Manuel Gusmão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Manuel Gusmão
Nascimento 1945
Évora, Portugal Portugal
Prémios Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia (1997, 2009)

Prémio de Poesia Luís Miguel Nava (2001)
Grande Prémio de Poesia APE/CTT (2001)
Prémio D. Dinis (2004) Prémio Vergílio Ferreira (2005)
Prémio P.E.N. Clube Português de Ensaio (2010)

Género literário Poesia, Ensaio

Manuel Gusmão (Évora, 1945)[1] é um poeta, ensaísta, tradutor e professor universitário catedrático português.[2] Agraciado com a Medalha de Mérito Cultural do Governo Português em 2019.[3] Foi deputado à Assembleia Constituinte da Terceira República Portuguesa.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com tese dedicada à poesia dramática de Fernando Pessoa.[5] Doutorado, a sua tese incide sobre a Poética de Francis Ponge em 1987[1], autor de cujos poemas Manuel Gusmão é o tradutor para português.

Professor catedrático na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, desenvolvendo trabalho nas áreas da literatura portuguesa, literatura francesa, e Teoria da Literatura. É membro da Associação Internacional de Literatura Comparada e fundador da Associação Portuguesa de Literatura Comparada.

Distinções[editar | editar código-fonte]

Vencedor, em 2004, do Prémio D. Diniz, da Fundação Casa de Mateus; do Prémio Vergílio Ferreira, atribuído pela Universidade de Évora (2005) e do Grande Prémio DST de Literatura (2009).[6] Recebe em 2019 a Medalha de Mérito Cultural do Governo Português das mãos da Ministra da Cultura Graça Fonseca.[3]

Militância Política[editar | editar código-fonte]

Militante do Partido Comunista Português desde o tempo em que o partido estava na ilegalidade à qual tinha sido forçado pelo regime do Estado Novo, é escolhido por este partido para candidato a deputado à Assembleia Constituinte da Terceira República Portuguesa, lugar para o qual será eleito.[4]

Revista Literária[editar | editar código-fonte]

Pertenceu às redacções das revistas O Tempo e o Modo e Letras e Artes e foi colaborador permanente do Jornal Crítica, entre 1961 e 1971. Foi fundador das revistas Ariane (revue d’études littéraires françaises), que se publica desde 1982, e Dedalus, da Associação Portuguesa de Literatura Comparada, desde 1991.[1] É coordenador editorial da revista Vértice desde 1988.[1]. Colaborador regular do suplemento Ípsilon do jornal Público.[5]

Autor de ensaios e prefácios de obras de Fernando Pessoa, Gastão Cruz, Carlos de Oliveira, Herberto Helder, Sophia de Mello Breyner Andresen, Luiza Neto Jorge, Ruy Belo, Armando Silva Carvalho e Fernando Assis Pacheco, Almeida Faria, Maria Velho da Costa, Nuno Bragança, Maria Gabriela Llansol, Luís de Sousa Costa e José Saramago.[5]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Entre as suas obras encontram-se: [7]

Ensaio e Antologia[editar | editar código-fonte]

  • A Poesia de Carlos de Oliveira (1981)
  • A Poesia de Alberto Caeiro (1986)

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Dois Sois, A Rosa - A Arquitectura do Mundo (1990/2001)
  • Mapas: o Assombro e a Sombra (1996)
  • Teatros do Tempo (1994-2000) (2001)
  • Os Dias Levantados (2002) (libreto para ópera de António Pinho Vargas)
  • Migrações do Fogo (2004)
  • Mapas o Assombro a Sombra (2005)
  • A Terceira Mão (2008)
  • Pequeno Tratado das Figuras (2013)

Referências

  1. a b c d «MANUEL GUSMÃO». Artistas Unidos. Consultado em 25 de Abril de 2012 
  2. «Manuel Gusmão: "Excelente cronista e excelente poeta"». Público (jornal). Consultado em 25 de Abril de 2012. Arquivado do original em 2 de outubro de 2012 
  3. a b «Poeta e Ensaísta Manuel Gusmão distinguido com medalha de Mérito Cultural». Ministério da Cultura. 30 de abril de 2019. Consultado em 25 de maio de 2012 
  4. a b «Perfil de Manuel Gusmão na Assembleia da República» 
  5. a b c «Manuel Gusmão». Consultado em 20 de Setembro de 2022 
  6. «Manuel Gusmão vence Prémio DST de Literatura de 2009». DN. 4 Dezembro 2009. Consultado em 25 de Abril de 2012 [ligação inativa]
  7. «Obras de Manuel Gusmão presentes no Catálogo da Biblioteca Nacional de Portugal». Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 24 de agosto de 2022