Mamede Paes Mendonça

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mamede Paes Mendonça

Mamede Paes Mendonça (Ribeirópolis/SE, 5 de agosto de 1915 - São Paulo/SP, 21 de outubro de 1995) foi um empresário brasileiro, pioneiro no ramo de supermercados no Brasil e fundador do Paes Mendonça, uma das maiores redes varejistas do país.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Eliziário e de Maria da Conceição, membros de uma família pobre de agricultores, que sobreviviam do que plantavam e colhiam em um pequeno lote de terra, num povoado do Município de Ribeirópolis, estado de Sergipe, chamado Serra do Machado, localizado numa região sofrida pelas longas estiagens.[carece de fontes?]

Era casado com Lindaura Andrade, com quem teve seis filhos; irmão de Pedro Paes Mendonça e tio e padrinho de João Carlos Paes Mendonça[1].

Em vida, foi condecorado com diversos títulos, tais como: Comendador, conferido pelo Governo de Portugal; Diploma da Fraternidade Sacerdotal de Sergipe e "Amigo da Marinha". Em 1984, o sergipano recebeu ainda o título de Cidadão Baiano, pela Assembleia Legislativa da Bahia[2].

Faleceu em 21 de outubro de 1995, aos 80 anos [3].

Empresa[editar | editar código-fonte]

Paes Mendonça S.A.jpg

Ainda muito jovem, aos 15 anos de idade, Mamede descobriu o comércio, vendendo farinha na feira, em sua cidade natal.

Disposto a abandonar a roça, juntou dinheiro embaixo do colchão durante seis anos. No ano de 1936, aos 21 anos de idade, havia poupado mil e quinhentos réis, que foram empregados na compra de uma pequena padaria, no município de Ribeirópolis[4].

Os negócios na pequena padaria iam bem, mas Ribeirópolis era um pequeno distrito, e Seu Mamede entendia que era preciso crescer, ir para um grande centro da região, com um comércio maior e mais desenvolvido.

Assim, quatro anos mais tarde, em 1940, abriria um armazém de secos e molhados na cidade de Itabaiana/SE.

Em Itabaiana, os negócios cresciam, e a região começava a ficar pequena, Mamede partiu, então, para a capital, Aracaju, onde, em 1947, abriu filial, também com um armazém de secos e molhados.

Desde o primeiro comércio em Ribeirópolis, Mamede viajava muito para a Bahia, uma vez que sua capital, Salvador, era o centro abastecedor da região. Lá comprava as mercadorias para revender no seu comércio.

A convivência frequente com Salvador foi se tornando muito sedutora, para Mamede, que percebeu que para crescer teria que ir para aquela cidade, o que fez, em 1951, instalando-se na Praça Marechal Deodoro, com um loja de atacado, vendendo secos e molhados. O grande passo tinha sido dado.

Na década de 50, quando chegou em Salvador, a cidade era abastecida pelos armazéns, a maioria deles pertencente a comerciantes espanhóis e portugueses. Havia também as feiras-livres, como Água de Meninos e a das Sete Portas, que eram as mais conhecidas e procuradas. Prevalecia na época o sistema de venda por caderneta. O consumidor comprava semanalmente, ou por mês, através de caderneta. O pagamento era feito logo, contra a entrega da mercadoria, ou quando ele recebia seu salário, no fim do mês.

Anos mais tarde, nos idos de 1959, em viagem à Argentina, para comprar alpiste - que, na época, andava em falta no Brasil - conheceu alguns supermercados. Na volta, passando por Montevidéu, Uruguai, observou outras lojas em formato semelhante. Gostou e se convenceu de que aquele era o futuro do comércio de alimentos, retornando decidido a ser o pioneiro daquela nova forma de vender, na Bahia.[5]

Assim, em 1959, é aberta a primeira de auto-serviço (supermercado) na Bahia, uma ideia avançada a época. Mais precisamente, no dia 02 de dezembro de 1959, inaugurou um pequeno supermercado no bairro de Nazaré, em Salvador, mais precisamente à Rua Jogo do Carneiro. Nascia ali a loja 01[5].

Os resultados positivos da primeira loja de supermercados o animou a continuar expandindo o setor. Menos de um ano depois, em 27 de agosto de 1960, inaugurou a loja 02, no Edifício Oceania, na Barra.

Em 1961, era inaugurada a Loja da Rua Visconde de São Lourenço, no forte de São Pedro. Em seguida, a Loja 04, na Baixa dos Sapateiros. Quando completou 25 anos em Salvador, inaugurou a Loja 25.

E aí por diante, atingindo e passando em muito o sonho/meta que tinha de completar 100 lojas. A loja número 100 foi inaugurada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ, tida, na época, como o maior Hipermercado do Brasil e terceiro maior do mundo.

No auge, Paes Mendonça teve 156 lojas, em 4 estados do Brasil (Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte)[4][5].

Hiper Paes Mendonça - Loja 100 - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ

Referências

  1. «O midas do Nordeste». ISTOÉ DINHEIRO. 31 de agosto de 2011. Consultado em 14 de abril de 2022 
  2. «Sr. Mamede Paes Mendonça recebe título de Cidadão Baiano». Assembleia Legislativa da Bahia 
  3. «Paes Mendonça é enterrado em Salvador». Folha de S. Paulo. 23 de outubro de 1995 
  4. a b Jacobina, Ronaldo (6 de agosto de 2015). «Lições de Mestre». Portal A TARDE 
  5. a b c DE SOUZA, JOYCE (5 de agosto de 2015). «Setor varejista celebra centenário de Mamede Paes Mendonça». A TARDE