Madeira tratada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético.
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra n° 6 da eliminação rápida.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Crystal Clear app kedit.svg
Este artigo não possui uma seção introdutória ou ela está mal formatada (desde junho de 2018).
Se puder, ajude-nos a melhorar este artigo com uma seção introdutória de qualidade e de acordo com o livro de estilo.

Processos de tratamento da madeira[editar | editar código-fonte]

O tratamento da madeira deve ser realizado para prevenir sua deterioração, ampliando assim seu tempo de vida útil. O tratamento comumente utilizado é o químico, no qual ocorre a fixação de elementos preservativos na madeira, tornando-a mais resistente à ação de fungos e insetos (brocas e cupins), principalmente se a madeira ficar em contato direto com a água ou com o solo.

O tratamento da parte interna da madeira consiste na troca da seiva (madeira verde) por solução que contém elementos preservantes. Após a secagem, os elementos conservantes ficarão retidos dentro da madeira. O tratamento pode ser realizado de maneira manual ou industrial (com a utilização de equipamentos específicos).

Tratamento de mourão[editar | editar código-fonte]

O tratamento industrial é realizado a vácuo ou sob pressão em autoclave utilizando produtos preservativos regulamentados pelos órgãos competentes. Esses processos industriais são mais seguros para o meio ambiente, gerando uma contínua queda na utilização do sistema manual.

A autoclave é um cilindro que suporta pressão, onde a madeira é introduzida e em seguida os produtos químicos preservantes são injetados. As pressões utilizadas são superiores a atmosférica e as etapas de tratamento são: colocação da madeira; início do vácuo; injeção da solução preservante; tratamento com o vácuo; término do vácuo e retirada da solução excedente.

Os preservantes de madeira podem ser compostos puros ou misturas existindo grande variação no custo, na eficiência e no modo de usar. O preservante ideal é aquele que consegue permanecer na madeira, é tóxico aos fungos e insetos, mas que não é prejudicial aos homens e animais.

A autoclavagem é um moderno processo industrial de tratamento de madeira, que incorpora tecnologia desenvolvida nos campos da mecânica e da química. Somente através de autoclavagem é possível impregnar profundamente a madeira com produtos inseticidas e fungicidas de ação comprovada, protegendo-a contra o apodrecimento, o cupim, e outros agentes biológicos de deterioração. Antes de ser submetida ao tratamento por autoclavagem, a madeira passa por um período de secagem natural de aproximadamente 3 meses, até apresentar um grau de umidade compatível.

Ciclos do Processo de Tratamento.

1ª Etapa – Introduz a madeira, depois de seca, no cilindro de alta pressão (autoclave) e fechar a porta. A pressão interna é igual ao da externa.

2ª Etapa – Inicia-se o vácuo inicial, com a finalidade de extrair o ar da autoclave e das cavidades (celulares) da madeira, a 650 mmHg.

3ª Etapa – Mantendo o vácuo, se inicia o enchimento da autoclave com a solução preservante, com a ajuda do próprio vácuo existente dentro da autoclave.

4ª Etapa - Quando a autoclave está totalmente cheia com a madeira e solução preservante, finaliza o vácuo inicial, dá-se à pressão até a saturação de 18Kgf/cm².

5ª Etapa – Finalizando a fase de pressão, a solução excedente é transferida para o tanque reservatório, evaziando-se totalmente a autoclave.

6ª Etapa – Inicia-se o vácuo final para a retirada do excesso de solução preservativa da superfície da madeira. A duração do ciclo de tratamento é de aproximadamente 4 horas.

Secagem de madeira[editar | editar código-fonte]

A secagem da madeira visa à redução do teor de umidade que varia conforme o uso final do produto. Os objetivos da secagem são: reduzir a movimentação dimensional; inibir os ataques de fungos; e aumentar a resistência física da madeira.

A secagem pode ser realizada ao ar livre ou em estufas com ventilação forçada (com temperatura e umidade controladas). A secagem ao ar deve ser realizada em locais abertos, empilhando as tábuas espaçadas entre si de modo a permitir que o ar circule entre as peças e diminua sua umidade. A secagem ao ar é comumente utilizada em empresas para realização da pré-secagem de modo a otimizar o tempo de secagem em estufa. O ponto mais importante da secagem ao ar está na montagem da pilha de madeira que deve ser realizada com seguintes cuidados: isolamento do solo, alinhamento das peças e cobertura adequada.

As vantagens da secagem em estufa são o menor tempo do processo, maior controle e obtenção de teores de umidade mais baixos, porém há desvantagens como o maior custo de implantação desse sistema e de operação do equipamento.

A secagem em estufa é utilizada por diversas empresas da área de movelaria, painéis, esquadrias, pisos etc. Esse tipo de secagem é composto por 3 fases distintas:

  • Aquecimento – é quando ocorre o aquecimento gradativo da temperatura em condições de elavada umidade do ar;.
  • Secagem propriamente dita – é a etapa em que a madeira irá perder água. Nessa fase, ocorre a elevação lenta da temperatura e diminuição gradativa da umidade do ar dentro da estufa. É necessario o monitoramento para melhor controle da secagem visando a adequação ao programa previamente estabelecido, determinado pelas características da madeira, pois estas influenciam na secagem;.
  • Uniformização e condicionamento – nessa última fase, o objetivo é homogenizar a umidade dentro e entre as peças, tais como:

Para a realização da secagem da madeira deve-se considerar os diversos fatores que influeciam no processo:.

  • Fatores ligados as características da madeira: a espécie, o tipo de corte, a espessura da peça, o teor de umidade inicial, a relação cerne e alburno.
  • Fatores do processo de secagem: a temperatura, a umidade relativa do ar e a velocidade de circulação do ar.

Madeira Tratada[editar | editar código-fonte]

O valor agregado da madeira tratada vai além do seu uso específico. Uma estaca de eucalipto comum, por exemplo, dura em média três anos enquanto o tratamento permite que resista em média vinte anos reduzindo os efeitos causados pelo tempo, cupins, etc.Os valores do produto são calculados tendo como base o valor da madeira, valor do tratamento, e despesas com a preparação da madeira antes do processo de tratamento, produto químico utilizado e frete. A madeira tratada é analisada periodicamente por um químico do Instituto de Pesquisa Tecnológica de São Paulo (IPT).

O conhecimento técnico sobre o desempenho necessário para a estrutura da madeira, tais como vida útil, responsabilidade estrutural, garantias comerciais e legais e a implementação do controle de qualidade de toda a madeira tratada com produtos preservativos para garantir os principais parâmetros de tratamento: penetração e retenção do químico absorvido no processo de tratamento é fundamental. O tratamento da madeira reflorestada oferece maior vigor, resistência e durabilidade a partir da tecnologia de tratamento preservativo. A madeira autoclavada modificada apresenta economia, manutenção e garantia de 15 anos de durabilidade.

Perguntas e Respostas: Madeira Tratada[editar | editar código-fonte]

1- O que é madeira tratada? Madeira tratada é aquela modificada através de um processo de tratamento industrial, realizado a vácuo e pressão em autoclave, utilizando produtos preservativos regulamentados pelos órgãos competentes a fim de prolongar sua vida útil contra organismos xilófagos. A partir deste processo, a madeira oferece alta durabilidade, economia, segurança, versatilidade, fácil manutenção e garantia de qualidade. O essencial é ressaltar que ao prolongar a vida útil da madeira por meio de técnicas de tratamento, significa reduzir a necessidade de cortar novas árvores.

2 - Qual a diferença para as outras madeiras? O preço é o mesmo?

Madeiras Tratadas são em sua maioria, provenientes de reflorestamentos, estes por sua fez são plantados em áreas de cultivo e em muitos casos com manejo florestal, trazendo benefícios para fauna e flora, pois possibilita que estas fiquem intactas. Um reflorestamento tem tempo de corte muito inferior a uma mata, madeira de lei, trazendo exorbitantes diferenças de preços e como já citados benefícios naturais. O preço da madeira tratada reflorestada fica no mínimo cerca de 40% mais barato que a madeira de lei

Existe a madeira tratada em autoclave que é um processo tecnológico que incorpora mecânica e química, permitindo impregnar profundamente a madeira com produtos inseticidas e fungicidas de ação comprovada, assim temos o Pinus Autoclavado que tem alta durabilidade e resistência ao tempo, lembrando que a madeira de pinus é reflorestada. teste realizado em uma cadeira construida com pinus autoclavado foi exposta durante dez anos ao tempo, comprovando a eficiência do tratamento em autoclave.

3- Qual a utilização mais frequente? Serve para quê?

Construção civil (foi publicada esta matéria, no mês de janeiro: http://www.primeirahora.com.br/site/index.php?pg=noticia&intNotID=47544) engenharia, arquitetura, paisagismo e decoração, agricultura (fruticultura, plantios de uva, maçã), mourões e esticadores, entre outras peças feitas com madeira de Eucalipto tratada para emprego no campo. Além do excelente desempenho físico-mecânico e durabilidade, a alternativa ajuda diminuir a pressão sobre madeiras tropicais. Setor ferroviário, elétrico (postes de eletricidade - Postes de eucalipto preservado proporcionam melhor nível básico de isolamento (NBI), facilidade no manuseio e transporte, maiores espaçamentos entre cada poste e, consequentemente, mais economia. O que não é pouco, já que a instalação de postes representa entre 20% e 25% dos custos de implantação das redes de distribuição de energia elétrica.),

4- Quais são os tipos, tem categoria?

Classificamos pelos tipos de madeira: Vigas, estruturas, esquadrias, postes, dormentes, mourões, móveis de jardim.

5- Quais as normas técnicas Vigentes sobre o assunto?

ABNT NBR 16.143 - Preservação de Madeiras - Sistema de Categorias de Uso

ABNT NBR 6.232 - Penetração e Retenção de preservativos em madeira tratada sob pressão

Fonte[editar | editar código-fonte]

  • ABPM - Associação Brasileira de Preservadores de Madeira
  • Madeiras Motta Especializada em Pinus Autoclavado