Manuel Luís Maldonado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Manuel Luís Maldonado
Nascimento 8 de setembro de 1644
Angra do Heroísmo
Morte 24 de outubro de 1711 (67 anos)
Angra do Heroísmo
Cidadania Portugal
Ocupação historiador, padre

Manuel Luís Maldonado (S.J.) (Angra do Heroísmo, 8 de Setembro de 1644Angra do Heroísmo, 24 de Outubro de 1711) foi um historiador, genealogista, sacerdote católico e militar português.

Foi condestável, capelão e encarregado do hospital militar da Fortaleza de São João Baptista da Ilha Terceira, nos Açores. É autor da obra "Fenix Angrence", uma das obras de referência da historiografia em História dos Açores.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu um ano após a rendição da guarnição Espanhola na chamada Guerra do Castelo (27 de Março de 1641 - 4 de Março de 1642), na freguesia da , filho de Amaro Luís, condestável da Fortaleza de São João Baptista, e de sua esposa, Isabel Gonçalves.

Desde jovem se interessou por temas de história, já que ele próprio afirma que, em 1669, com apenas 24 anos de idade, quando da chegada à Terceira de Afonso VI de Portugal, desterrado para a Fortaleza do Monte Brasil, estava "(…) apto com todas as diligências necessárias para o sacerdócio, e já no entretenimento das averiguações antigas a título de curioso, sem que nestas totalmente me fossem de impedimento as ciências, ou estudos, de Moral e Especulativo em que lidava com pouco fruto." (Fenix Angrence)

O seu pai faleceu a 27 de Fevereiro de 1670, sendo Manuel Luís Maldonado nomeado para o cargo de Condestável da Artilharia da Fortaleza de São João Baptista, que o pai ocupava, na data de 1 de Março de 1670.

A 2 de Setembro de 1674 tomou ordens de Epístola, a 8 do mesmo mês de Evangelho, e a 9 de Missa, sendo nomeado, a 23 de Novembro desse ano, capelão-menor da Fortaleza de São João Baptista, altura em que frequentava o nono ano das Escolas Gerais do Colégio da Companhia de Jesus em Angra. Pregou o seu primeiro sermão a 15 de Setembro de 1680.

Por patente de 25 de julho de 1689, foi nomeado capelão-mor da Fortaleza e administrador do Hospital Militar da Boa Nova, que lhe ficava anexo.

Ao falecer, Manuel Luís Maldonado deixou como legado a um sobrinho o manuscrito da "Fenix Angrence", fruto da sua vida de investigação histórica e uma das fontes essenciais para o estudo da história açoriana. Encontra-se sepultado na Ermida da Boa Nova em Angra do Heroísmo.

Obra[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Fenix Angrence

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MALDONADO, Manuel Luís. Fenix Angrence (v. I - Parte Genealógica; transcrição e notas de Helder Fernando Parreira de Sousa Lima). Angra do Heroísmo (Açores): Instituto Histórico da Ilha Terceira, 1989.
  • MALDONADO, Manuel Luís. Fenix Angrence (v. II - Parte Histórica, transcrição e notas de Helder Fernando Parreira de Sousa Lima). Angra do Heroísmo (Açores): Instituto Histórico da Ilha Terceira, 1990.
  • MALDONADO, Manuel Luís. Fenix Angrence (v. III - Parte Histórica, , transcrição e notas de Helder Fernando Parreira de Sousa Lima). Angra do Heroísmo (Açores): Instituto Histórico da Ilha Terceira, 1997.
  • SOUSA, Ana Madalena Trigo de. A Fénix Angrense do padre Manuel Luís Maldonado: Estudo da parte histórica. In: Islenha, n.º 36, Janeiro-Junho de 2005, pp. 4-41, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Funchal, Madeira.