Majulah Singapura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Majulah Singapura'
Pauta do hino nacional singapuriano

Hino Nacional Singapura Singapura
Letra Zubir Said, 1958
Composição Zubir Said, 1958
Adotado 1965

Majulah Singapura é o hino nacional de Singapura. Composto por Zubir Said em 1958 como um tema musical para funções oficiais da Câmara Municipal de Singapura, a canção foi escolhida em 1959 como o hino da ilha quando ela conseguiu autonomia governamental. Após a independência total em 1965, "Majulah Singapura" foi oficialmente adoptado como hino nacional de Singapura. Por lei o hino só pode ser cantado com a sua letra original em malaio, embora existam traduções autorizadas da letra do hino em três outras línguas oficiais do país: inglês, mandarim e tâmil.

Originalmente composto na tonalidade de sol maior, em 2001 o hino nacional foi oficialmente relançado em fá maior, para permitir um "maior e mais inspirador arranjo".

O hino nacional é tocado regularmente ou cantado nas escolas e nos acampamentos das forças armadas, e em cerimónias realizadas no início e/ou no final de cada dia. Os singapurianos são especialmente incentivados a cantar o hino nacional em ocasiões de festa nacional ou de importância nacional, em cerimônias realizadas por instituições educativas e departamentos governamentais, e em eventos desportivos, em que participam equipas de Singapura.

Letra[editar | editar código-fonte]

Em malaio[editar | editar código-fonte]

Mari kita rakyat Singapura
Sama-sama menuju bahagia
Cita-cita kita yang mulia
Berjaya Singapura
Marilah kita bersatu
Dengan semangat yang baru
Semua kita berseru
Majulah Singapura
Majulah Singapura

Em português[editar | editar código-fonte]

Vinde, Singapureanos
Vamos progredir juntos no sentido da felicidade
Que as nossas nobres aspirações tragam
Êxito para Singapura
Vem, vamos unir
Num novo espírito
Deixem as nossas vozes subir como um
Avante, Singapura!
Avante, Singapura!

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • «Hino nacional». Info-mapa de Singapura, Ministério da Informação, Comunicação e Artes (MICA). 2004. Consultado em 9 de dezembro de 2007