Manuel Ferreira Jácome

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Manuel Ferreira Jácome foi um arquiteto ativo no Recife, na época do Brasil colônia.

Pouco se sabe de sua vida, mas acredita-se que tenha vivido no período entre 1677 e 1736.[1] Na década de 1690, Jácome trabalhava com o mestre-de-obras Antônio Fernandes de Matos, que empregava 98 negros ladinos (aculturados).[2] A morte do mestre Matos, em 1701, significou o início da carreira independente de mestre Jácome.[3]

Era membro da Irmandade de Nossa Senhora do Livramento dos Pardos do Recife, o que indica que era provavelmente mulato, tendo sido eleito mordomo desta confraria para o período entre 1736 a 1737.[4] Foi muito respeitado profissionalmente, como atestam documentos da época. Inicialmente pedreiro, foi promovido a mestre de obras e eleito pelos seus pares Juiz de ofício de pedreiro, cargo que exerceu entre 1707 e 1729. Como juiz era chamado para avaliar e realizar medições de obras.[4]

Durante sua carreira foi responsável ou co-responsável por várias obras, incluindo a molhe do Recife, pontes, ruas e igrejas.[4][5] Foi o autor da planta da Igreja de São Pedro dos Clérigos da cidade, uma das grandes obras da arquitetura colonial do Brasil.

Referências

  1. Neilton Pereira, José. Além das formas, a bem dos rostos: faces mestiças da produçao cultural recifense (1701-1789). Tese de Mestrado. Universidade Federal Rural de Pernambuco. Recife, 2009. p. 69.
  2. Neilton. op.cit. p.69
  3. Neilton. op. cit. p.72.
  4. a b c História da Igreja de São Pedro dos Clérigos no portal do Pátio de São Pedro [1]
  5. Neilton. op. cit. p.80-81.

Bibliografia