Magnum opus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura por pelo álbum de Yngwie Malmsteen, veja Magnum Opus (álbum). Se procura por pelo álbum de Hollenthon, veja Opus Magnum.

Magnum opus (plural: magna opera, também opus magnum / opera magna), em latim, significa "grande obra". Refere-se à melhor, mais popular ou renomada obra de um artista ou pensador.

Numa alusão à obra divina da criação e ao projeto de redenção nela contido, o processo social foi designado por "Grande Obra". Nesse processo, uma matéria inicial, misteriosa e caótica, chamada matéria prima, em que os opostos se encontram ainda inconciliáveis num conflito violento, deve ser transformada progressivamente num estado de libertação de harmonia perfeita, a "Pedra Filosofal" redentora ou o lapis philosophorum: «Primeiro, combinamos, em seguida decompomos, dissolvemos o decomposto, depuramos o dividido, juntamos o purificado e solidificamo-lo. Deste modo, o homem e a mulher transformam-se num só.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. in Büchlein vom Stein des Weisen, 1778 / Extraído de Alquimia & Misticismo, de Alexander Roob, Editora Taschen


Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.