Manuel Valls

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuel Valls
França Primeiro-ministro da França
Período 31 de março de 2014
a 6 de dezembro de 2016
Antecessor(a) Jean-Marc Ayrault
Sucessor(a) Bernard Cazeneuve
Dados pessoais
Nascimento 13 de agosto de 1962 (55 anos)
Barcelona
Partido PS
linkWP:PPO#França

Manuel Valls (Barcelona, 13 de agosto de 1962) é um político francês de linhagem hispano-suíça do Partido Socialista (PS). Foi ministro francês do Interior de 16 de maio de 2012 a 31 de março de 2014. Nessa data, foi nomeado primeiro-ministro pelo presidente François Hollande, tendo ocupado esse cargo até 6 de dezembro de 2016, quando anunciou sua candidatura às eleições presidenciais francesas de 2017.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Filho do pintor espanhol Xavier Valls e a atriz suíça, do cantão ticino Luisangela Galfetti, o jovem Manuel Valls passou muitos anos da infância e adolescência na Suíça com os avós maternos.[2] Iniciou sua militância política aos 17 anos perto de Michel Rocard, o líder da segunda esquerda, uma corrente considerada mais pragmática e liberal do que a de François Mitterrand. Valls é atribuído liderar a ala direita e centralista do partido; ele se descreveu como "blairistico" e "clintonianico", em alusão aos seus modelos Tony Blair e Bill Clinton. Assim, ele exigiu, entre outras coisas, uma rejeição do conceito de socialismo no programa do partido, criticou a redistribuição e transferências orçamentais excessivos.

Como prefeito de um município com uma elevada percentagem de imigrantes, especialmente do Norte da África e África subsariana, ele apelou a uma maior integração desses esforços. Para estas posições, ganhou fortes críticas de parcelas mais à esquerda do partido. Martine Aubry publicou uma carta aberta a Valls, para que abandonasse o partido, uma vez que tais intervenções prejudicaria o PS e as suas posições políticas não são as dela. Valls, no entanto, confirmou, na ocasião, que queria ficar no partido.

Depois de ter sido responsável pela comunicação do Partido Socialista nos anos 1990, foi eleito deputado de Essonne, em 2002 e 2007. Sua tendência política é social liberal, próxima da linha do Partido Trabalhista britânico, sob a liderança de Tony Blair. Ex-fidelíssimo de Dominique Strauss-Kahn, tem vista para as questões fiscais e questões de segurança pública, de que é considerado um especialista por sua liderança efetiva..[3] De 2001 a 2012, ele foi prefeito de Evry, e de 2002 a 2012, deputado do departamento de Essonne na Assembleia Nacional. Valls já havia trabalhado antes em várias funções como consultor no governo de Lionel Jospin.

No outono de 2011, Valls foi candidato nas primárias do Partido Socialista para a eleição presidencial de 2012, mas desistiu, após obter somente 6% dos votos no primeiro escrutínio. Antes da segunda votação no dia 16 de outubro, ele renunciou em favor de François Hollande. Desde 16 de maio de 2012, ele era o ministro do Interior da França. Na sequência da demissão de Jean-Marc Ayrault em 31 de março de 2014, o presidente Hollande nomeou Manuel Valls como seu sucessor no cargo de primeiro-ministro. Ele ficou no cargo até dezembro de 2016.

Vida Privada[editar | editar código-fonte]

Valls casou-se em 1987 com Nathalie Soulie, com quem teve quatro filhos. Depois de um divórcio, casou-se em 2010 com a violinista Anne Gravoin.[4]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]