Magno V da Noruega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Magno V
Ilustração das Sagas de Magnus Erlingsson, por Wilhelm Wetlesen na edição de 1899 da Heimskringla.
Rei da Noruega
Reinado 1161 a 15 de junho de 1184
Predecessores Ingo I e Haakon II
Sucessor(a) Sverre
 
Esposa Estrid Bjørnsdotter
Descendência Sigurd Magnusson
Ingo Magnusson (reclamado)
Erling Steinvegg (reclamado)
Casa Hardrada
Nome completo
Magnús Erlingsson
Nascimento c. 1156
  Etne, Hordaland
Morte 15 de junho de 1184 (28 anos)
  Sogndal
Enterro Bergen
Religião cristão
Pai Erling Skakke
Mãe Cristina Sigurdsdatter

Magno V Erlingsson (em nórdico antigo, Magnús Erlingsson) (c. 1156 - 1184) foi rei da Noruega de 1161 a 1184.[1]

Durante todo seu reinado ocorreu uma guerra civil entre seus partidarios e seus opositores e durante a maior parte seu pai funcionou como o regente do reino. Apoiado pela Igreja, foi o primeiro monarca norueguês a ser coroado. Seus últimos anos foram marcados pela oposição crescente, que terminou por derrotá-lo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho do poderoso nobre jarl Erling Skakke e de Cristina Sigurdsdatter.[1] Magno nasceu num período de turbulências na Noruega. Seu pai era um dos principais aliados do rei Ingo I na guerra civil contra seus irmãos e sua mãe, uma filha do rei Sigurdo, o Cruzado. Quando o rei Ingo morreu em batalha em 1161, seus seguidores ficaram sem um candidato ao trono. Magno foi então designado como o rei do grupo nesse mesmo ano, em oposição a Haakon II, em 1161, com apenas cinco anos.

Com a morte do jovem Haakon II, Magno tornou-se no único monarca do país, apesar de seu pai, que tinha o título de jarl, ser o governante de facto.[2] No entanto, Magnus não era o filho de um rei (a condição anteriormente necessária para ser rei) e seu governo foi considerado ilegítimo. Para legitimar Magno, foi usada para Igreja. A instituição, liderada na Noruega pelo arcebispo Eystein de Nidaros, estabeleceu a condição de ser filho legítimo como condição para alcançar o trono. Magno foi coroado na Antiga catedral de Bergen em 1163, na primeira cerimônia de coroação na história da Noruega.[1] Para assegurar sua posição, Erling Skakke pactuou uma aliança com Valdemar I da Dinamarca.[1]

Embora seu pai se encarregasse de eliminar seus oponentes e potenciais pretendentes, um novo grupo de oposição emergiu, os birkebeiner. Eles foram combatidos com dureza, mas em 1177 se uniu a eles Sverre Sigurdsson, um novo pretendente ao trono chegado das Ilhas Feroe. Sverre representava um inimigo formidável e venceu a Erling Skakke em 1179.[1]

Magno continuou a guerra contra Sverre, cada vez com maiores infortúnios, mesmo com o importante apoio da Igreja norueguesa e do Papa Alexandre III. A batalha final entre ambos os reis rivais foi a de Fimreite, em Sognefjord em 1184, onde Magnus foi derrotado e morto.[1] Sverre atacou a frota de Magno enviando seus navios para a batalha em esquadrões, para carregar e submergir um navio de cada vez, forçando os homens de Magno a pular para o próximo navio. Enquanto a batalha prosseguia, os navios restantes se tornavam extremamente apertados e depois começava a submergir por causa do peso. O rei Magno, conforme relatos, submergiu em um dos últimos de seus navios.[3]

Magnúss saga Erlingssonar em Heimskringla[editar | editar código-fonte]

Magnúss saga Erlingssonar é uma das histórias da Heimskringla de Snorri Sturluson sobre os reis noruegueses. Erling Skakke, que matou o rei Haakon II em vingança pela morte do rei anterior Ingo, assegurou o trono para seu filho Magno que, embora não fosse um descendente de uma dinastia real pela linhagem paterna, era neto de Sigurd, o Cruzado, por linha materna. Heimskringla finaliza quando ainda Magno e seu pai Erling seguravam as rédeas do poder.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Ingo I
Haakon Ombros-largos
Norwegian Royal Standard flag.png
Rei da Noruega

1161 - 1184
Em conjunto com Haakon II de 1161 a 1162
Sucedido por
Sverre Sigurdsson