Mangostim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mangostão)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMangostim
Fruto inteiro e em corte
Fruto inteiro e em corte
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Malpighiales
Família: Clusiaceae
Género: Garcinia
Espécie: G. mangostana
Nome binomial
Garcinia mangostana
L. 1753
Sinónimos
Mangostana garcinia Gaertn.

O mangostim (português brasileiro) ou mangostão (português europeu) (pronúncia em português: [mɐ̃guʃˈtʃĩ], [mɐ̃guʃˈtɐ̃w] (Garcinia mangostana L.; Clusiaceae, ex-Gutiferae ou Hypericaceae) é uma fruta proveniente de uma árvore frutífera tropical de mesmo nome. Foi descrito pela primeira vez no livro Species Plantarum de Linnaeus em 1753. O mangostim começou a ser cultivado com mais frequência a partir de 1855.[carece de fontes?]

Características[editar | editar código-fonte]

Ilustração representando parte da árvore do mangostim.
Fruto em corte

A árvore pode alcançar 10 metros de altura.[1] As folhas são grandes, duras, de coloração verde-escura e brilhante. As flores são grandes, de coloração vermelho-escura. O fruto é esférico, vermelho a castanho-escuro, manchado de amarelo, com casca espessa, polpa mole, suculenta, de sabor delicado e muito característico que envolve uma única semente oleaginosa de textura lisa e firme. O tamanho médio de um mangostim é de 6 a 8 centímetros de diâmetro.

A safra geralmente ocorre entre fevereiro e abril. O fruto é geralmente consumido ao natural ou utilizado para preparar sucos, doces e tortas. A polpa pode ser encontrada enlatada, congelada e desidratada.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

Árvore do mangostim

Nativo da região tropical do sudeste asiático (Tailândia e Malásia principalmente), abrangendo também a maioria das ilhas da Indonésia. A fruta chegou ao Brasil na década de 1940, sendo inicialmente cultivada no Pará.[2] É atualmente cultivada no litoral da Bahia, no estado do Pará e oeste do estado de São Paulo. Foi também introduzida na China, no Panamá e nas Honduras.[3]

O mangostim é cultivado em maior escala no Sudeste da Ásia, principalmente na Tailândia com uma área plantada estimada em 51.000 ha em 2009, com um rendimento de 200.000 toneladas. Seguem-se a Indonésia, Malásia e as Filipinas.[4] Fora do sudeste asiático, apenas Porto Rico apresenta resultados promissores.[5]

Uma árvore tropical, o mangostim deve ser cultivado em condições de altas temperaturas. Exposição a temperaturas abaixo de 0 °C por períodos prolongados pode ser fatal. Suporta exposição por breves períodos de frio, muitas vezes com danos apenas ao crescimento dos frutos mais jovens. A temperatura ideal para cultivo do mangostim é entre 25 °C e 35 °C. A árvore leva entre 8 a 15 anos para frutificar.[6]

Propriedades[editar | editar código-fonte]

O mangostim tem uma ação antioxidante, anti-inflamatória, antiviral, antifúngica e antibiótica.[7]

Valores nutricionais[editar | editar código-fonte]

Tabela Nutricional[8]
Mangostim
Quantidade 100 gramas
Calorias 73 Kcal
Proteínas 0,4 g
Gorduras 0,6 g
Carboidratos 18 g
Fibra Alimentar 1,8 g
Cálcio 12 mg
Magnésio 13 mg
Ferro 0,4 mg

Galeria[editar | editar código-fonte]


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia tem o portal:
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Mangostim
  1. «Mangosteen». Encyclopædia Britannica. Consultado em 2 de maio de 2015. 
  2. Sacolão Real. «Sacolão Real:Frutas». Sacolão Real 
  3. Tropicos.org. Missouri Botanical Garden. 11 Sep 2009
  4. «Market Potential for Mangosteen and Salaaca» (PDF). Food and Agricultural Organization of the United Nations. Consultado em 4 de dezembro de 2014. 
  5. «Mangosteen». Encyclopædia Britannica. Consultado em 2 de maio de 2015. 
  6. «Mangosteen». Encyclopædia Britannica. Consultado em 2 de maio de 2015. 
  7. Tua Saúde:Mangostão
  8. [1]