Manuel de Carvalho Pais de Andrade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Manuel de Carvalho Pais de Andrade
Nascimento 21 de dezembro de 1774
Pernambuco
Morte 18 de junho de 1855 (80 anos)
Cidadania Brasil
Ocupação político

Manuel de Carvalho Paes de Andrade (Pernambuco, 21 de dezembro de 1774 ou 1780 — Rio de Janeiro, 18 de junho de 1855) foi um político e revolucionário brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido no dia 21 de Dezembro entre os anos de 1774 e 1780, e foram seus pais Manoel de Carvalho Paes de Andrade e D. Catharina Eugenia Ferreira Maciel Gouvin. Seu pai pertencia a casa dos Paes de Mangualde (Portugal) que veio para Pernambuco com o Governador José Cezar de Menezes, na qualidade de secretário de governo. E sua mãe, filha do sargento-mór Braz Ferreira Maciel e D. Catharina Bernarda de Oliveira Gouvin, filha do general João de Oliveira Gouvin, família esta oriunda da Holanda[2].

Foi mandado para Lisboa na instancia de seu seu tio paterno o ouvidor José Januário de Carvalho Paes de Andrade[3] parar concluir seus estudos, porém, refugiou-se na Ilha da Madeira em função da invasão de Portugal por tropas de Napoleão Bonaparte. Em Pernambuco, entrou para as sociedades secretas maçônicas-republicanas.

Participou da Revolução Pernambucana de 1817 e se refugiou, depois de seu malogro, nos Estados Unidos da América. De volta ao Brasil, ocupou o cargo de Intendente da Marinha.

Em 13 de dezembro de 1823, após a renúncia de Francisco Pais Barreto, foi eleito provisoriamente presidente da província de Pernambuco. Em 8 de janeiro de 1824 foi confirmado como presidente pelos eleitores pernambucanos, contra as ordens do governo imperial, que havia indicado Francisco Pais Barreto para a presidência.

Apoiado por Frei Caneca, proclamou em 2 de julho de 1824 a Confederação do Equador, movimento autonomista que questionava o excessivo autoritarismo e centralismo político do Imperador D. Pedro I (1822 - 1831). Derrotada a confederação, refugiou-se na fragata inglesa "Tweed" e seguiu para Londres, onde ficou no exílio até 1831.

Presidiu novamente a província em 1834 e foi deputado geral e senador do Império do Brasil de 1831 a 1855.

Também foi coronel da Legião da Guarda Nacional.

Referências

  1. Catálogo biográfico dos Senadores brasileiros, de 1826 a 1986 / concepção, coordenação, organização editoração: Leonardo Leite Neto - Brasília: Senado Federal, Centro Gráfico, 1986.
  2. Livro Pernambucanos Célebres, Pereira da Costa - 1881 - Pt.02 - Página 653.
  3. Livro Pernambucanos Célebres, Pereira da Costa - 1881 - Pt.02 - Página 653
Precedido por
Francisco Pais Barreto
Presidente da província de Pernambuco
1823 — 1824
Sucedido por
Francisco Pais Barreto
Precedido por
Joaquim José Pinheiro de Vasconcelos
Presidente da província de Pernambuco
1831 — 1835
Sucedido por
Francisco de Paula Cavalcanti e Albuquerque