Recentemente a cidade recebeu o título de capital mundial do café orgânico devido a seu pionerismo neste tipo de cultura e suas exportações para países da Europa, Estados Unidos e Japão.

Educação[editar | editar código-fonte]

Na área educacional a cidade apresenta escolas públicas (municipais e estaduais)como as escolas estaduais Gabriel Odorico, Paulina Rigotti de Castro e Iracema Rodrigues tradicional escola estadual em machado fundada por padres lasalistas, CESEC Dr. Tancredo de Almeida Neves curso fundamental e médio: semipresencial, cursos profissionalizantes nas áreas de administração empresarial, gestão de pequenas empresas e secretariado e assessoria e Banca Permanente de Avaliação(regional) e escolas particulares com sistemas de ensino: Unicol (Positivo),Cespacc/SESI(Pitágoras), Fumesc (anglo),CEFEM (Ser/Editora Abril) e o Colégio Imaculada Conceição (Sistema Objetivo/Rede Concepcionista de Ensino - dirigido pelas Religiosas Concepcionistas Missionárias do Ensino, e completou em 2012, cem anos de existência).

Instituto Federal do Sul de Minas[editar | editar código-fonte]

Instituto Federal de Machado foi inaugurada oficialmente como Escola de Iniciação Agrícola de Machado em 3 de julho de 1957, foi a mesma transformada em Ginásio Agrícola de Machado, pelo Decreto nº 53.558 de 14 de fevereiro de 1964 e pelo Decreto nº 83.935 de 4 de setembro de 1979 passou a denominar-se Escola Agrotécnica Federal de Machado. Em 1993 se tornou uma autarquia Federal vinculada a SEMTEC/MEC sob a égide da Lei Federal nº 8.731 de 16 de novembro de 1993. Em 2008 foi incorporada ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas, passando à condição de Câmpus Machado do referido Instituto.

Fundação Machadense de Ensino Superior e Comunicação[editar | editar código-fonte]

A Fundação Machadense de Ensino Superior e Comunicação (FUMESC) é uma pessoa jurídica de direito privado e civil, fundada em 1998.

Centro Superior de Ensino e Pesquisa de Machado[editar | editar código-fonte]

A Fundação Educacional de Machado foi criada pela Lei Municipal nº 503, de 25 de março de 1965. A Instituição foi mantenedora da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras “Prof. José Augusto Vieira” (FAFIMA), da Faculdade de Administração e Finanças (FAAF) e da Escola Superior de Agricultura e Ciências de Machado (ESACMA), até fevereiro de 2003, quando foi criado de Centro Superior de Ensino e Pesquisa de Machado (CESEP).

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Emissoras de rádio[editar | editar código-fonte]

  • Difusora AM - 760 kHz
  • Estação Cultura FM - 96,3 MHz
  • Mais FM - 103,9 MHz
  • Rádio Nova FM - 87,9 MHz

Jornais[editar | editar código-fonte]

  • Gazeta Machadense
  • Folha Machadense
  • Jornal Informação - Campus Machado

Estúdios de Gravação[editar | editar código-fonte]

  • Rádio Difusora AM
  • Grave Estúdio
  • Jack Estúdio

Religião e cultura[editar | editar código-fonte]

A população é tipicamente católica (90%), possuindo também protestantes, presbiterianos e outras demais religiões. É uma cidade que relativamente preserva sua cultura, principalmente os afro-descendentes.

A Festa de São Benedito é o principal evento cultural do município, que se destaca no Brasil dentro do âmbito das côngadas machadenses, sendo realizada há mais de 102 anos (1914-2016) , nas semanas finais do mês de agosto.

Catolicismo[editar | editar código-fonte]

O município pertence à Diocese de Guaxupé. Existem duas paróquias, a Paróquia São José, localizada no Jardim das Oliveiras, o atual pároco é Padre Alexandre José Gonçalves. O atual pároco da paróquia Sagrada Família e Santo Antônio, é o Padre Pedro Alcides De Sousa, e os Vigários Paroquiais são o Padre Rovilson Ângelo e Padre Marcio Alves Pereira, nessa paróquia hávia também um padre emérito, o Cônego Walter Maria Pulcinelli que veio a falecer no dia 08/02/2017 . Também pertence à paróquia uma emissora de rádio, a Difusora AM 760 kHz - A Rádio do Coração.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (15 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2015 
  3. «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1 de julho de 2014» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2014. Consultado em 6 de abril de 2015 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop_2014
  7. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). «Dados Meteorológicos - Minas Gerais». Consultado em 19 de dezembro de 2012 
  8. http://www.inpe.br/webelat/homepage/
  9. «Machado» 
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.