Manuel Lopes de Almeida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Manuel Lopes de Almeida
Lopes de Almeida.
Nascimento 16 de agosto de 1900
Benavente
Morte 15 de dezembro de 1980 (80 anos)
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação historiador
Prêmios Comendador da Ordem Militar de Cristo, Grande-Oficial da Ordem Militar de Cristo, Grã-Cruz da Ordem do Infante Dom Henrique, Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada
Empregador Universidade de Coimbra

Manuel Lopes de Almeida ComCGOCGOSEGCIH (Benavente, Benavente, 16 de Agosto de 1900Coimbra, 15 de Dezembro de 1980) foi um político e professor universitário português.

Carreira académica[editar | editar código-fonte]

Filho de Joaquim Cândido de Almeida e de sua mulher Maria Justina de Almeida.

Licenciou-se em Ciências Históricas e Geográficas na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra em 1929. Entre 1927 e 1929 foi leitor de Português em Hamburgo e em 1930 entra para o corpo docente da Universidade de Coimbra como professor auxiliar. Foi redactor da revista Biblos.

Doutorou-se em Ciências Históricas na universidade conimbricense 1940 e a partir de 1945 foi director da Biblioteca Geral da Universidade cargo que exerceu até à jubilação em 1970.

Foi membro da Comissão Nacional do V Centenário da Morte do Infante D. Henrique, colaborando com o padre António Joaquim Dias Dinis e com Idalino Ferreira da Costa Brochado na elaboração da Monumenta Henricina.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

A sua vida política desenvolve-se durante o Estado Novo.

Em 1934 torna-se chefe de gabinete do Ministro da Educação.

Em 1937 é eleito para a Assembleia Nacional onde é primeiro secretário.

Em Junho de 1940 foi nomeado Director-Geral interino do Ensino Superior e Belas Artes e em Agosto Secretário de Estado da Educação Nacional cargo em que se manteve até Fevereiro de 1945.

Entre 4 de Maio de 1961 e 4 de Dezembro de 1962 foi ministro da Educação Nacional.

Condecorações[1][2][editar | editar código-fonte]

Agremiações a que pertenceu[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Manuel Lopes de Almeida". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 9 de setembro de 2015 
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras». Resultado da busca de "Manuel Lopes de Almeida". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 9 de setembro de 2015 

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Possidónio Mateus Laranjo Coelho
Presidente da Academia Portuguesa da História
1966 - 1972
Sucedido por
António da Silva Rego
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.