Make Way for Tomorrow

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Make Way for Tomorrow
Abram Alas para o Futuro (PT)
A Cruz dos Anos (BR)
 Estados Unidos
1937 •  pb •  91 min 
Direção Leo McCarey
Roteiro Viña Delmar
Josephine Lawrence
Elenco Victor Moore
Beulah Bondi
Gênero Drama
Cinematografia William C. Mellor
Distribuição Paramount
Lançamento 9 de maio de 1937
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Make Way for Tomorrow (A Cruz dos Anos (título no Brasil) ou Abram Alas para o Futuro (título em Portugal)) é um filme de drama norte-americano de 1937 estrelado por Victor Moore e dirigido por Leo McCarey. O roteiro é baseado no livro The Years Are So Long de Josephine Lawrence.

Em 2010, foi selecionado para preservação pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos pela sua significância "cultural, histórica ou estética" [1][2].

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Barkley "Bark" e Lucy Cooper são um casal de idosos que perdem a casa por não conseguir saldar uma dívida com o banco local. Eles reúnem quatro dos seus cinco filhos e fica decidido que Lucy ficará com a família de George e Barkley com a de Cora por pelo menos três meses, tempo que a filha Nellie pede para que possa acomodar os dois idosos em sua grande casa. Mas o marido dela não aceita e os pais continuam com os outros filhos, sofrendo todo tipo de irritação e desentendimento. Até que Barkley fica resfriado e Cora usa esse pretexto para enviá-lo para a Califórnia, na casa de outra filha que, contudo, também não quer abrigar o casal. Lucy então aceita ser enviada pra um asilo, mas não quer que o marido saiba disso e pede segredo a George. Mas antes da partida, o casal tem algumas horas para se despedirem e vão a lugares de Nova Iorque que visitaram quando de sua lua-de-mel, há cinquenta anos.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Orson Welles disse sobre Make Way for Tomorrow (em tradução livre, como as demais): "Isso faria uma rocha chorar"[4] e comentou sobre seu entusiasmo pelo filme na série de entrevistas que concedeu a Peter Bogdanovich, This Is Orson Welles. Na revista Newsweek, o famoso cineasta documentarista Errol Morris indicou esse filme como seu preferido, afirmando: "O mais depressivo filme que foi feito, providenciando garantias de que tudo definitivamente acabará mal" [5]

Make Way for Tomorrow também obteve boas resenhas ao ser lançado no Japão, onde foi assistido pelo escritor Kogo Noda. Anos mais tarde, foi a inspiração para o roteiro de Tokyo Story (1953), escrito por Noda e dirigido por Yasujirō Ozu.

Roger Ebert incluiu esse filme na lista dos "Maiores Filmes" em 11 de fevereiro de 2010, escrevendo:

"Make Way for Tomorrow" (1937) é um quase-esquecido filme americano sobre a Depressão...A grande sequência final é bonita e e de partir o coração. É fácil imaginar isto sensibilizando um executivo do estúdio, querendo que fosse mais feliz para o público. Mas não McCarey. O que se desenrola é maravilhoso e triste. Tudo depende das atuações" [6]

O filme é agora parte da Criterion Collection, descrito como sendo "...uma das grandes obras-primas não decantadas por Hollywood, uma grande representação da Era da Depressão sobre frustrações familiares, idade avançada, e diferenças entre gerações...Make Way for Tomorrow é o mais puro melodrama americano, toda a jornada para seu final inflexível, que McCarey recusou a mudar apesar de pressões do estúdio [7]

O filme indiano de 2003 Baghban é uma adaptação não oficial de Make Way for Tomorrow.

Referências

  1. «'Empire Strikes Back' among 25 film registry picks». Consultado em 28 December 2010  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  2. Barnes, Mike (28 de dezembro de 2010). «'Empire Strikes Back,' 'Airplane!' Among 25 Movies Named to National Film Registry». The Hollywood Reporter. Consultado em 28 de dezembro de 2010 
  3. Rosemary Theby no IMDB
  4. Uhlich, Keith. «Make Way for Tomorrow». Slant Magazine. Consultado em 1 de maio de 2012 
  5. «Movies: Errol Morris». Newsweek. The Daily Beast. Consultado em 1 de maio de 2012 
  6. «Make Way for Tomorrow (1937)». Roger Ebert. Consultado em 5 de maio de 2010 .
  7. «Make Way for Tomorrow (1937)». The Criterion Collection. Consultado em 7 de maio de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]