Manchete (revista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Revista Manchete
Slogan Aconteceu, virou Manchete
Editor Adolpho Bloch
Frequência Esporádica, geralmente no carnaval
Editora Bloch Editores
Circulação Nacional
Categoria Notícias
País  Brasil
Idioma português
Primeira edição 26 de Abril de 1952
Última edição 29 de Julho de 2000
http://

Manchete foi uma revista brasileira publicada semanalmente de 1952 a 2000 pela Bloch Editores.

História[editar | editar código-fonte]

Criada por Adolpho Bloch, posteriormente, o nome da revista foi dado à emissora de televisão, a extinta Rede Manchete. Segundo a Executive Intelligence Review (EIR), de 25 de agosto de 1981, a Revista Manchete era sionista.[1]

Como outros títulos da Bloch Editores, foi comprada pelo empresário Marcos Dvoskin[2] e relançada em 2002, pela Editora Manchete. No entanto, deixou de ter periodicidade semanal para passar a ser editada apenas em edições especiais sem periodicidade fixa, como os especiais de Carnaval.

A Manchete surgiu em abril de 1952, sendo considerada a segunda maior revista brasileira de sua época, atrás apenas da revista O Cruzeiro. Empregando uma concepção moderna, a revista tinha como fonte de inspiração a ilustrada parisiense Paris Match e utilizava, como principal forma de linguagem, o fotojornalismo. Em seu auge, a equipe de jornalistas e colaboradores tinha nomes como Carlos Drummond de Andrade, Rubem Braga, Manuel Bandeira, Paulo Mendes Campos, Fernando Sabino,David Nasser e Nelson Rodrigues, entre outros. O fotógrafo e cinegrafista francês Jean Manzon era o responsável pelas principais imagens da revista.[3]

A Manchete atingiu rápido sucesso e em poucas semanas chegou a ser a revista semanal de circulação nacional mais vendida do país[4], destituindo a renomada e, até então, hegemônica O Cruzeiro. Em 2000, com a falência de Bloch Editores,[5] a revista deixou de circular, sendo depois relançada com outros donos, de maneira esporádica.

A Rede Manchete exibiu os comerciais da revista Manchete desde abril de 1983, sendo que após a falência da emissora, em 10 de maio de 1999, os comerciais da revista passaram a ser exibidos na CNT. A emissora paranaense exibiu os comerciais da revista Manchete, de junho de 1999 a julho de 2000, quando a última edição de Manchete foi publicada, e com isso, as empresas Bloch deixaram de existir.

Referências