Manoá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Manoá e sua esposa estéril sacrificam um carneiro para o Anjo do Senhor: O Sacrifício de Manoá, de Eustache Le Sueur, 1640-1650.

Manoá (em hebraico: מָנ֫וֹחַ Mānoaḥ) é um personagem do Antigo Testamento, encontrado no Livro dos Juízes 13:1-23 e 14:2-4 da Bíblia Sagrada. Seu nome significa "descanso" e "paz".[1]

Família[editar | editar código-fonte]

Segundo a Bíblia, Manoá era da tribo de Dã e morava na cidade de Zorá. Ele se casou com uma mulher que era estéril. O nome dela não é mencionado na Bíblia, mas segundo a tradição ela era chamada Hazelelponi ou Zʻllpunith. Ela era filha de Etã e irmã de Ishma.[2][3]

Manoá e sua esposa foram os pais do famoso juiz Sansão. De acordo com a tradição rabínica, eles também tinham uma filha chamada Nishyan ou Nashyan.[4][5]

Nascimento de Sansão[editar | editar código-fonte]

O anjo do Senhor apareceu à esposa de Manoá e proclamou que o casal logo teria um filho que começaria a libertar os israelitas dos filisteus.[6][7]

O Anjo do Senhor declarou que a esposa de Manoá deveria se abster de todas as bebidas alcoólicas, e seu filho prometido não deveria fazer a barba ou cortar os cabelos. Ele era nazireu desde o nascimento.[8] No Israel antigo, aqueles que queriam se dedicar especialmente a Deus por um tempo podiam fazer um voto nazireu que incluía abster-se de vinho e bebidas fortes, não cortar cabelos ou fazer a barba, e outros requisitos.[2][3][7] A esposa de Manoá creu no anjo do Senhor; o marido dela não estava presente, então ele orou e pediu a Deus que enviasse o mensageiro mais uma vez para ensiná-los a criar o menino que iria nascer.[9]

Depois que o anjo do Senhor voltou, Manoá perguntou seu nome, mas ele disse: "Por que pergunta o meu nome? Meu nome está além do entendimento".[10] Manoá então preparou um sacrifício, mas o anjo do Senhor só permitiria se este fosse feito para Deus.[11] Ele tocou-o com seu cajado, tragando-o milagrosamente em chamas e depois subiu ao céu no fogo.[12] Essa era uma evidência tão dramática da natureza do Mensageiro que Manoá temia por sua vida, pois se dizia que ninguém poderia viver depois de ver Deus.[13] No entanto, sua esposa o convenceu de que, se Deus planejasse matá-los, ele nunca teria revelado essas coisas a eles.[14] No devido tempo, o filho deles, Sansão, nasceu e ele foi criado de acordo com as instruções do anjo.[3][7][15]

Referências

  1. «Manoah by Wayne Blank». Consultado em 29 de julho de 2012. Arquivado do original em 31 de julho de 2017 
  2. a b Rogerson, John W. (1999). Chronicle of the Old Testament Kings: the Reign-By-Reign Record of the Rulers of Ancient Israel. London: Thames & Hudson. p. 58. ISBN 0-500-05095-3 
  3. a b c Este artigo incorpora texto da Enciclopédia Judaica (Jewish Encyclopedia) (em inglês) de 1901–1906, uma publicação agora em domínio público.
  4. Samson, Jewish Encyclopedia. "The mother of Samson [was named] Zlelponith, and his sister, Nashyan."
  5. Porter, J. R. (2000). The Illustrated Guide to the Bible. New York: Barnes & Noble Books. p. 75. ISBN 0-7607-2278-1.
  6. «E o anjo do Senhor apareceu a esta mulher, e disse-lhe: Eis que agora és estéril, e nunca tens concebido; porém conceberás, e terás um filho.» (Juízes 13:3)
  7. a b c Comay, Joan; Brownrigg, Ronald (1993). Who's Who in the Bible: The Old Testament and the Apocrypha, The New Testament. Nova Iorque: Wing Books. pp. Old Testament, 317. ISBN 0-517-32170-X 
  8. «Agora, pois, guarda-te de beber vinho, ou bebida forte, ou comer coisa imunda. Porque eis que tu conceberás e terás um filho sobre cuja cabeça não passará navalha; porquanto o menino será nazireu de Deus desde o ventre; e ele começará a livrar a Israel da mão dos filisteus.» (Juízes 13:4-5)
  9. «Então Manoá orou ao Senhor, e disse: Ah! Senhor meu, rogo-te que o homem de Deus, que enviaste, ainda venha para nós outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer. E Deus ouviu a voz de Manoá; e o anjo de Deus veio outra vez à mulher, e ela estava no campo, porém não estava com ela seu marido Manoá.» (Juízes 13:8-9)
  10. «Ele respondeu: "Por que pergunta o meu nome? Meu nome está além do entendimento".» (Juízes 13:18)
  11. «Porém o anjo do Senhor disse a Manoá: Ainda que me detenhas, não comerei de teu pão; e se fizeres holocausto o oferecerás ao Senhor. Porque não sabia Manoá que era o anjo do Senhor.» (Juízes 13:16)
  12. «Então Manoá tomou um cabrito e uma oferta de alimentos, e os ofereceu sobre uma penha ao Senhor: e houve-se o anjo maravilhosamente, observando-o Manoá e sua mulher. E sucedeu que, subindo a chama do altar para o céu, o anjo do Senhor subiu na chama do altar; o que vendo Manoá e sua mulher, caíram em terra sobre seus rostos.» (Juízes 13:19-20)
  13. «E disse Manoá à sua mulher: Certamente morreremos, porquanto temos visto a Deus.» (Juízes 13:22)
  14. «Porém sua mulher lhe disse: Se o Senhor nos quisesse matar, não aceitaria da nossa mão o holocausto e a oferta de alimentos, nem nos mostraria tudo isto, nem nos deixaria ouvir tais coisas neste tempo.» (Juízes 13:23)
  15. «Depois teve esta mulher um filho, a quem pôs o nome de Sansão; e o menino cresceu, e o Senhor o abençoou.» (Juízes 13:24)