Magno I da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Magno I
Cenotáfio do rei Magnus em Vreta, na Suécia
Rei da Suécia
Reinado 1126 a 1130
Antecessor(a) Ragnvald
Sucessor(a) Sverker I
 
Esposa Ricarda da Polônia
Casa Real Estridsen
Nascimento c. 1106
Morte 3 de junho de 1134 (28 anos)
Batalha de Fotevik, Escânia, Suécia
Pai Nicolau da Dinamarca
Mãe Margarida da Suécia

Magno I (c. 11063 de junho de 1134) foi um príncipe dinamarquês, eleito rei da Suécia pelos Gotas, sem ser reconhecido pelos Sveas, de 1126 até ser deposto em 1130 por Sverker I. Era filho do rei Nicolau da Dinamarca e sua esposa Margarida da Suécia, filha do rei Ingo I da Suécia.[1]

Como era o neto mais velho de Ingo I da Suécia, ele reclamou o trono da Suécia quando seu primo Ingo II da Suécia morreu, em 1125. Os Gotas o elegeram rei em 1120, mas os Sveas vetaram-no (de acordo com a lei de Västgötalagen, os Sveas tinham o direito de eleger e depor um rei) e escolheram um outro rei, Ragnvald Knaphöved, o qual foi morto em seguida pelos Gotas. Magno não é mencionado na crónica real (kungakrönika) da lei Västgötalagen da Västergötland e, em 1130, foi expulso da Suécia por Sverker I da Suécia.[1][2]

Magno tomou parte nas lutas civis dinamarquesas, tentando ajudar seu pai, o rei Nicolau, a se estabelecer como rei daquela região, para que ele mesmo pudesse ser o herdeiro e futuro rei. Porém, Magno morreu na batalha de Fotevik, em Escânia, em 1134. Seu pai foi derrotado na batalha e morreu no mesmo ano.

A viúva de Magno, Rissika, retornou ao oeste, onde se casou com Valadar de Miensk, um governante da Dinastia Rurik de origem viking. Rissika voltou para a Suécia, onde se casou pela terceira vez com Sverker I, o rival vencedor de Magno.

O filho de Magno, Canuto V da Dinamarca, contestou o trono dinamarquês com seu primo, Sueno III.

Sua descendência legítima foi extinta com o assassinato de Canuto V, em 1157. O filho ilegítimo de Canuto, Valdemar (arcebispo de Brema e de Schleswig), que foi o último descendente de Magno, morreu em 1236.

Referências

  1. a b «Magnus Nilsson» (em sueco). Nationalencyklopedin - Enciclopédia Nacional Sueca. Consultado em 11 de maio de 2016. 
  2. Henrikson, Alf; Björn Berg (1963). «Margareta Fredkulla». Svensk historia (em sueco) (Estocolmo: Bonnier). p. 97. ISBN 91-0-055344-1.