Marcão do Povo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Marcão do Povo
Line-style-icons-newspaper.svg
Nome completo Marcos Paulo Ribeiro de Morais
Nascimento 24 de fevereiro de 1980 (41 anos)
Minaçu, GO
Residência São Paulo, SP
Ocupação jornalista
Nacionalidade brasileiro
Trabalhos notáveis RecordTV Brasília
SBT

Marcos Paulo Ribeiro de Morais (Minaçu, 24 de fevereiro de 1980), mais conhecido como Marcão do Povo, é um jornalista e ex-político brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Começou na TV na apresentação do programa Gurupi Urgente da TV Girassol, afiliada da Rede Bandeirantes. Logo em seguida apresentou o programa Chumbo Grosso, telejornal policial exibido na TV Goiânia, afiliada da Rede Bandeirantes. Em 2016 foi contratado pela RecordTV Brasília para apresentar o Balanço Geral DF.

Em fevereiro de 2017, chegou a ser contratado pela TV Brasília para apresentar o DF Alerta, mas a emissora recebeu ameaças do Grupo Record de cancelar contrato com a Igreja Universal que possui diversos horários alugados na programação.[1] Mas acabou em 13 de fevereiro, assinando com o SBT.[2] Em 15 de fevereiro, foi anunciado como novo apresentador do Primeiro Impacto dividindo o comando a partir de 20 de fevereiro com Dudu Camargo.[3] Existiram rumores de que em março do mesmo ano Marcão seria apresentador eventual do SBT Brasil, o que foi desmentido posteriormente.[4]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Ofensas raciais[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2017, Marcão envolveu-se em uma controvérsia após chamar a cantora Ludmilla de "pobre e macaca", que por sua vez declarou que vai denunciar o jornalista por racismo.[5] Após o ocorrido, o então apresentador do Balanço Geral DF foi demitido, tendo a RecordTV emitido a seguinte nota: "A Record TV vem a público lamentar os transtornos causados à cantora Ludmilla, sua família e seus fãs motivados por um comentário feito pelo apresentador Marcão no Balanço Geral DF. A Emissora repudia qualquer ato dessa natureza e afirma que este tipo de conduta não está na linha editorial de nosso Jornalismo. Por este motivo, a Record TV Brasília optou por rescindir o contrato do apresentador Marcão".[6]

Direitos políticos cassados[editar | editar código-fonte]

De acordo com reportagem publicada pelo portal UOL, Marcão foi condenado pela Justiça Eleitoral em 2010, tendo seus direitos políticos cassados por três anos por abuso de poder econômico.[7] Além disso, o político e jornalista nascido no estado de Goiás também teria sido investigado pelo Ministério Público Estadual suspeito de ligações com a máfia dos caça-níqueis na região.

Cobertura da tragédia de Brumadinho[editar | editar código-fonte]

Em 31 de janeiro de 2019, durante as reportagens sobre o rompimento da barragem de Brumadinho, Marcão recebeu críticas por seu comportamento durante as matérias juntamente com a réporter Márcia Dantas, onde os dois ficaram por alguns instantes fazendo piadas em relação ao ator Leonardo DiCaprio, que havia lamentado o ocorrido em seu Instagram.[8][9]

Tentativa de expor nude de Luisa Sonza[editar | editar código-fonte]

Em 5 de fevereiro de 2019, o apresentador foi acusado de tentar mostrar durante seu programa uma foto íntima vazada da cantora Luisa Sonza. Numa entrevista em maio do mesmo ano, Marcão negou a acusação.[10][11]

Opinião sobre infectados pelo coronavírus[editar | editar código-fonte]

Em 8 de abril de 2020, o jornalista defendeu no programa Primeiro Impacto, o qual apresentava, a criação de campos de concentração para tratar os eventuais portadores sintomáticos de COVID-19 e assim evitar medidas de distanciamento social. O apresentador foi indefinidamente afastado do programa segundo nota divulgada no mesmo dia pela rede de televisão SBT.[12][13][14]

Referências

  1. «TV Brasília afiliada da Rede TV! contrata apresentador Marcão do Povo». Consultado em 9 de fevereiro de 2017. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2017 
  2. «Marcão do Povo vai apresentar programa no SBT». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 2 de fevereiro de 2020 
  3. Falcheti, Fabrício. «SBT define estreia de Marcão do Povo no 'Primeiro Impacto'» 
  4. «Marcão do Povo não foi escalado para o "SBT Brasil" aos sábados». NaTelinha. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  5. (18 de janeiro de 2017). «Um dia após chamar cantora de 'macaca', Marcão do Povo não apresenta jornal». Acervo. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  6. «Record TV demite apresentador que chamou Ludmilla de 'macaca'». noticias.uol.com.br. Consultado em 2 de fevereiro de 2020 
  7. «Âncora da Record sofre denúncias e teve direitos políticos cassados». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 2 de fevereiro de 2020 
  8. «Marcão do Povo é detonado na web após piadas com Brumadinho». Metrópoles. 31 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  9. «Brumadinho: Marcão do Povo brinca no ar e é criticado». ISTOÉ Independente. 31 de janeiro de 2019. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  10. RedeTV!. «Marcão do Povo nega intenção de expor nude de Luísa Sonza: 'Jamais faria'». RedeTV! - SuperPop. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  11. «Marcão do Povo nega intenção de expor nude de Luísa Sonza: 'Jamais faria'». jogos.uol.com.br. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  12. «Mauricio Stycer - SBT suspende apresentador que propôs campo de concentração para doentes». www.uol.com.br. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  13. «Marcão do Povo sugere 'campo de concentração' para infectados pelo coronavírus». 8 de abril de 2020. Consultado em 9 de Abril de 2020 
  14. «SBT afasta Marcão do Povo após apresentador sugerir 'campo de concentração'». 8 de abril de 2020. Consultado em 9 de Abril de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]