Malanje

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Este artigo cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Malanje
Localidade de Angola Angola
(Cidade e Município)
Malanje centro 2011-08 IMG1321.jpg

Centro da cidade
Dados gerais
Gentílico Malanjino (a)
Província Malanje
Município(s) Malanje
Características geográficas
Área 2.422 km²
População 221.785 hab.
Densidade 92 hab./km²
Altitude 1.220 m

Malanje está localizado em: Angola
Malanje
Localização de Malanje em Angola
9° 32' 29.95" S 16° 20' 27.78" E{{{latG}}}° {{{latM}}}' {{{latS}}}" {{{latP}}} {{{lonG}}}° {{{lonM}}}' {{{lonS}}}
Dados adicionais
Prefixo telefónico +244
Sítio Governo Provincial de Malanje
Projecto Angola  • Portal de Angola
Kalandula waterfalls of the Lucala-River in Malange, Angola.JPG

Malanje (por vezes erroneamente grafada Malange) é uma cidade e município de Angola, da capital da província de Malanje.

O município tem 2 422 km² e 221.785 habitantes.[1] É limitado a Norte pelo município de Cuaba Nzogo, a Este pelo de Mucari, a Sul pelos municípios de Cangandala e Mussende, e a Oeste pelos de Cacuso e Calandula. É constituído pelas comunas de Malanje, Quimbamba, Ngola-Luíje, Cambaxe, Cambondo e Cangando.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A região de Malanje era no passado parte do Reino da Matamba, um estado poderoso que confrontou o Império Português até meados do século XIX, quando finamente caiu.

Sua história começa quando a Rainha Njinga conquistou as terras do Reino da Matamba, em 1630, e proclamou-se na Rainha de Matamba. Os limites geográficos do Reino da Matamba eram os mesmos que do Reino do Ndongo. Os portugueses tiveram que os defrontar depois de 1648, quando a Rainha Njinga Mbandi aí se fixou. A interferência militar dos portugueses no Reino foi crescendo cada vez mais, até que estes conseguiram impor um rei à sua escolha ao trono de Matamba, em 1763.

Não se sabe ao certo a data de fundação de Malanje, mas é de conhecimento que no ano de 1852 foi criada uma feira em Malanje e a paróquia de Nossa Senhora de Assunção. No ano de 1857 foi fundado o presídio e no ano de 1862 foi fundado um forte.

Malanje é a única cidade do planalto. Foi fundada na margem do rio Malanje e era um centro importante que fica entre as regiões de Cassanje e Lunda. Após a guerra ocorrida em baixa de Cassanje entre os anos de 1861 e 1862, Malanje foi retalhada por conelhos e presídios e permaneceu esquecida por algum tempo.

A partir da independência de Angola, em 1975, a capital da província de Malanje passou a ser considerada como uma única cidade, visto que ela era dividida em uma cidade "branca" e uma cidade "africana". Ainda é visível na cidade a separação através de construções da colonização portuguesa e novas construções pós-independência.

Cronologia histórica[editar | editar código-fonte]

  • 1671 - Criação do presídio de Pungo Andongo.
  • 1838 - Criação do presídio de Calandula.
  • 1843 - Deslocação do deslocamento militar para o Lombe.
  • 1852/53 - O Soba aceitou a presença dos primeiros comerciantes, com o estatuto de "moradores".
  • 1852 - Foi criada uma feira e a paróquia de Nossa Senhora de Assunção.
  • 1861/62 - Guerras ocorridas na região do Cassange deixam Malanje esquecida e "retalhada" por concelhos.
  • 1862 - Foi fundado o Forte de Malanje.
  • 1867/68 - Malanje como sede do Concelho.
  • 1895 a 1921 - Foi capital do Distrito Malanje-Lunda.
  • 1910 - Chega a linha do Caminho de Ferro de Luanda, que liga Malanje a Luanda.
  • 1933 - É concedida a Malanje a categoria de Cidade.
  • 1961 - É iniciada a 4 de Janeiro uma revolta em Malanje contra os portugueses que, através de um efeito cascata, transforma-se na luta pela Independência de Angola.
  • 1970 - A população malanjina atinge 30.000 habitantes.
  • 1992 - Caminho de Ferro de Luanda é destruído com a retomada da Guerra Civil Angolana
  • 2002 - Fim da Guerra Civil Angolana.
  • 2010 - Caminho de Ferro de Luanda é restaurado permitindo escoamento de produtos agro-pecuários e minerais.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

A cidade é ligada por via rodoviária pela EN-140, qua a liga ao norte à cidade de Calandula, e ao sul à Cangandala. Outra rodovia importante é a EN-230A qua a liga ao N'dalatando, à oeste, e ao Mucari, ao leste.[3]

Malanje é o ponto final do Caminho de Ferro de Luanda, sendo um dos mais importantes meios de transporte e escoamento da região. Sua ligação final se dá com o Porto de Luanda.

A cidade é servida pelo Aeroporto de Malanje.

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade de Malanje sedia a Universidade Lueji A'Nkonde e o Instituto Superior Politécnico de Malanje.

Cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Um dos principais pontos de atração da qual dispõe Malanje é o Parque Nacional da Cangandala, que é uma reserva de proteção de diversas espécies, além de ser muito apreciado pelo eco-turismo.

A Arquidiocese de Malanje promove duas tradições culturais-religiosas muito populares na cidade, sendo a maior a Procissão de Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, que sai da paróquia de Nossa Senhora de Fátima da Maxinde e culminando na igreja da Sé Catedral de Malanje,[4] e; a Peregrinação ao Santuário Pungo-Andongo, sendo uma procissão de velas, acompanhada da transportação da imagem da Nossa Senhora do Rosário, a partir do local onde se encontram as peugadas da Rainha Nginga Mbandi até ao até ao Santuário de Pungo-Andongo.[5]

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 14 de setembro de 2010. Arquivado do original em 15 de outubro de 2009 
  2. Egídio Sousa Santos, A Cidade de Malanje na história de Angola (dos finais do século XIX até 1975), Luanda: Nzila, 2006
  3. Angola/Malanje: Reabilitação da Estrada 230 termina em 2017. Portal Angop. 3 de setembro de 2016.
  4. Malanje: Procissão de solenidade do corpo de Cristo junta milhares de fiéis católicos. Portal Angop. 4 de junho de 2018.
  5. Malanje: Procissão de velas abre peregrinação ao Santuário de Pungo-Andongo. Portal Angop. 6 de outubro de 2017.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia de Angola, integrado no Projecto Angola, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.