Maniçoba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para a planta arbustiva da caatinga, veja Manihot pseudoglaziovii.
A maniçoba.

A Maniçoba é um prato de origem indígena, típico da culinária paraense e amapaense.[1][2][3][4][5][6][7] Pela origem da folha de que é produzido, surgiu provavelmente entre aldeias indígenas no norte brasileiro, embora seja comumente apontado como uma comida paraense. Tem como principal ingrediente a maniva, a folha da mandioca moída.

Em seu preparo, as folhas da mandioca são moídas e cozidas por aproximadamente uma semana, para que se retire da planta o ácido cianídrico, que é venenoso. Depois, são acrescidas a elas carnes de porco e bovina, e outros ingredientes defumados e salgados. A maniçoba é servida acompanhada de arroz branco, farinha de mandioca e pimenta.

Em Sergipe, o Museu da Gente Sergipana cita a importância da maniçoba para os municípios de Lagarto e Simão Dias, tradição que passa de pai para filho, iniciando com o comerciante local de nome João Mendes e passando para o filho Rildo Mendes, conhecido como Gordinho da Maniçoba,[8][9] onde maniçoba é prato tradicional das festividades.

A maniçoba também é típica do Recôncavo baiano, sobretudo dos municípios de Cachoeira e Santo Amaro, onde também é servida durante eventos comemorativos locais, como festa de São João da Feira do Porto.[10][11] É vendida na feira livre, em forma de bolos ou em refeições tipo "prato feito".[12] No Pará, onde também é um prato típico muito conhecido, ela é conhecida como feijoada paraense, já que leva praticamente os mesmos ingredientes.

Em Moçambique, o equivalente, também muito popular, chama-se "matapa" e normalmente leva camarão ou caranguejo no tempero e é acompanhado de arroz ou massa de milho.[13][carece de fonte melhor]

Referências

  1. «Festival da Mandioca é realizado na Comunidade do Cedro, em Tartarugalzinho, pela COOPERCEDRO – Sistema OCB/AP». Consultado em 27 de outubro de 2021 
  2. AMAPÁ, GOVERNO DO ESTADO DO. «Praça de alimentação do Museu Sacaca oferece pratos regionais a preços acessíveis». www.portal.ap.gov.br. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  3. «Randolfe Rodrigues - Círio em Macapá». Twitter. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  4. Educacao, Portal. «Portal Educação - Artigo». siteantigo.portaleducacao.com.br. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  5. «Amapá: dados gerais, capital, mapa, bandeira». Mundo Educação. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  6. «Mineiro ítalo-paranaense comanda os pratos da região Norte na Área de Gastronomia do 5º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil - Ministério do Turismo». antigo.turismo.gov.br. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  7. «Viagem para o Amapá - O lugar onde acontece a famosa pororoca!». Vida de Turista. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  8. Importância da maniçoba para o município de Lagarto, no site do Museu da Gente Sergipana
  9. Site do município
  10. CACHOEIRA: São João da Feira do Porto inicia os preparativos e divulga suas principais atrações Arquivado em 21 de janeiro de 2012, no Wayback Machine.. A Cachoeira, 31 de maio de 2011.
  11. «São João da Bahia - Cachoeira». Consultado em 7 de setembro de 2011. Arquivado do original em 11 de setembro de 2011 
  12. Laboratório de Etnomusicologia, Antropologia e Audiovisual (LEAA/Recôncavo), Cachoeira, Bahia. Maniçoba na Casa do Samba
  13. "Receita de matapa" no site ComidaEReceitas.com.br

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]