Manuel Costa e Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuel Costa e Silva
Nascimento 19 de Março de 1938
Lisboa,  Portugal
Nacionalidade  Portugal
Morte 26 de janeiro de 1999 (60 anos)
IMDb: (inglês)

Manuel Costa e Silva (Lisboa, 19 de Março de 1938 – Lisboa, 26 de Janeiro de 1999), português conhecido como director de fotografia de cinema, dedicou-se também à prática de realização de filmes. É autor de alguns livros de carácter didáctico sobre cinema e de iniciativas culturais de divulgação de obras cinematográficas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Concluiu em Portugal o ensino secundário e depois foi para a Austrália (1957) onde frequentou um curso de engenharia mecânica. Mudou-se para Paris em 1959, inscrevendo-se como aluno na escola oficial de cinema, o IDHEC. Obteve uma bolsa do Fundo de Cinema – organismo criado pelo Estado Novo, destinado a financiar o cinema português – o que lhe permitiu prosseguir os estudos em França.

Inicia a actividade profissional no cinema como operador de câmara, fazendo vários trabalhos de reportagem. Prossegue a sua actividade profissional como assistente de imagem e torna-se depois director de fotografia. Começa como operador de câmara, na reportagem. Seguidamente trabalha como primeiro assistente de imagem e mais tarde como director de fotografia. Entre 1963 e 1964 é assistente de realização em três filmes realizados na Suécia. De volta a Portugal, trabalha nas empresas Tobis Portuguesa, Média Filmes, Unifilme e na cooperativa Centro Português de Cinema, sendo um dos seus fundadores. Escreve artigos (1962-1965) para revistas especializadas como Filme, Celulóide, Plano e para a revista sueca Chaplin. Desenvolve também a sua actividade profissional como assistente de produção, assistente de realização, director de produção e como produtor executivo.

É bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian em 1967 para fazer uma visita de estudo aos E.U.A. a fim de adquirir conhecimentos sobre técnicas de cinema e visitar estúdios e laboratórios. Entre 1969 e 1974 dirige a Secção de Cinema e os Serviços de Produção do Instituto de Tecnologia Educativa. Integra a direcção do Festival Internacional de Cinema de Tróia (1985-86) e lecciona como professor de fotografia no Conservatório Nacional (Escola Superior de Teatro e Cinema). Durante vários anos é responsável pelos Encontros Internacionais do Cinema Documental, no Centro Cultural da Malaposta.[carece de fontes?]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Como director de fotografia[editar | editar código-fonte]

Longas-metragens[editar | editar código-fonte]

Curtas e médias-metragens[editar | editar código-fonte]

Como realizador[editar | editar código-fonte]

  • 1970 – A Escola Técnica de Enfermeiras
  • 1970 – Um Caso de Agricultura de Grupo
  • 1970 – A Grande Roda
  • 1971 – A Passagem
  • 1973 – Festa, Trabalho e Pão em Grijó de Parada
  • 1975 – Eleições 75
  • 1978 – Junho no Alto Alentejo, ARCA filmes (longa-metragem)
  • 1985 – Moura Encantada (longa-metragem)
  • 1996 – O Regresso do Homem Que Não Gostava de Sair de Casa
  • 1996 – Madina do Boé

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]