Mae Marsh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mae Marsh
Nascimento Mary Wayne Marsh
9 de novembro de 1894
Madrid (Novo México)
Morte 13 de fevereiro de 1968
Hermosa Beach
Sepultamento Pacific Crest Cemetery
Cidadania Estados Unidos
Irmão(s) Marguerite Marsh
Ocupação atriz, ator/atriz de cinema, atriz de televisão
Prêmios
  • estrela na calçada da fama de Hollywood
Obras destacadas O Nascimento de uma Nação
Causa da morte enfarte agudo do miocárdio, cardioplegia

Mae Marsh (nascida Mary Wayne Marsh ;[1] Madrid (Novo México), 9 de novembro de 1894 - Hermosa Beach, 13 de fevereiro de 1968), foi uma atriz de cinema americana com uma carreira de mais de 50 anos.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Mae Marsh era Mary Wayne Marsh, nascida em Madri, Novo México, em 9 de novembro de 1894.[2] Era filha de Charles Marsh e Mary Wayne Marsh e frequentou a Escola do Sagrado Coração, bem como escola pública.[1]

Há uma história contada frequentemente sobre a infância de Marsh, de que seu pai, auditor de ferrovia, morreu quando ela tinha quatro anos. Sua família teria se mudado para São Francisco, onde seu padrasto morreu no grande terremoto de 1906. Sua tia-avó então teria levado Mae (e sua irmã mais velha, Marguerite), para Los Angeles, esperando que os estúdios as contratassem como extras . " [2] No entato, seu pai, Charles Marsh, era um bartender, não foi auditor de estrada de ferro, e estava vivo pelo menos em junho de 1900, quando Marsh tinha quase seis anos.[3] ]Seu padrasto, o inspetor de campos de petróleo, William Hall, não poderia ter morrido no terremoto de 1906, pois estava vivo nessa ocasião, tendo sido listado no censo de 1910, vivendo com sua mãe e irmãs.[4]

Marsh trabalhava como vendedora e costumava passear pelos cenários e estúdios, observando o progresso de sua irmã, que trabalhava em um filme. Começou como figurante em vários filmes e desempenhou seu primeiro papel no filme "Ramona" (1910) aos 15 anos.

“Marquei meu caminho no cinema”, relembra Marsh em "The Silent Picture". "Eu costumava seguir minha irmã Marguerite até o antigo estúdio da Biograph e, um dia, o Sr Griffth me notou, me fotografou e eu tive a minha chance. Amo meu trabalho e, embora novos e maravilhosos interesses surgiram na minha vida, ainda amo e não consigo pensar em desistir. ” [2]:114

Crescimento na Carreira[editar | editar código-fonte]

Mae Marsh em O nascimento de uma nação, 1915.
Mae Marsh em Intolerância, 1916
Mae Marsh em "Stake Uncle Sam do Play Your Hand" (1918)

Marsh trabalhou com DW Griffith em pequenos papéis na Biograph, quando filmavam na California e em Nova York. Sua grande chance veio quando Mary Pickford, estrela da Biograph, na época já casada, recusou-se a atuar no papel de Lily-White em "Man´s Genesis" por não querer mostrar suas pernas. Griffth deu o papel a Marsh, que ali começou sua trajetória no cinema.

Trabalhando com Mack Sennett e D.W.Griffith, às vezes atuava em oito filmes por ano e frequentemente fazia par romântico com Robert Harron, protegido de Sennett. Em "The Birth of a Nation" (1915), ela interpretou a moça ingênua que aguarda a volta da guerra de seus irmãos e que, em uma das cenas mais fortes do filme, salta para a morte ao invés de se submeter aos avanços de Gus, o chamado "negro renegado", que mais tarde é morto pela Ku Klux Klan. Em Intolerância (1916) ela atua como a esposa que teve o bebê levado depois que o marido foi injustamente preso.

Marsh assinou um contrato lucrativo com Samuel Goldwyn, no valor de US$ 2.500 por semana, após "Intolerance", porém nenhum dos filmes que fez com ele foi particularmente bem sucedido. Após seu casamento com Lee Arms, agente de publicidade de Goldwyn, em 1918, a produção de seus filmes diminuiu por cerca de um ano.

O último papel principal de Marsh foi em "The White Rose" (1923), com Ivor Novello e Carol Dempster. Ela juntou-se novamente a Novello na versão cinematográfica da peça teatral de sucesso, "The Rat" (1925).

Em 1955, March recebeu o prêmio "George Eastman"[5] por sua contribuição à arte cinematográfica.

Cinema Falado[editar | editar código-fonte]

Marsh deixou a aposentadoria para atuar no cinema falado e desempenhou um papel no remake de Henry King, "Over the Hill" (1931). Marsh atuou em vários outros filmes populares, como "Rebecca of Sunnybrook Farm" (1932) e "Little Man, What Now?" (1934). Ela também se tornou a atriz favorita do diretor John Ford, aparecendo em "The Grapes of Wrath" (1940), "How Green Was My Valley" (1941), "3 Godfathers" (1948), "The Robe" (1953) e "The Searchers" (1956).

March tem uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, localizada em Vine Street 1600.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Casou-se com o agente de publicidade de Sam Goldwyn, Louis Lee Arms, em 1918. Tiveram 3 filhos. Marsh morreu em 13 de fevereiro de 1968 e está enterrada no Pacific Crest Cemetery, em Redondo Beach, Califórnia .

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Filmes Mudos[editar | editar código-fonte]

Cinema Falado[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Sicherman, Barbara; Green, Carol Hurd (1980). Notable American Women: The Modern Period : a Biographical Dictionary. [S.l.: s.n.] ISBN 9780674627338 
  2. a b c Menefee, David W. (2004). The First Female Stars: Women of the Silent Era. [S.l.: s.n.] ISBN 9780275982591 
  3. U.S. Census records for 1900, El Paso, Texas, Sheet No. 6
  4. U.S. Census records for 1910, Los Angeles, California, Sheet No. 4A
  5. «Eastman House award recipients · George Eastman House Rochester» [ligação inativa] 
Bibliografia
  • When the Movies Were Young. Linda Arvidson. Nova York: Dover Publications, Inc., 1969.
  • Adventures with DW Griffith. Karl Brown. Nova York: Farrar, Straus e Giroux, 1973.
  • Robertson-Cole offers Mae Marsh in a Sumptuosly Produced Play From Novel. The Moving Picture World , 18 de dezembro de 1920.
  • Mae Marsh in an interview with Robert B. Cushman. Anthony Slide em The Silent Picture . Nova York: Arno Press, 1977.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]