Mamady Doumbouya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mamady Doumbouya
Presidente do Comitê Nacional de Reconciliação e Desenvolvimento
Período 5 de setembro de 2021
a atualidade
Antecessor(a) Alpha Condé
Dados pessoais
Nascimento 4 de março de 1980 (41 anos)
Cancã, Guiné
Serviço militar
Lealdade República da Guiné
Graduação Coronel
Unidade Forças Armadas da República da Guiné

Mamady Doumbouya é um político guineense que é presidente da Guiné desde 5 de setembro de 2021. Foi o coronel que liderou o golpe de Estado na Guiné em 2021. É membro do Grupo de Forças Especiais e ex-legionário francês. Durante o golpe, Doumbouya divulgou uma transmissão na televisão estatal declarando que sua facção havia dissolvido o governo e a Constituição.

Vida pregressa[editar | editar código-fonte]

Doumbouya nasceu na região de Kankan, na Guiné.[1] Ele é de origem Mandinka.[1]

Carreira militar[editar | editar código-fonte]

Doumbouya era um legionário francês que ocupou o posto de cabo antes de retornar à Guiné para liderar o Grupo de Forças Especiais, uma unidade militar de elite criada por Alpha Condé.[1][2] Quando assumiu o cargo, sendo promovido ao posto de comandante de batalhão, foi citada sua experiência internacional, incluindo o treinamento realizado em diversos países. [1] [2] Ele foi promovido a tenente-coronel em 2019 e a coronel em 2020.[2][3] Em 2021, teria buscado mais autoridade para o Grupo de Forças Especiais.[1]

Referências

  1. a b c d e «Guinée : portrait du colonel Mamady Doumbouya, auteur du putsch du 5 septembre 2021». Africa 24. 5 de setembro de 2021 
  2. a b c Independent, The (5 de setembro de 2021). «Focus on Lt Col Mamady Doumbouya in Guinea 'coup'». The Independent Uganda: (em inglês). Consultado em 5 de setembro de 2021 
  3. «Guinean rebel leader Colonel Doumbouya announces president's arrest». TASS. 5 de Setembro de 2021. Consultado em 5 de Setembro de 2021