Manganite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Manganite
Manganite, Ilfeld, Turíngia, Alemanha (tamanho: 5.2×4.1×2.7 cm)
Categoria Mineral óxido
Cor Aço escuro-cinza ao preto, marrom avermelhado na luz transmitida, cinza-branca com tonalidade acastanhada, com reflexões internas vermelhas-sangue na luz refletida
Fórmula química MnO(OH)
Propriedades cristalográficas
Sistema cristalino Monoclínica, pseudo-ortorrômbica
Hábito cristalino Cristais prismáticos delgados, maciços para fibroso
Propriedades ópticas
Transparência Opaco, transparente nas bordas finas
Índice refrativo nα = 2.250(2)
nβ = 2.250(2)
nγ = 2.530(2)
Birrefringência δ = 0.280, Bireflectance: distinto em cinzas
dispersão Muito forte
Pleocroísmo Fraco
Propriedades físicas
Densidade 4.29–4.34
Dureza 4
Clivagem {010} perfeita, {110} e {001} boa
Fratura Desigual
Tenacidade Frágil
Brilho Sub-metálico
Risca Marrom avermelhado ao quase preto
Referências [1][2][3][4][5]

Manganite é um mineral constituído por óxido-hidróxido de manganés, MnO(OH), que cristaliza no sistema monoclínico (pseudo-ortorrombico).[1]. Os cristais de manganite são prismáticos e bastante estriados paralelamente ao seu comprimento; estão frequentemente agrupados em feixes. A sua cor é cinzento metálico escuro a ferro-preto, e o brilho brilhante e submetálico. O risco é castanho avermelhado escuro. A dureza é de 4, e a densidade é de 4.3. Há uma clivagem perfeita paralela ao brachypinacoid, e uma clivagem menos perfeita paralela às faces do prisma. Maclas são frequentes.

O mineral contém 89.7% trióxido de manganés; dissolve-se em ácido clorídrico com evolução de cloro.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

Manganita

Manganite ocorre com outros óxidos de manganés em depósitos formados por circulação de água meteórica em ambiente de meteorização em depósitos de argila e laterites. Forma-se devido a acção hidrotermal de baixa temperatura em veios, associada a calcite, barite e siderite. frequentemente associada a pirolusite, braunite, hausmanite e goethite.[1][4]

Manganite ocorre em espécimes que exibem boas formas cristalinas em Ilfeld nas montanhas de Harz da Alemanha[5], onde o mineral ocorre com calcite e barite em veios porfíricos atravessados. Também foram encontrados cristais em Ilmenau na Thuringia, Neukirch perto de Sélestat em Alsácia, Granam perto de Towie em Aberdeenshire, e em Upton Pyne perto de Exeter, Reino Unido e Negaunee, Michigan, Estados Unidos, e em Pilbarra da Australia Ocidental. Bons cristais foram também encontrados em Atikokan, Ontário e Nova Escócia, Canadá. Como um minério de manganés, é muito menos abundante que pirolusita ou criptomelana.

Embora tenha sido descrito com vários nomes desde tão cedo como 1772, o nome manganite foi primeiramente aplicado numa publicação de W. Haidinger em 1827.[6]

Estrutura cristalina da manganite

Referências

  1. a b c Handbook of Mineralogy
  2. Mindat
  3. Webmineral data
  4. a b Klein, Cornelis and Cornelius S. Hurbut, Jr., Manual of Mineralogy, Wiley, 20th ed., 1985, p. 317 ISBN 0-471-80580-7
  5. a b T. P. Moore, Famous Mineral Localities: Ilfeld, Harz Mountains, Thuringia, Germany, The Mineralogical Record, vol. 41, no. 6, 2010.
  6. Palache, Charles, Harry Berman and Clifford Frondel, The System of Mineralogy V.1, p. 646, Wiley, 7th ed., 1944
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Manganite
Ícone de esboço Este artigo sobre um mineral ou mineraloide é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.